A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) luta fob: [FOB-PI] III marcha da periferia de Teresina.
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 15 07:40:50 GMT 2019

Ocorreu em Teresina, dia 29 de novembro a III marcha da periferia com o tema: O povo que viver ,a periferia contra o racismo , a politica de repressão e morte. Diferente do ano anterior que ocorreu na periferia de Teresina ,na região norte da cidade , esse ano a marcha da periferia se concentrou no centro da cidade ,no parque da cidadania , o local foi escolhido por motivo da criminalização constante praticada pelos guardas municipais contra a população da periferia que frequenta o parque. ---- Outro ponto de reivindicação da marcha foi contra o projeto lagoas do norte onde a prefeitura usa a falácia que o projeto é pra revitalizar a zona norte de Teresina, mas o plano de fundo desse projeto e´ retirar as famílias das suas moradias para atender os interesses dos grandes empresários, que querem construir seus negócios nessa região, que é bem localizada , ficando perto o centro da cidade de Teresina .

Construir A via combativa
...



(pt) Organização Anarquista Terra e Liberdade - OATL: 15-12-19, 6º Encontro do Grupo de Estudos: O Movimento Zapatista
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 15 07:40:41 GMT 2019

O presente grupo de estudos visa discutir a teoria anarquista, bem como trazer a luz alguns processos revolucionários e de lutas políticas que tiveram participação dos anarquistas. Entendendo o anarquismo como ferramenta para luta política contemporânea e não somente como uma teoria exótica a ser estudada.
Que o anarquismo seja sempre uma ferramenta útil para as lutas do povo!
*Para garantir a participação de responsáveis por crianças pequenas disponibilizaremos um espaço recreativo com cuidadores.
Texto disparador para o debate: Sexta Declaração da Selva Lacandona. - Exército Zapatista de Libertação Nacional.
https://enlacezapatista.ezln.org.mx/sdsl-pt/
Texto de apoio: A luta pela terra na cosmopolítica do movimento zapatista - Ana Paula Massadar Morel
https://revistas.ufrj.br/index.php/estudoslibertarios/article/view/20812
...



(pt) [Chile] Santiago: 50º dia de Revolta Social By A.N.A. (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 15 07:40:33 GMT 2019

A chama está acesa! ---- Quem diria... Já se vão 50 dias! ---- Durante a semana, conversamos sobre como o número de pessoas que vêm à Praça da Dignidade diminuiu drasticamente. Se difundia um chamado para não se deteriorar de "a primeira linha": "nos deixaram sozinhos e estão nos fazendo cagar" foi a frase que ecoou. ---- Alguns previram que a Revolta Social estava morrendo lentamente. Mas o governo, em cumplicidade com o parlamento, ameaçou "com as penas do inferno", os que continuaram a protestar, o que provocou o efeito oposto e as pessoas voltaram às ruas. ---- E voltaram com raiva de quem sabe que nesta luta você não pode confiar em partidos políticos e você só tem a si mesmo, e que somados com outros fazemos um nós. Um nós que neste dia ultrapassa cem mil pessoas! ---- Nesta oitava sexta-feira de Revolta Social, o ódio foi dirigido contra a Frente Ampla e seu pedido patético de perdão pela votação antiprotesto. Por isso, na noite passada, atacaram a sede de um de seus partidos de coalizão: "Revolução Democrática".

...



(pt) anarkismo.net: Decreto de Garantia da Lei e da Ordem e o desgoverno dos factoides by BrunoL
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 15 07:30:07 GMT 2019

Há um tema delicado, uma forma de gerar o medo e criar factoides sem fim, vindos do Palácio do Planalto, durante o desgoverno de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. O tema dos decretos de Garantia da Lei e da Ordem, além de ser uma herança maldita e esdrúxula da ditadura, é também uma imposição no texto constituinte, assim como a defesa interna atribuída aos quartéis - outra excrescência do governo da Arena de Sarney com o PMDB e sob tutela ainda da milicada - é uma tentação permanente de autoritarismo. ---- Bruno Lima Rocha, 10 de dezembro de 2019 ---- Há um tema delicado, uma forma de gerar o medo e criar factoides sem fim, vindos do Palácio do Planalto, durante o desgoverno de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. O tema dos decretos de Garantia da Lei e da Ordem, além de ser uma herança maldita e esdrúxula da ditadura, é também uma imposição no texto constituinte, assim como a defesa interna atribuída aos quartéis - outra excrescência do governo da Arena de Sarney com o PMDB e sob tutela ainda da milicada - é uma tentação permanente de autoritarismo.
Mentecaptos como o atual presidente, cuja carreira militar foi patética, indicam essa necessidade como se isso fosse resolver alguma crise de segurança pública. Caso alguém seja curioso na área, convido a observarem a situação no Rio de Janeiro, em termos comparativos, antes e ...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #300 - Um ano depois: injetando a experiência de coletes amarelos em nossas práticas sindicais (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Dec 15 07:29:46 GMT 2019

Auto-organização, ação direta, interpretação solidária, mas também convívio ... Até certo ponto, os coletes amarelos espontaneamente descobriram o que fortaleceu o sindicalismo das origens. Não deve ser deixado sem futuro. ---- Em fevereiro de 2016, a petição " É melhor do que isso ", lançada nas redes sociais, agita e finalmente rompe com o ambiente letárgico ; uma data de mobilização, 9 de março, fora dessa iniciativa, está crescendo para que os sindicatos CGT, Solidaires e FO se apeguem. ---- O movimento contra a lei trabalhista é lançado, com duração de quatro meses. Isso é novo na França há muito tempo, surge um movimento social de magnitude sobre uma questão diretamente relacionada ao trabalho fora das estruturas sindicais, mesmo que eles o tenham apreendido rapidamente. Em várias cidades, a discussão de Nuits a seguir oferecerá uma estrutura de mobilização para pessoas distantes do sindicalismo e dará um novo caráter a esse protesto social.

...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #299 - Liberação UCL, Prisão brutal em Nantes: pare para a repressão ! (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Dec 14 08:10:31 GMT 2019

Neste sábado, 7 de dezembro, em Nantes, novamente a escolha da repressão foi feita. Diante da crescente repressão de sindicatos e ativistas políticos, nossa solidariedade deve permanecer impecável. ---- Neste sábado, 7 de dezembro, em Nantes, novamente a escolha da repressão foi feita. No início da tarde, quando uma procissão feminista estava se preparando para encontrar o resto da manifestação, uma mulher foi brutalmente presa. ---- Algumas dezenas de manifestantes ficaram indignados com este inquérito gratuito e exigiram a libertação do camarada, sem qualquer violência. ---- A polícia então carregou e espancou o nosso grupo ferido com 2 ativistas na cabeça e chamou um de nossos camaradas. O último ainda está sob custódia.
Exigimos sua libertação imediata e nenhuma busca !
Diante da crescente repressão de sindicatos e ativistas políticos, nossa solidariedade deve permanecer impecável. Um comício em frente à delegacia de Nantes está em andamento, sob a convocação de Union syndicale solidaires. ...



(pt) luta fob: [FOB-SC]Solidariedade à greve do magistério no RS
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Dec 14 08:10:18 GMT 2019

Trabalhadores(as) da Educação do Rio Grande do Sul estão em Greve desde segunda-feira (18). Até agora já são mais de mil escolas paralisadas contra a proposta de reforma do governador Eduardo Leite (PSDB). A guerra contra o governador se iniciou com uma grande manifestação de educadores, estudantes e outras categorias do funcionalismo público no dia 14 de novembro, um dia depois de Leite encaminhar o pacote de reforma que ataca profundamente o plano de carreira dos professores do estado e outras categorias do funcionalismo público. ---- Porém, este foi apenas o estopim da luta. O magistério estadual gaúcho está numa situação precária já faz tempo. São 5 anos sem reposição salarial, defasado em 102% com relação ao Piso Nacional do Magistério, um dos piores salários do magistério em todo o Brasil. Além disso, os professores estão há 47 meses recebendo seus salários com atrasos e em parcelas!

A nova proposta do governo estadual irá aprofundar o arrocho salarial, congelar proventos e atacar os direitos previdenciários. O projeto ...



(pt) Começa o processo para um Congresso Anarquista no Chile -- Chamado para uma Assembleia pró-Federativa By A.N.A. (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Dec 14 07:59:30 GMT 2019

Faz um mês desde a explosão social, e vemos que nossos esforços nas diversas organizações e a chamados para trabalhar a partir dos territórios foram árduos, uma situação que talvez não estivesse totalmente preparada e durante esses dias intensos é normal ver um desgaste físico, mental e discursivo. Por outro lado, pensa-se também que a resposta como anarquistas poderia ter sido diferente e mais coordenada, a fim de capturar na população os princípios e propósitos do anarquismo em face da aversão generalizada às instituições hierárquicas que nos dominam. Vemos que em vários territórios o abuso e a dominação da classe privilegiada continuam sendo questionados, mas sem que esta tenha como fim a busca por uma verdadeira libertação e transformação de nossas vidas, poderíamos exemplificar que o foco atual das discussões que levou a entregar o esforço apenas a uma mudança de constituição, que entendemos como a reestruturação de um novo opressor. Em outros territórios, também podemos ver partidos políticos através de organizações sociais metendo seus narizes, fazendo-os acreditar que são representantes do povo porque são líderes ou "atores sociais" há anos, tentando validar as mesmas estruturas de poder e privilégios de uns sobre os outros que essa explosão social originou. O que levaria esses novos "atores sociais" a serem a nova burguesia. ...


(pt) Union Communiste Libertaire Bruxelles - Não temos mais medo, uma carta aberta de feministas. (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Dec 14 07:59:17 GMT 2019

Cinco dias após o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, o DH publicou um artigo sob o título " #MeToo , vítimas colaterais nos homens?»Mais do que um artigo, é uma tribuna sem filtro ou nuance do jornalista e do jornal que o publica, no qual dez personalidades belgas, homens, se expressam no modo:" Não pode mais nada dizer". ---- "Não podemos dizer mais nada": diante dessa sentença feita por homens finalmente se passando por vítimas, mantivemos a calma (e sim, não somos histéricos). Lemos este artigo até o fim. Dedicamos um tempo para discuti-lo, para nos encontrarmos para entender as reações a este artigo. ---- O que dizer? É difícil saber por onde começar, para que esta plataforma esteja cheia de declarações perturbadoras ...
Para elas, as mulheres não seriam mais capazes de aceitar um "bom elogio", uma "draga leve". Esses senhores não querem entender que não se trata de capacidade, mas de escolha: ter que passar, sem vacilar, comentários inapropriados, assobios e comentários sobre nossa física, alusões obscenas, basta! Em vez de lamentar serem privados de "liberdade" para as mulheres, esses homens fariam bem em questionar a violência de seu comportamento; eles não são vítimas de feminicídio, espancados, assediados, mercantilizados. ...



(pt) France, Union Communiste Libertaire UCL - Estado da luta n ° 2,Para ampliar a greve, vamos nos organizar ! (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Dec 13 05:23:48 GMT 2019

O estado das lutas é um boletim público que será publicado pela União Comunista Libertária ao longo do movimento. Ele sintetiza informações sobre a mobilização e propõe elementos de análise. Faça ir ! ---- Um fim de semana de transição ---- A inter-união envia sinais positivos ---- Sexta-feira, 6 de dezembro, reuniu-se a inter-união (CGT, FO, Solidaires, FSU e organizações de jovens). Ela pede um dia de greve e mobilização na terça-feira, 10 de dezembro, e renove a greve até então. É histórico que uma ampla inter-união apela para renovar a greve, mas também para lhe dar um acompanhamento rápido e forte. Isso deve nos encorajar e podemos continuar desenvolvendo a confiança no movimento, renovando a greve em áreas onde ele já é forte e permitindo que os setores menos mobilizados participem da luta. Nesse sentido, a data de 10 de dezembro é uma oportunidade para capturar setores menos mobilizados. Para o futuro, no entanto, devemos ter cuidado para não cair na mesma armadilha que a da greve de 2010: fique satisfeito com os dias passados. Mesmo que estejam próximos, se não servirem para prolongar e ancorar o golpe recondutível, serão insuficientes. Pior, eles correm o risco de esgotar os trabalhadores que estão em greve irracional, presos na greve por procuração, apesar deles e deles. A bola está no nosso acampamento! ...


@

Last updated: Sun Dec 15 08:40:51 2019