A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) France, História, Paris liberado pelo seu povo: Parte 1 A greve ferroviária. (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Sep 01 14:46:17 GMT 2014

Em Paris, a segunda divisão blindada tem apenas dado o golpe mortal para os alemães. Mesmo antes da chegada das tropas aliadas na cidade das luzes, o povo, liderado pelos opositores da FFI, já estava em plena insurreição contra os ocupantes. Eisenhower, então Comandante Supremo das Forças Aliadas na Europa ainda vai dizer: "Nós deu o golpe final para o inimigo, mas Paris já estava nas mãos dos parisienses. "No entanto, os eventos significativos ocorreram antes da insurreição se espalha. O primeiro é a greve ferroviária de 10 de Agosto de 1944. ---- Mais trens para os nazistas! ---- Vendo os Aliados desembarcaram na Normandia, a Confederação Geral do Trabalho (CGT) decidiu colocar a greve geral em suas prioridades. Em 14 de julho de 1944, feriado nacional na França, várias greves e manifestações foram realizadas em Ile-de-France. A Ivry, ferroviário tornou-se ...


(pt) Anarkismo.net: Eleições presidenciais brasileiras e as mazelas deste processo democrático by BrunoL (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Sep 01 14:44:24 GMT 2014

No meio da corrida eleitoral de 1º turno, onde a 7ª economia do mundo vai decidir seu destino consultando a vontade e desinformação da 79ª sociedade mundial em índice de IDH, é preciso fazer uma série de reflexões. Para tal, precisamos ir além da denúncia do esvaziamento da democracia em sua versão liberal e indireta. Entendo que vivemos um problema estruturante, que tem relação direta com dois fenômenos. O primeiro passa pela individualização do cotidiano, com tarefas que se multiplicam e tempos esgotados. O capitalismo em sua era informacional não dá tempo hábil para a vida coletiva e menos ainda para as experiências políticas massivas. Quando isto ocorre, temos uma "crise", como em junho de 2013. Saudável "crise" por sinal. ---- Na ausência de plena capacidade de participação e crítica, a democracia representativa acaba se tornando um ritual onde os ...


(pt) Coletivo Anarquista Luta de Classe CALC - FRENTE DE LUTA PRA NÃO PERDER O HC - LIBERDADE IMEDIATA PARA NICOLAS PACHECO! (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Aug 31 21:27:30 GMT 2014

Prisão arbitrária e ilegal do estudante Nicolas pela Polícia Federal foi usada para intimidar os manifestantes durante os protestos e faz parte da estratégia criminalização dos movimentos sociais ---- O estudante Nicolas Pacheco (18) está preso nesse momento na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba. Acusado de "resistência", "desacato" e "constrangimento ilegal" quando participava de manifestação contra a privatização do HC/UFPR, em sessão do Conselho Universitário que iria votar a adesão do maior hospital público do Paraná à EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares). ---- A prisão de Nicolas é parte de um processo de criminalização contra os movimentos sociais que se intensifica a cada dia no país. O jovem foi brutalmente agarrado pelas costas por agentes da Polícia Federal, imobilizado e algemado, portanto seria impossível ter praticado os ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - Dezoito anos depois de St. Bernard, um trabalhador indocumentado morre ao ser deportado (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Aug 31 08:41:25 GMT 2014

Quinta-feira, 21 agosto, 2014, Abdelhak Goradia, argelino, de 51 anos, morreu no furgão da polícia que o levou para o aeroporto Roissy-Charles-de-Gaulle para a deportação. Uma investigação criminal por homicídio foi aberto após a morte. ---- Dezoito anos após a violenta expulsão de imigrantes sem documentos na Igreja de St. Bernard, o governo Valls está na mesma espiral de racismo de Estado que os governos anteriores: a estigmatização dos imigrantes e ciganos, caça migrantes sem documentos, registros de despejos ... No contexto de ascensão da extrema-direita, esta política só aumentou o ódio aos estrangeiros, perfeito bode expiatório para desviar a atenção das questões sociais reais. ---- Imediatamente o drama conhecido ARC indocumentados de Vincennes, onde Abdelhak Goradia foi retido, decidiu iniciar uma greve de fome com uma lista de exigências e para ...


(pt) Rafael Braga: mais uma vítima do terrorismo de Estado brasileiro by FARJ (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Aug 31 08:40:36 GMT 2014

Nós, assim como muitos militantes revolucionários não temos nenhuma ilusão com a justiça burguesa. Sabemos que a justiça é racista e classista da ponta dos pés aos fios de cabelo e funciona segundo um sistema de dominação. Sabemos que sempre os negros e mais pobres que são julgados, condenados e presos, isso quando não são assassinados pela Polícia Militar (que é a instituição que aplica a pena de morte para pobres e negros no Brasil). Sabemos que a justiça só pode ser pressionada com a luta popular organizada, que ocupa as ruas e faz aqueles que estão no poder serem colocados contra a parede. Sabemos que as prisões, foram feitas, como diria o anarquista Piotr Kropotkin, para extinguir todas as qualidades que torna um ser próprio para a vida social e que o primeiro dever da revolução, "quando as relações do capital e do trabalho tenha se alterado radicalmente" será o de "acabar com ...


(pt) France, Coordenação de Grupos Anarquistas - IAL #100 - Da homofobia "ótimo substituto" ofensiva ideológica da extrema-direita (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Aug 31 08:38:53 GMT 2014

Anti-fascismo - Anti-patriarcado - Anti-racismo ---- Há um ano, Clement Meric caiu nas mãos dos fascistas em Paris. Três meses mais tarde, na Grécia, Pavlos Fyssas, rapper e ativista anti-fascista, foi assassinado pela Golden Dawn neonazistas. Um ano depois, muitos comícios e manifestações comemorou a morte de Clemente, que de Pavlos, mas também a de muitas vítimas anônimas de crimes racistas, homofóbicas, sexistas ou anti-semitas cometidos pelos fascistas. No entanto, apesar destas manifestações numerosas e às vezes enormes (cerca de 8.000 manifestantes · e · s em Paris), que conclusões podem ser tiradas a partir destas "um ano"? ---- Grupos dissolvidos ainda presentes ---- Lembramos que Manuel Valls, então ministro do Interior, levou cinco minutos, entre dois circular racista para proibir a Missão Francesa e da Juventude Nacionalista. Um ano depois, os grupos ...


(pt) COLETIVO QUEBRANDO MUROS - Dia 28.08 (quinta): A Batalha Final Contra a EBSERH (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Aug 30 11:53:35 GMT 2014

No dia 28.08, quinta-feira próxima, existe a enorme possibilidade de ocorrer o conselho que finalmente decidirá pela adesão a EBSERH na UFPR, ou não. Dependendo dos Conselheiros, uma meia dúzia (63 conselheiros), todos/as pessoas que jamais usaram nem vão usar o Hospital de Clínicas (HC), irão decidir pelo futuro de um sem número de trabalhadores que dependem do HC tanto porque ali encontram o Hospital que lhes acolhe, como por ser seu local de emprego (emprego este que será precarizado pela EBESRH, provavelmente terceirizado. ---- Desta forma, somente podemos confiar na força dos de baixo, daqueles que dependem do Hospital a sua defesa integral, ou seja, somente a força das ruas pode barrar a privatização do HC por meio da EBSERH. ---- Por isso, contamos com a sua presença em mais esta batalha, a batalha final contra esta nefasta medida do governo federal e seus ...


(pt) France, Coordenação de Grupos Anarquistas - IAL #100 - Lutas LGBT e feministas em alguns compromissos importantes (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Aug 30 11:52:38 GMT 2014

As paradas do orgulho fazem parte do calendário de ativista LGBT e as lutas feministas, e vários outros momentos de visibilidade, comemoração e reivindicação que acontecem durante todo o ano. ---- > 8 de Março: Dia Internacional dos Direitos das Mulheres, que existe desde o início do século XX. Este dia é politizado por alguns meios de comunicação e anunciantes que rebatizou-o "Dia da Mulher" para melhores buquês de flores venda, jóias e perfumes. Apesar do artifício usual de piadas misóginas inibidas neste incêndio dia, as mulheres estão nas ruas a cada ano, seja em misto ou procissões em recuperar o espaço público em marchas noturnas em um único sexo. ---- > O último domingo de abril: o dia da memória das vítimas e heróis da deportação. Este é trazer a memória da deportação em razão da homossexualidade ainda não é reconhecida oficialmente pela República Francesa. ...


(pt) Coletivo Mineiro Popular Anarquista - Ocupação Guarani-Kaiowá: Ação-Direta, Autonomia, Autogestão e Solidariedade. Leituras de uma militância anarquista (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Aug 29 05:08:55 GMT 2014

Encontro entre indígenas Guarani-Kaiowá e moradores da Ocupação urbana Guarani-Kaiowá Agosto de 2014, Frente de Luta Por Moradia do COMPA ---- Desde meados de outubro do ano passado, o COMPA acompanha a luta da Ocupação Guarani-Kaiowá, situada em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). A Ocupação existe desde 09 de março de 2013 e conta com 150 famílias que ocuparam um terreno que até então abrigava um enorme matagal entregue às moscas da especulação imobiliária. O terreno, que encontrava-se penhorado, cuja empresa proprietária é devedora fiscal (Construtora Muschioni), fica na região do Ressaca, uma região administrativa do município de Contagem que conta com bairros que, em geral, não têm perfil de bairros de alta renda da cidade. ---- OS PRINCÍPIOS E AS CONTRADIÇÕES DO SISTEMA DE ESTADO E CAPITALISTA ---- Estamos juntos com a luta da ocupação por meio da ...


(pt) France, Coordination of Anarchist Groups - IAL #100 - Hoje mais do que nunca, a solidariedade com a luta LGBT! (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Aug 29 05:08:04 GMT 2014

Este texto foi distribuído como um folheto Lyon Grupo de Coordenação de grupos anarquistas durante o curso de Lyon Orgulho LGBT de sábado, 14 junho, 2014. ---- Em 1969, os Estados Unidos, ocorreram tumultos em resposta a um dos muitos ataques que visam o que hoje é chamado de LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, trans · s). Por isso a repressão violenta e diária, oficial (batidas policiais, controlos de identidade, negação de acesso a direitos básicos,...) ou informais (espancamentos, insultos, a contratação de discriminação, estupro, expulsão de famílias, humilhação, ridículo...), a empresa toda a intenção de voltar a LGBT seus armários. Se os modos de repressão pode ser mais insidiosa, a situação não mudou muito. ---- Ponto da situação ---- Uma vez que a lei que permite o casamento de casais homossexuais · s e adoção neste contexto é passado, muitas vezes é dito que a ...


@

Last updated: Mon Sep 01 16:46:25 2014