A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Português_ Russkiy_ Serbo-croatian_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe
First few lines of all posts of last 24 hours

Links to indexes of First few lines of all posts of last 30 days | of 2002 | of 2003
| of 2004 | of 2005

(sup) (pt)[RELATO] PSTU e ANARQUISTAS se enfrentam no ato antiguerra

From Renato Cardoso <nato1871@yahoo.com.br>
Date Fri, 25 Mar 2005 14:12:59 +0100 (CET)


________________________________________________
A - I N F O S N E W S S E R V I C E
http://www.ainfos.ca/
http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

Reconfirmando o erro da participação dos punks na
manifestação convocada pelos queridinhos do FSM em
apoio a Chaves, Pol Pot, Saddam Huinsem, as FARC,
etc.)

(Para ver fotos, maiores informações e ter diferentes
opiniões:)
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2005/03/310772.shtml

Vamos deixar as coisas claras!

O que se está fazendo aqui, a título de discutir um
fato ocorrido numa passeata (pau entre punx e
trotskistas do PSTU na passeata chamada pelo Fórum
Social Mundial no dia 19/03), se faz o julgamento dos
punx e anarkistas - já com sua condenação decidida.
Querer falar que não são punx ou não são anarkistas ou
tratá-los como inconsequentes é lançar sobre eles o
estigma da intolerância.
Quanto ao PSTU, quando não se fazem elogios rasgados a
seus líderes, se minimiza a responsabilidade ou se
omite até a participação, como se os punx estivesssem
brigando sozinhos.

Na verdade o que aconteceu na passeata e o que está
acontecendo aqui é o estabelecimento de um sistema de
censura e policiamento das manifestações. Já vimos que
o PSTU tem sua tropa treinada pronta para assumir o
papel e o que fazem é procurar se justificar dizendo
que somos facistas. Quem somos? Todos aqueles que se
dirigirem para uma manifestação chamada por
determinada organização e quiser manifestar sua
opinião contrária a dita organização. Dito em oputras
palavras: não se pode criticar partidos políticos numa
manifestação chamada por partidos políticos, ou por um
frente partidária!

Mas o espaço não é público? A manifestação não chamou
todo o povo? As pessoas reunidas na manifestação não
estavam todas reforçando, pelo menos, o espírito
anti-guerra, que seria o pano de fundo da
manifestação?

Quem está estabelecendo as leis do que pode e não pode
ser falado? Não deveria ser o coletivo ali reunido? E
para que isso fosse possível não é fundamental
garantir o direito a manifestação e expressão,
principalmente às minorias? Quando decidimos que o
movimento social se regula pelo centralismo, dito
democrático?

Na verdade o que se gera é o ovo da serpente do
facismo, sinal maldito do nosso tempo com seus Bush,
Sharon, Putin, Sadam... E aqueles que hoje facilmente
se militarizam e rapidamente assumem o papel de
repressores policiais logo chegarão a delação. Afinal
não foi mais ou menos esse o caminho do próprio PT
hoje no poder do país e na oposição da cidade, será
que voltaram a ser nossos companheiros?

Não fui a manifestação e fiquuei sabendo de tudo pela
internet (aí devemos pensar em quem não tem acesso a
internet e ver que isso é uma campanha elitista contra
os que apanharam e não podem se manifestar nesse
meio). Sou anarkista há muito tempo. Já tenho minha
própria história no movimento social e por ela sou
reconhecido. Se estivesse na passeata estaria junto
com os punx denunciando as manobras dos partidos
políticos de todos os matizes, há décadas enganando o
povo - a começar pelo PCB que saiu do movimento
anarquista, o renegou e quis apagá-lo da história para
não ter que explicar sua aliança expúria com o PTB em
46, que o PT renova no século 21.
Nessa barganha a classe trabalhadora perdeu sua
liberdade de organização e vive acorrentada aos
tentáculos do Estado aos quais alguns, por ignorância,
chamam de sindicato.

Seria vítima, com os punx, da truculência dos
militantes do PSTU e chamaria e esperaria
solidariedade de todos os que se dizem em luta contra
o facismo, pelo direito a liberdade de expressão,
contra a criminalização da questão social. Saberia
reconhecer aqueles que estão lutando comigo por
igualdade e liberdade, daqueles que buscam vantagens
pessoais. Imaginem quando eles chegarem ao poder!

O que estamos esperando? O governo começar a prender
quem lança ovos nos ministros? A conclusão, com
punições exemplares, para os professores condenados
devido a greve do magistério em 2000? Mais
assassinatos no campo? Vamos semear esse veneno em
nosso jardim?

"
na primeira noite eles vieram e arrastaram meu vizinho
por que ele era
punk
bicha
negro
curdo
alemão
palestino
judeu
chinês
anarkista
mas como eu era cuzão
até aplaudi
e falei para ele nunca mais voltar aqui
...
na noite seguinte eles vieram me buscar
e tudo que eu tive foi silêncio e a escuridão
a rua estava vazia
só tinha gente no quartel e na prisão."
-De: Catilina





********
The A-Infos News Service
News about and of interest to anarchists
********
COMMANDS: lists@ainfos.ca
REPLIES: a-infos-d@ainfos.ca
HELP: a-infos-org@ainfos.ca
WWW: http://www.ainfos.ca
INFO: http://www.ainfos.ca/org

To receive a-infos in one language only mail lists@ainfos.ca the message
unsubscribe a-infos
subscribe a-infos-X
where X = en, ca, de, fr, etc. (i.e. the language code)