A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Português_ Russkiy_ Serbo-croatian_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe
First few lines of all posts of last 24 hours

(sup) A ESTRUTURA DO TÍTULO DA GLOBALIZAÇÃO À AUTOGESTÃO

From "Francisco Trindade" <ft@franciscotrindade.com>
Date Sat, 26 Jul 2003 10:11:58 +0200 (CEST)


________________________________________________
A - I N F O S N E W S S E R V I C E
http://www.ainfos.ca/
http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

Então, ser - ou pretender ser - revolucionário hoje em dia será que ainda
tem sentido? Para delinear uma resposta a esta questão, é preciso
perguntarmo-nos antes de tudo se existe à nossa volta sinais, mesmo
discretos, da viabilidade do discurso revolucionário. De seguida, é
preciso interrogarmo-nos sobre as formas de transformação social que
podem encontrar-se em germe na crítica actual da sociedade do capitalismo
triunfante.

Mesmo se a diligência nada tem de científico, interrogarmo-nos sobre a
viabilidade do discurso revolucionário, é interrogarmo-nos sobre aquilo
que poderíamos chamar "o ar do tempo", a presença, entre os nossos
contemporâneos, no sentido mais amplo, duma atenção particular àquilo que
rompe com o pensamento único, com o discurso dominante. Digo isto
simplesmente pois sinto-me bastante afastado da noção de " clube de
ideias", de conservatório ideológico onde acabamos por nos convencer que
temos razão e que o mundo inteiro está errado. Trata-se duma diligência,
honrável talvez, mas própria a cultivar a acidez do carácter e a suscitar
os comportamentos sectários.



A nova obra de Francisco Trindade distribuída exclusivamente em formato
digital através do site
http//:www.franciscotrindade.com


Se estiver interessado em adquirir a obra A Estrutura do Título terá que
preencher um formulário (que se encontra em
http//:www.franciscotrindade.com)
indicando nome ou alcunha e o mais importante, o motivo ou as razões que
o levam a pedir uma cópia do livro.

Preço da obra A Estrutura do Título: 0 euros.

A ESTRUTURA DO TÍTULO
DA GLOBALIZAÇÃO À AUTOGESTÃO

Lançamento exclusivo em formato digital sem intermediários entre o autor
e o leitor e sem o empecilho do papel moeda a ditar quaisquer tipos de
impedimentos.
Lixe-se os direitos de autor. Copyfree.
http//:www.franciscotrindade.com


Indice

PREFÁCIO

DA GLOBALIZAÇÃO À AUTOGESTÃO

1- É Possível Hoje em dia ser Revolucionário?
2 - Proudhon e a Europa
3 - Pode a Teoria Proudhoniana Esclarecer a Questão do federalismo
Europeu? 4 - A Federação das Nações como Alternativa à Mundialização
5 - Proudhon e o Comércio Internacional ou como Internacionalizar o
Progresso Social
6 - A Presença do Proudhonismo nas Sociologias Contemporâneas

DELINEAR A AUTOGESTÃO

1 - Pode o Federalismo resolver todos os Conflitos?
2 - Proudhon: Da Análise dos Conflitos à Teoria da Justiça
3 - A Razão Pública e o Conflito
4 - Fatalidade Económica e Capacidade Política
5 - O Federalismo de Proudhon: Morte do Estado?
6 - Proudhon e o Federalismo
7 - Proudhon e a definição de Justiça
8 - A Criação Proudhoniana
9 - Era Proudhon um Federalista Integral?
10 - Proudhon e a Ideia Federalista

http://www.franciscotrindade.com.
Responsável técnico máximo, como de costume
José Carlos Fortuna.

Saudações proudhonianas
Francisco Trindade




********
The A-Infos News Service
News about and of interest to anarchists
********
COMMANDS: lists@ainfos.ca
REPLIES: a-infos-d@ainfos.ca
HELP: a-infos-org@ainfos.ca
WWW: http://www.ainfos.ca
INFO: http://www.ainfos.ca/org

To receive a-infos in one language only mail lists@ainfos.ca the message
unsubscribe a-infos
subscribe a-infos-X
where X = en, ca, de, fr, etc. (i.e. the language code)