A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ All_other_languages _The.Supplement
{Info on A-Infos}

(sup) O MITO DA ADOLESCÊNCIA

From "Francisco Trindade" <francisco.trindade@mail.eunet.pt>
Date Sun, 13 Oct 2002 06:23:52 -0400 (EDT)


 ________________________________________________
      A - I N F O S  N E W S  S E R V I C E
            http://www.ainfos.ca/
        http://ainfos.ca/index24.html
 ________________________________________________


Em 1905, em Viena,  Freud publica o seu célebre livro "Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade", primeiro escrito da literatura psicanalítica a debruçar-se sobre as mutações psicológicas que acompanham a puberdade.

Nesse seu livro, no capítulo que dedica às "transformações da puberdade", Freud não escreve uma só vez a palavra adolescência. No momento em que os seus contemporâneos se deixam cair na armadilha de uma "adolescência" criada de fresco, Freud, também ele interessado nas profundezas do comportamento humano, entende não ter razões para dar qualquer crédito a esse conceito artificial. Refere, sim, "período da puberdade", fala em "idade da puberdade", e é tudo."Com o começo da puberdade, aparecem as transformações que vão dar à vida sexual infantil a sua forma definitiva e normal", assim rezam as primeiras linhas do seu texto. Na sua concepção, não existe a adolescência como classe de idade, nem como período particular do desenvolvimento humano. Para Freud, a criança existe. Existe igualmente o adulto, trazendo em si, na sua história, a criança que foi. Entre a criança e o adulto, existe a puberdade. Esta é apenas uma continuação da pequena infância e, de modo muito particular, da sua problemática sexual e relacional, uma e outra intimamente relacionadas. Para Freud, a sexualidade infantil sendo a sexualidade de base, as formas que a sexualidade reveste na puberdade, período terminal das transformações corporais e psíquicas, têm a seus olhos um interesse manifestamente reduzido. Em seu entender, essas transformações são no essencial uma reactualização dos desejos e de precoces impossibilidades.

Dora, a célebre paciente de Freud que, se fosse hoje, seria considerada uma adolescente, não só pelos seus 18 anos como pelo tipo de crises de que sofria, nunca é tratada desse modo pelo mestre vienense.

Para ter acesso a todo o texto ir a: http://www.franciscotrindade.com


                       ********
               The A-Infos News Service
      News about and of interest to anarchists
                       ********
               COMMANDS: lists@ainfos.ca
               REPLIES: a-infos-d@ainfos.ca
               HELP: a-infos-org@ainfos.ca
               WWW: http://www.ainfos.ca
               INFO: http://www.ainfos.ca/org

 To receive a-infos in one language only mail lists@ainfos.ca the message
                unsubscribe a-infos
                subscribe a-infos-X
 where X = en, ca, de, fr, etc. (i.e. the language code)



A-Infos Information Center