A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) [Espanha] Sevilha: Readmitidas as oito Kellys despedidas pelo Hotel Barceló Renacimiento By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Dec 18 06:36:13 GMT 2018

Após um duro conflito sindical, as oito camareiras de andar do "Hotel Barceló Renacimiento" serão readmitidas escalonadamente ao longo do mês de dezembro pela nova empresa encarregada da limpeza, Alterna Solutions. ---- O conflito se iniciou em 31 de julho passado deste mesmo ano quando o Hotel de cinco estrelas "Barceló Renacimiento", situado na sevilhana Ilha da Cartuja, decidiu prescindir de "Aura ETT Cooperativa", que era a empresa encarregada do serviço de limpeza e onde formalmente estavam integradas as trabalhadoras. O hotel tomou esta decisão depois que a Inspeção de Trabalho se apresentou em suas instalações para fazer comprovações, dado que haviam recebido duas denúncias de uma suposta fraude na contratação.
...



(pt) CAB, LUTAS, PUBLICAÇÕES -- TERRORISMO DE ESTADO EM CURITIBA - 07/12/2018
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Dec 18 06:35:33 GMT 2018

O dia 07 de dezembro de 2018 será lembrado como um dos dias mais tristes e revoltantes da história de Curitiba e da luta por moradia no Brasil. ---- A ocupação urbana 29 de Março foi completamente destruída devido a um incêndio, que segundo o relato dos moradores, foi causado pela Polícia Militar do Paraná. Além do fogo alastrado, ocorreram, pelo menos, duas execuções no local, vários desaparecidos e um número ainda desconhecido de mortos. ---- Luta por Moradia na Região - Ocupações urbanas recentes na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) ---- A região que foi atingida pelo incêndio é um local de muita luta por moradia e vida digna na cidade. Em uma área da Cidade Industrial de Curitiba (CIC), bairro da capital paranaense, estão localizadas quatro ocupações recentes, onde, somadas, abrigam mais de mil famílias. ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #289 - Brasil: Como Bolsonaro poderia ganhar? (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Dec 18 06:33:11 GMT 2018

No domingo, 28 de outubro de 2018, pouco mais de 55% dos eleitores do Brasil fizeram a escolha de Jair Bolsonaro contra o candidato esquerdista Fernando Haddad. Jair Bolsonaro está certo, muito certo, para não dizer fascinante ... ---- Jair Bolsonaro, 66, é um ex-capitão do exército brasileiro. Ele aparece claramente como um nostálgico da ditadura militar, elogiando a repressão dos " vermelhos ", tortura e violência sexual. Ele tinha, em uma famosa frase, dito a um oponente que ela " era muito feia para ser estuprada " [1]. ---- Bolsonaro assume uma certa conexão com o fascismo histórico. Seu slogan de campanha é " Brasil Acima de tudo " , que é uma referência à " Deutschland über alles " , a frase do hino nacional alemão proposto pelo regime nazista.
...



(pt) France, Alternative Libertaire AL - Estados das lutas n ° 2 (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Dec 18 06:33:01 GMT 2018

O discurso de Macron em 10 de dezembro não extinguiu a mobilização e nem mesmo colocou óleo no fogo: não é liberando migalhas que silenciará a raiva. Enquanto o movimento continua nas universidades, o desafio agora é conseguir a convergência com os sindicatos e trazer o desafio para o local de trabalho. ---- 1. Macron migalhas migalhas ---- Em seu discurso em 10 de dezembro, Macron falou para tentar acalmar a mobilização. Os anúncios são ridículos. ---- Como escrevemos em nosso último panfleto federal ( aqui ), a maior parte de Macron faz suas concessões por meio de dispositivos brutos: o aumento do smicard.es será pago pelo imposto de todos e não pelos patrões.! Persiste em atacar a solidariedade dos benefícios sociais, enfraquecendo as contribuições e os impostos: essas falsas soluções, que no curto prazo podem atrair (horas extras), continuam de fato a ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #289 - Migrantes e Racismo: O Desafio Global da Luta de Classes (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Dec 17 09:08:00 GMT 2018

AL reivindica o direito de instalação livre para todos no país de sua escolha e nós lutamos contra essas fronteiras que matam. Isso não deve nos impedir de ter uma leitura política das situações abertas pelos movimentos migratórios em escala global, enquanto a crise ecológica aumentará o número de deslocados e, conseqüentemente, as tensões racistas, religiosas e nacionalistas. ---- Em 2016, estima-se que 250 milhões de pessoas vivem em um país onde não nasceram, ou 3,3% da população mundial. Isso não parece ser o caso, mas ainda representa um aumento de 41% em relação ao ano 2000. Em 2013, 38% das migrações foram sul-sul e apenas 34% sul-norte. Isto não impede que o Mediterrâneo seja o cemitério de 70% dos migrantes que morrem no vasto mundo, em profunda indiferença. Essas chegadas de migrantes e imigrantes em todos os lugares provocam rejeições violentas entre as ...


(pt) France, Alternative Libertaire - Liberação AL: Macron migalhas migalhas (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Dec 17 09:04:46 GMT 2018

Em 10 de dezembro, Macron falou em seu palácio, diante de sua grande mesa de madeira envernizada e dourada. Seu objetivo era extinguir a raiva social que vem fermentando na rua há quatro semanas. Mas os chefes do presidente não estão prontos para deixar ir e será France, Alternative Libertaire - Liberação AL: Macron migalhas migalhas (en, fr, it)[traduccion automatica]necessário aumentar a pressão, pela greve e pelos bloqueios, para que acabe dobrando. ---- Os anúncios feitos pela Macron foram destinados a acalmar a mobilização, mas isso não será suficiente. Não é jogando algumas migalhas e tentando fumar a população que ele vai empurrar os coletes amarelos para ir para casa e em casa. ---- O primeiro anúncio é o aumento do Smic. Ou melhor, é assim que ele queria apresentá-lo. Porque, na realidade, não haverá aumento de salários. Haverá apenas um aumento no bônus de ...


(pt) Nota sobre atual conjuntura da educação no Estado de São Paulo - ORGANIZAÇÃO ANARQUISTA SOCIALISMO LIBERTÁRIO - OASL
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Dec 17 09:04:43 GMT 2018

A implementação e consolidação do neoliberalismo no Brasil trouxe para a educação brasileira no geral, e do estado de São Paulo em particular, grandes derrotas. Dos anos 90 pra cá, cortes de investimentos na educação, investimento em instituições de ensino privadas, terceirização dos serviços meio, projeto de terceirização dos serviços fim, fechamento de escolas e salas de aula, congelamento de salários de professores e outros profissionais da educação, e precarização do trabalho, fazem parte do projeto neoliberal que se tem implementado na educação. No final do ano de 2015, o movimento estudantil secundarista, após a ocupação de mais de 200 escolas em todo o estado de São Paulo, conseguiu barrar a proposta de reorganização escolar proposta pelo governo Alckmin, e ainda conseguiu a queda do então secretário de educação Herman Voowald. O projeto de ...


(pt) [Espanha] Andaluzia: Após as eleições da Andaluzia, contra a desmobilização e o fascismo, organização e luta. (ca) By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 16 06:02:14 GMT 2018

As recentes eleições na Andaluzia foram um confronto brutal com a realidade para aqueles que depositaram grande parte de suas esperanças nos resultados eleitorais. Para aqueles que confiavam no continuísmo, mais ou menos modulado pela[coligação de esquerda]"Adelante Andaluzia"[Podemos mais Esquerda Unida], do regime que o PSOE[socialistas]tem mantido por décadas em nossa terra e aqueles que o percebiam, como em Madrid, como um mal menor. ---- É evidente que a abstenção foi o caminho escolhido por muitos trabalhadores andaluzes para mostrar a sua rejeição, seu cansaço e desconfiança para aqueles que reclamando-se de esquerda mantiveram a nossa terra em prostração, falta de alternativas, pobreza, e exclusão social, com níveis crescentes de precariedade enquanto faz o governo o oposto do que foi prometido, repetidas vezes, a partir de um estilo de governo marcado há muito ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL Paris Nord-Est - Como dobrar Macron ? em Paris 20 th 12 dez (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 16 06:02:10 GMT 2018

Como participar deste grande movimento que perturba a ordem estabelecida ? Como ganhar e acabar com o desprezo ? Como fazer o Macron dobrar e quebrar a lei dos chefes ? ---- Um pouco por toda a França, a mesma raiva, a mesma determinação e o mesmo desejo de não deixar passar. Em toda parte, procissões selvagens que desafiam a supervisão policial. Em todo lugar, manifestantes e manifestantes que expressam sua raiva pela repressão. Esse movimento de coletes amarelos não tem precedentes: nunca, desde maio de 68, vimos muita raiva falar na rua. ---- Em frente, o governo começa a ter suores frios e já deixou cair algumas migalhas. Mas isso não será suficiente para extinguir a raiva. ---- Após anos e anos de políticas antissociais, abriu-se uma brecha para elevar nossas demandas: salários mais altos, justiça social, redistribuição de riqueza, questionamento desse sistema podre ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #289 - Post: Gestão por terror mata ... e desperta a raiva (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 16 06:02:06 GMT 2018

Humilhação, placardização, isolamento de " cabeças fortes " ... os sucessivos suicídios de dois portadores de cartas, na Dordonha, não são eventos isolados. Hierarquia nos faz guerra ? Guerra na hierarquia. ---- Neste outono, na Dordogne, duas operadoras de cartas cometeram suicídio em um intervalo de quinze dias. Na doença por meses após as pressões diárias, eles foram vítimas de quadros zelosos que multiplicaram os exames médicos para levá-los ao irreparável. ---- Esses dramas não são eventos isolados. Eles são o clímax de uma violência sofrida todos os dias - no mesmo dia em que o primeiro suicídio, um ativista SUD-PTT, por exemplo, foi retirado de seu carro e jogado no chão por três supervisores após uma briga verbal com seu diretor.
...



@

Last updated: Tue Dec 18 07:36:14 2018