A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Francais_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkurkish_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_
First few lines of all posts of last 24 hours

Links to indexes of first few lines of all posts of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020 | of 2021 | of 2022 | of 2023

Syndication Of A-Infos - including RDF - How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups

(pt) Sicilia Libertaria: Cinema, Colina da Visão (2022) de Roberto Faenza (ca, de, en, it, tr)[traduccion automatica]

Date Wed, 22 Mar 2023 07:39:10 +0200


O cinema italiano sofre de imbecilidade crônica... um transtorno de personalidade que se manifesta na maioria dos filmes que são produzidos ao serem submetidos à fatalidade, à banalidade e à resignação de um público cada vez mais acostumado à civilização do entretenimento em que se sente protagonista... more ou menos conscientemente... é o resultado de um analfabetismo fílmico sem autores nem poetas que já apagou a grande história do cinema italiano como memória e se refugiou no esnobismo da esquerda - por assim dizer, já que a esquerda está ancorada no tempo a todas as explorações, opressões e corrupções do neoliberalismo - ou na podridão de produtos mais estúpidos que seus consumidores Para resgatar os dias infinitos de Trevas... Qohélet, disse ele... são poetas do cinema que olham onde vai o coração, como Roberto Faenza , um dos poucos cineastas notáveis (como Giorgio Rights, Pietro Marcello ou Alice Rohrwacher) que continuou sua carreira desde a sua criação (Escalation, 1968; H2S, 1969; Vamos Itália, 1977; Quem quer se salvar, 1980), e através de obras como Jona que vivia na baleia, 1993; Leve minha alma, 2002, eu vice-rei, 2007; Algum dia esta dor será útil para você, 2011; Anita B., 2014; A verdade está no céu, 2016 ou Hill of Vision), mostrou o mal sem fim feito sob o sol de todos os poderes... a cultura tende a se anular, se não se reproduzir em grande formato. Faenza quebrou todos os excessos de sofrimento e crime e os envergonhou diante de si. Hill of Vision conta a formidável história de um menino analfabeto que enfrentou a arrogância do fascismo, as crueldades da Segunda Guerra Mundial e a marginalização da migração, que recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em 2007 (junto com os colegas Martin Evans e Oliver Smithies). , seu nome é Mario Capecchi. Nasceu na Itália em 1937, fruto de uma breve relação entre um militar fanático fascista, Luciano Capecchi, e a americana Lucy Ramberg, poetisa e militante da resistência no sul do Tirol. O pai de Mario foi enviado para lutar na Líbia e em 1941, pouco antes de ser preso e encarcerado em um campo de concentração nazista, sua mãe confiou o filho a uma família de camponeses, uma vez que o dinheiro acabou e o medo que Mario descobriu pelos fascistas porque ele é judeu, eles o deixam ir pelas ruas infestadas de guerra... aqui ele conhece outros garotos desmantelados e vive de pequenos furtos... quando ele rouba um pedaço de carne de um açougue bombardeado, ele é levado e confiado para um orfanato de padres. Após a guerra ele se reuniu com sua mãe e emigrou para os Estados Unidos, para uma comunidade de Quakers, Hill of Vision. O menino enfrenta os problemas de entrar na escola, como um "italiano". A internação no campo nazista prejudicou a saúde de sua mãe, mas graças ao amor da família de seu tio físico que transmite sua paixão pela ciência a Mario, hoje ele é professor ilustre da Escola de Medicina da Universidade de Utah.

Para Roberto Faenza, a mensagem do filme é clara: "Se Mário conseguiu, partindo de uma condição tão extrema, todos nós também podemos conseguir. Basta saber ser 'resiliente', ou seja, nunca desistir, jamais". A partilha, a fraternidade, a hospitalidade não se compram nem se vendem... porque chegar ao fundo para muitos pode ser também o começo... o desabrochar de um homem é acompanhado pelo amor que encontra na vida e pela eternidade do direito que ata ao destino indignado de muitos refugiados que buscam abrigo, acolhida, escuta na nova comunidade.

O roteiro de Hill of Vision, escrito por Faenza com David Gleeson, repousa sobre uma trilha sonora sólida e seca e os planos do diretor descrevem os momentos históricos sem frescuras ou infiltrações espetaculares... uma essencialidade estética que segue a linguagem do primeiro filho e rapaz então... o realizador trabalha no sopro de uma infância conturbada e o resultado é um retrato da vida que se interroga sobre o cativeiro da guerra. Os dias passados nas ruas da criança são atravessados pela solidão, ternura, abandono, mas vistos fora de qualquer tipo de vitimização... o amor da criança pela mãe está no fundo do seu renascimento e do despertar do menino que se tornará homem na América e se tornará um cientista.
A fotografia de Giuseppe Pignone é primorosa... ele trabalha sobre marrons, verdes, amarelo-avermelhados e dá ao filme uma visão livre de qualquer excesso descritivo... envolve os atores na casca da história que eles interpretam e os acompanha no perfume da realidade uma existência sonhada que não pertence aos anjos mas ao quotidiano dos simples de espírito... um olhar amoroso que brilha no poço das infâncias difíceis, deixando aberta a ferida da dor, mas não superada.

A montagem harmoniosa de Walter Fasano dá ao filme um andamento emotiva, cruza formas e conteúdos num estilo sempre próximo do tema... com a música de Andrea Guerra ele combina imagem com som, gesto com palavra, tragédia com esperança e ainda mais, juntos eles compõem uma expressão poética que fortalece a magnífica narração fílmica de Faenza.

A atuação se desenrola na realeza contida de Laura Haddock (Lucy Ramberg, mãe de Mario), Edward Holcroft (Edward Ramberg, o tio), Elisa Lasowski (Sara Sargent Ramberg, a tia), Francesco Montanari (Luciano Capecchi, o pai de Mario). , Jake Donald - Crookes, (Mario quando menino), Lorenzo Ciamei (Mario quando criança), Rosa Diletta Rossi (Anna, amiga e amada de Mario quando criança). O rosto, o corpo, a atitude de Mario quando criança lembram não pouco e bem, Jackie Coogan em The Kid, de Charlie Chaplin, 1921, mas sem a travessa inclinação às lágrimas habitual em Charlot... não é onde se destaca, mas onde se liberta do peso dos constrangimentos, das submissões, das feiúras impostas à inocência.

Parece-nos bastante estranho que certos críticos-cinéfilos tenham encontrado no filme de Faenza o adoçamento do cartão-postal ou a interpretação fantoche dos personagens ou uma falta de consistência do personagem ao longo do filme ... Quanto a nós, Hill of Vision parecia como uma clara lição de pedagogia da liberdade onde o sentimento se mistura com a graça e denuncia a imbecilidade a todos os níveis... do pensamento dominante... ninguém se importa com o pano de fundo das guerras, muito menos os defensores da ordem obcecados por ideologias e crenças que levam ao massacre dos indefesos.

Jamais compreenderão a historinha daquele filósofo (ou era um bêbado do porto, não me lembro bem?) que dizia: - Teve o orgulho, a força e a dignidade de nunca mandar, de não ter o domínio de nada nem de ninguém, de não possuir nada do que era do outro e também de colocar o que tinham em comum... pediu para viver sem patrões nem servos, não deu nem recebeu ordens... não há classes, nem explorados nem exploradores, nem opressores nem criminosos... tudo é posto ao serviço da comunidade e as crianças, antes de mais nada, aprendem a não obedecer ao sangue derramado pelos adultos -.

Pino Bertelli

https://www.sicilialibertaria.it/
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe https://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center