A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ 中文 Chines_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Portugues_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Francais_ Italiano_ Polski_ Portugues_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020 | of 2021 | of 2022 | of 2023 | of 2024

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) UK, ACG: A história do Primeiro de Maio (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:41:04 GMT 2024

"O primeiro de maio é o símbolo de uma nova era na vida e na luta dos trabalhadores, uma era que todos os anos oferece aos trabalhadores batalhas novas, cada vez mais duras e decisivas contra a burguesia, pela liberdade e independência que lhes foram arrancadas, pela seu ideal social." ---- Nestor Makhno ---- A ideia de transformar o 1º de maio em um dia de ação para os trabalhadores foi proposta pela primeira vez no 4º congresso da Federação Americana do Trabalho (AFL). Decidiu-se lançar, a partir de 1 de Maio de 1886, uma ampla campanha de agitação e luta centrada na limitação da semana de trabalho a quarenta horas. As ações mais radicais ocorreram em Chicago. Naquela época, Chicago tinha o ...


(pt) Brazil, CAB[FAG]: QUEM LUCRA COM A SOJA E O GADO? QUE OS RICOS PAGUEM PELA CRISE CLIMÁTICA (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:40:48 GMT 2024

Eventos climáticos fazem parte do funcionamento natural do planeta. No entanto, a cada dia que passa, percebemos que o aumento em sua frequência, amplitude e impactos são diretamente afetados pelo sistema capitalista e sua lógica de lucro acima da vida. ---- A catástrofe ambiental que vivemos no Rio Grande do Sul hoje, possivelmente a maior já documentada no estado, é portanto um fenômeno social e político.
É social pois afeta majoritariamente os de baixo, comunidades indígenas e quilombolas, camponeses e o povo pobre do campo e da cidade. Enquanto isso, os de cima seguem usufruindo do conforto em suas fortalezas envidraçadas. Os latifundiários, coroneis da soja e do gado, que herdam ...



(pt) Argentina, F.O.R.A. - C.I.T. - Nem com Putin nem com a NATO - GUERRA À GUERRA (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:40:32 GMT 2024

Unione Sindicale Italiana (USI) - CIT, Secretariado e Comissão Executiva: ---- A Rússia de Putin está a enviar tropas militares para as fronteiras da Ucrânia com a ameaça de intervenção para contrariar o movimento deste país em direcção à Europa e especialmente à NATO, com a possibilidade de posicionar mísseis nesta área dirigidos à Rússia. ---- Por outro lado, os EUA e a Grã-Bretanha, com a União Europeia (UE) a reboque, posicionam tropas militares da NATO (com a presença de tropas italianas na linha da frente com um custo estimado até agora de 78 milhões de euros ) contra a ameaça de intervenção russa.
...



(pt) France, OCL CA #339 - Marselha: megabits açucarados Por que data centers em Marselha? (ca, de, en, fr, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:40:13 GMT 2024

Em 1966, o porto de Marselha tornou-se autónomo. Foi no mesmo ano que a açucareira Saint Louis, sediada no 15º arrondissement até 2015, decidiu construir um gigantesco silo de açúcar dentro do porto para armazenar açúcar mascavo proveniente dos Territórios Ultramarinos Franceses. Este edifício, com 80 metros de comprimento e 45 metros de largura, com telhado pontiagudo, faz parte da decoração do porto desde então. Não passa despercebida ao longo da A55, a autoestrada urbana que acompanha o porto. Abandonado há vários anos, o GPMM (Grande porto marítimo de Marselha) decidiu destruí-lo para reaproveitar a área de mais de 10.000m². Na sequência de um concurso lançado em 2022, um projeto ...


(pt) France, UCL AL #348 - Política, Interseccionalidade: Por lutas ecológicas antirracistas e populares (ca, de, en, fr, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:40:04 GMT 2024

Os bairros da classe trabalhadora estão na intersecção da dominação e são mais severamente afetados pelas consequências da poluição e do aquecimento global. No entanto, os vínculos entre o movimento ambientalista e as lutas destes bairros ainda lutam para serem criados, apesar dos primeiros passos encorajadores. ---- Os bairros da classe trabalhadora estão na encruzilhada de várias formas de dominação. O Estado racista aí implanta mecanismos coloniais que dificultam extremamente a vida dos habitantes: redução dos serviços públicos, aumento do autoritarismo em detrimento da educação, exclusão geográfica com menos transportes públicos, violência policial... acrescenta uma ...


(pt) Italy, FDCA, Cantiere #25 - História e memória do trabalho e do sindicato: 1945-1985 (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun May 19 04:39:32 GMT 2024

Para reconstruir a história dos sindicatos e do trabalho na Itália após a Segunda Guerra Mundial, foram importantes os testemunhos e as memórias dos sindicalistas que dirigiram as organizações, mas também os dos trabalhadores e activistas nas fábricas. ---- Após os acordos interconfederais de 6 de dezembro de 1945 e 23 de maio de 1946, a indústria italiana beneficiou de uma trégua sindical até 1947 e além; todos os salários industriais são decididos num único acordo que prevê a diferenciação por sectores industriais, por áreas territoriais, por qualificação de trabalhador ou de colarinho branco, dependendo do sexo e da idade. ...


(pt) Spaine, Catalunya, EMBAT: Entrevista com OSL - Organização Socialista Libertária - do Brasil[Parte 1](ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat May 18 05:56:56 GMT 2024

O que se segue é a primeira parte de uma entrevista muito mais longa que conduzimos com a organização irmã brasileira OSL (Organização Socialista Libertária). Esta primeira parte centra-se em: A OSL e a sua concepção de anarquismo. ---- Qual é a origem do OSL? ---- Nossa organização, embora nova, é herdeira de uma experiência que remonta ao início do anarquismo específico no Brasil (menos que a década de 1990). Até o nome que escolhemos é uma referência à antiga OSL, que entre 1997 e 2000 foi a primeira tentativa de formação de uma organização anarquista específica de âmbito nacional. A antiga OSL tinha seus limites e, em última análise, não conseguia avançar. Ao final do processo, sua ...


(pt) Brazil, ANA[Capixaba - FACA]: "Não se trata apenas de destruir, mas também de construir um mundo novo" By A.N.A. (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat May 18 05:56:41 GMT 2024

A Federação Anarquista Capixaba (FACA) concedeu entrevista para a Agência de Notícias Anarquistas (ANA) em 29 de abril de 2024. Confira a entrevista a seguir. ---- Agência de Notícias Anarquistas > Bem, vamos começar nossa conversa com a pergunta de sempre. Como surgiu a Federação Anarquista Capixaba (FACA)? Em quê contexto? É uma federação de grupos ou indivíduos? ---- FACA < A Federação Anarquista Capixaba (FACA) nasce em 2022. Somos um coletivo novo ainda. E esse nascimento se deu no contexto de reorganização do anarquismo no território dominado pelo estado do Espírito Santo. No início do século XX o anarquismo marcou presença nesta região, inicialmente a partir dos trabalhadores ...


(pt) France, UCL AL #348 - Internacional, Palestina: Parem o genocídio em Gaza, abaixo o imperialismo! (ca, de, en, fr, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat May 18 05:56:24 GMT 2024

Em cinco meses, mais de 30 mil pessoas foram mortas em Gaza, metade das quais crianças. As terríveis imagens que chegam até nós, porém, não parecem alertar a opinião pública. Temos de deter o Estado de Israel na sua loucura assassina, no seu regime colonial e de apartheid. ---- Num silêncio ensurdecedor do Ocidente, um genocídio está ocorrendo na Faixa de Gaza. Qualquer pessoa que não o conheça bem poderá esperar uma forte reação do chamado "campo da liberdade e da democracia". Não é assim.
As imagens de civis palestinianos mortos enquanto corriam, famintos, em busca de pacotes humanitários deveriam ter despertado qualquer pouco de humanismo que ainda restasse nos nossos líderes. Não é assim. ...



(pt) Italy, FDCA, Cantiere #25 - Gaza: prevenindo a catástrofe (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat May 18 05:56:20 GMT 2024

Estamos em Al Arish, bem no Sinai Egípcio, no centro do Crescente Vermelho. As necessidades básicas rejeitadas pelos controlos israelitas estão amontoadas aqui, ainda embaladas. Cilindros de oxigênio, geradores, sabonetes higiênicos, incubadoras, refrigeradores de remédios, muletas e até biscoitos de chocolate: todos considerados uma "ameaça" à segurança nacional de Israel. Os sinais são os das principais ONG internacionais e dos governos doadores.
Estamos aqui com a caravana solidária organizada pela AOI (Associação de ONGs italianas), Assopace Palestina e ARCI. Uma caravana de cerca de cinquenta pessoas composta por sociedade civil, jornalistas e 14 ...



@

Last updated: Sun May 19 06:41:05 2024