A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) France, Alternative Libertaire AL #260 - Médio Oriente: Alguns legiões de horrores (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu May 26 10:52:56 GMT 2016

A situação no Médio Oriente revela todos os dias um pouco mais cinismo dos líderes franceses e ocidentais, que, sob o pretexto de defender o povo ou de combate ao terrorismo procurar acima de tudo salvaguardar os seus interesses. E a partir de Paris para Aleppo via Raqqa, as pessoas brinde. ---- A intervenção militar russa ao lado de Assad e do Irã mudou a situação na Síria e no Oriente Médio. Militarmente, o equilíbrio de poder foi revertida, o exército defensivo do regime passou para a ofensiva. Ela recuperou algum do terreno perdido em 2015, marcou pontos importantes para alcançar o objectivo estratégico de recuperar o controle das fronteiras com a Jordânia e Turquia. bombardeamentos aéreos russos têm degradado significativamente a capacidade operacional de todas as tendências da oposição armada, incluindo Daech. ...


(pt) União Popular Anarquista (UNIPA) Causa do Povo nº74 - A criminalização e repressão das lutas sociais no Brasil: O Estado contra os trabalhadores
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu May 26 10:52:49 GMT 2016

O Estado Brasileiro tem direcionado para o povo negro das favelas e periferias o encarceramento e o assassinato. Não bastasse as péssimas condições de vida e trabalho dos trabalhadores(as). Além disso, desde 2013 a escalada de repressão e criminalização contra os ativistas, militantes, jovens negras e negros, camponeses, indígenas, movimento e lutas sociais no Brasil tem aumentado. ---- Em 2012, 56.000 pessoas foram assassinadas no Brasil. Destas, 30.000 são jovens entre 15 a 29 anos e, desse total, 77% são negros. A polícia brasileira continua sua política de cerco as favelas e periferias, de intimidação as jovens e aos jovens, principalmente negros. A política de extermínio continua, de norte a sul, como a chacina em Londrina, no Rio e na Bahia. De acordo com o Anuário Segurança Pública (2014), produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, pelo menos seis ...


(pt) Canadá, 2º Festival do Filme Anarquista de Montreal acontece neste fim de semana
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu May 26 10:52:44 GMT 2016

Este ano, a segunda edição do Festival do Filme Anarquista de Montreal acontecerá entre os dias 20 e 22 de maio, com 3 noites de filmes radicais. O evento será fechado com uma festa na noite de domingo no Café l’artere! ---- Sexta-feira, 20 maio, 18h, Café l’artere, 7000 av. du Parc ---- Sábado, 21 de maio, 18h, L’Achoppe, 1800 av. Letourneux ---- Domingo, 22 de maio, Café l’artere, 7000 av. du Parc + festa de encerramento no mesmo local. ---- A programação e as descrições completas dos filmes estão aqui: ---- https://projectionsinsurgees.wordpress.com/anarchist-film-festival/programme-du-festival-de-films-anarchistes-2016/
projectionsinsurgees.wordpress.com
https://projectionsinsurgees.wordpress.com/anarchist-film-festival/programme-du-festival-de-films-anarchistes-2016/
...



(pt) France, Alternative Libertaire AL #260 - Cinco reuniões "Por que se juntou U" (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 25 16:44:09 GMT 2016

Coletivo Libertaire Alternativa (OCL) Gard existe há três anos. CAL jovem, ele conseguiu apenas alguns anos para ser assertivo, mas apesar de seu tamanho modesto, o Gard militante paisagem como uma força política que atua e propõe iniciativas. O estabelecimento de um quadro unitário como a rede anti-capitalista e auto-gestão (Raage), que inclui AL, NPA, CNT e FA no departamento é a prova. Conheça alguns dos novos rostos na nossa organização e olhar cruzou seus militantes de caminho e as razões pelas quais es-los a aderir à AL. ---- Libertaire Alternativa: Qual é a sua jornada ativista? ---- Mohamed: Quando eu estava no Marrocos, eu tenho sido ativa em várias associações e partidos políticos. Meu primeiro investimento foi na juventude da União Socialista das Forças Progressistas (USFP). Eu, então, seguiu um partido de esquerda que essa tendência quando ele fundou o Congresso do ...


(pt) Brazil, Coletivo Quebrando Muros - Contra a criminalização das lutas: toda solidariedade à Wagner de Sousa!
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 25 16:43:57 GMT 2016

Na última quinta (19), lutadores e lutadoras de Ponta Grossa realizaram um ato na Câmara Municipal contra o governador Beto Richa, que discursava no local. O protesto teve intervenção de policiais à paisana e da Guarda Municipal, que usaram de violência para expulsar os/as manifestantes das galerias. Na repressão, o estudante da UEPG Wagner de Sousa teve o braço deslocado pelos agentes da repressão. Ao se dirigir ao seu carro para ir embora, foi abordado por 4 agentes à paisana que o agrediram e o colocaram num veículo. Ali foram feitas ameaças e agressões, e o carro deu voltas até enfim chegar num DP distante do local da prisão. ---- Além de ameaças a sua família, Wagner foi ameaçado de ser autuado como terrorista. Não bastasse, teve seu estágio na Prefeitura de Ponta Grossa rompido por ordens de cima, no que configura uma grave perseguição, inclusive econômica. ...


(pt) União Popular Anarquista (UNIPA) Causa do Povo nº74 - UMA PONTE PARA O FUTURO, futuro para quem?
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 25 16:43:53 GMT 2016

No avançar da crise política, o PMDB lançou ainda em 29 de outubro de 2015 um projeto chamado “Uma Ponte Para o Futuro” já vendo as possibilidades de um governo Temer que agora se concretiza. O programa teoricamente “para debate interno” foi, na verdade, propagado amplamente e serve como um aceno de subserviência do PMDB aos atuais interesses do imperialismo, banqueiros e capitalistas em geral. ---- O programa “Uma Ponte Para o Futuro” pretende: 1) Aprofundar privatizações do setor de logística, infra-estrutura, mineração, energia (especialmente com maiores concessões à exploração privada do petróleo brasileiro); 2) Atacar direitos trabalhistas para garantir os “ganhos de competitividade” para a burguesia industrial, rural e financeira; 3) Cortes em áreas sociais como educação, saúde, e aos programas assistenciais como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida; 4) Uma ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - internacional, Solidariedade com o lançamento internacional Batalhão Curdistão sírio! (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 25 16:43:47 GMT 2016

The International Libertação Batalhão Curdistão sírio é uma unidade formada em 2015 por vários grupos de esquerda radicais e reunindo os voluntários comunistas, anarquistas e revolucionários vieram para defender o Curdistão sírio no espírito das Brigadas Internacionais em 1936. Para apoiar a sua caça-es a auxílio Red distribui uma ampla campanha de solidariedade para financiar seu equipamento médico. ---- Apresentação do batalhão ---- Campanha texto Recurso ---- No coração do Médio Oriente, o povo do Curdistão sírio têm levantado contra as forças reacionárias que oprimem a região durante décadas. Após a liberação do Curdistão sírio de Daesh, o povo do Curdistão sírio e muitos revolucionários estrangeiros que vieram para apoiar a preocupação agora EUA e da OTAN imperialistas e os regimes reacionários e fascistas do Oriente Médio: Turquia, Arábia ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #260 - violência sexual: Atrás da guerra, o estupro (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue May 24 12:11:07 GMT 2016

Na região de Kivu na República Democrática do Congo (RDC), dezenas de milhares de mulheres foram estupradas e mutiladas. A violência continua e agora afetam meninas e bebês. Um exemplo infelizmente comum do uso da violação como arma de guerra, com destaque para a figura de um médico que "restaura as mulheres." ---- O filme O Homem que repara as mulheres atualmente em telas (grandes cidades e não por muito tempo) relata o trabalho de Denis Mukwege, um ginecologista congolês que opera e tenta reparar órgãos mulheres mutiladas. ---- Desde 1994 e com a chegada do genocídio de Ruanda, milícias e forças armadas colidir neste campo. Calmarias, acordos de paz e desmobilização bem sucedida e ainda não é a paz. Estupros nunca pararam mesmo Dr. Mukwege tem visto um recente declínio nas chegadas em sua clínica. milícias armadas e lutou (também) para o acesso à riqueza do ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #261 - A esterilização voluntária: Cabe às mulheres para decidir! (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue May 24 12:11:00 GMT 2016

Embora seja legal para mais de quinze anos, a esterilização voluntária continua a suscitar paixões, e as mulheres que desejam usar deve ser paciente ... ---- A lei de 4 de Julho de 2001, sobre o aborto ea contracepção, além de melhorar o acesso de todos, incluindo os menores ao aborto e contracepção, também legalizou a esterilização voluntária. Em princípio, qualquer adulto pode aplicar-se a ser esterilizado após um período de reflexão de quatro meses e confirmaram-lo por escrito. Para evitar qualquer mal-entendido, note que estamos falando aqui do contexto francês, e esterilização como um ato voluntário. Não há dúvida de esterilizações em massa realizada em mulheres em alguns países do mundo, mais recentemente na Índia, ou como era praticada por médicos franceses sobre as mulheres dos povos colonizados. ...


(pt) cnt.es cordoba: Solidariedade com a Palestina no 68° aniversário da Nakba (ca, en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue May 24 12:10:50 GMT 2016

No dia 15 de maio de 2016 se dá o 68° aniversário da Nakba (o desastre), a expulsão do povo palestino de suas terras após ser declarado o Estado de Israel um dia antes, no dia 14 de maio. Esta ato aconteceu dentro de um plano orquestrado há muito tempo pelas velhas potências imperialistas, Inglaterra e França, que foram as impulsoras fundamentais do sionismo e de sua expansão em territórios palestinos. ---- As Nações Unidas concederam ao Estado de Israel mais de 50% do território palestino e desde 1948 o estado sionista de Israel começou um ato de genocídio e limpeza étnica que dura até hoje. De maneira sistemática os sionistas já expulsaram de sua terra 80% da população palestina, contando com o apoio inicial da Inglaterra e das Nações Unidas e com a aliança incondicional dos EUA com o estado hebraico e sua maquinaria de guerra e extermínio contra os árabes. ...


@

Last updated: Thu May 26 12:52:56 2016