A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) France, Alternative Libertaire AL #273 - A gestão da água: O intercommunal solúvel comum (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jun 22 16:24:51 GMT 2017

A hierarquia territorial passou por uma grande reviravolta chamou a nossa lei. Esta lei exige um fortalecimento das comunidades regionais e locais, o que irá aumentar suas áreas de competência em 2020. O poder de comunas é muito reduzido, o que pode dar a oportunidade de conquistar outros métodos de gestão, basicamente, por parte dos utilizadores e para-usando exemplo. ---- A nova organização territorial da República (Nossa Act) aprovada em 2015 foi altamente divulgado, mas não por boas razões. Reduzir o número de regiões 23-12 paixões em vez desencadeou a identidade de uma crítica do poder centralizado. Ao aumentar o tamanho das regiões e sua área de especialização, tais como gestão de transportes públicos ou de decisão em matéria económica no território, o Estado queria uma concentração real de poder. Outro símbolo concentração: oito cidades criadas para pesar ...


(pt) federacao anarquista gaucha: Manifesto pela absolvição dos seis integrantes do Bloco de Lutas pelo Transporte Público
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jun 22 04:13:26 GMT 2017

Em 2013, milhares de jovens e trabalhadores foram às ruas para reivindicar direitos básicos que segundo a Constituição Cidadã deveriam ser garantidos pelo Estado brasileiro. Na capital gaúcha, a mobilização iniciou em janeiro e no mês de abril conquistou sua primeira vitória: a derrubada do aumento ilegal das passagens de ônibus. A faísca acendida pelo Bloco de Lutas pelo Transporte Público serviu de exemplo para o país: "Façamos como Porto Alegre", dizia uma faixa nos primeiros atos em São Paulo, onde a repressão brutal da Polícia Militar fez explodir a revolta popular nacional conhecida como Jornadas de Junho. ---- O Bloco de Lutas se constituiu como movimento social amplo reunindo organizações populares, estudantis, sindicais, partidos políticos, movimentos de luta contra o racismo, machismo, LGBTfobia e aderentes de distintas matizes ideológicas vinculadas a luta social. ...


(pt) AVISO 592017. MADRID MUNDO PRIDE 2017 (en, it, ca) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jun 22 04:13:13 GMT 2017

Para Solidaridad Obrera o que aconteceu nesta última semana sobre a abertura do Metro durante a noite de 1 para 2 de julho para a celebração do Dia Mundial Orgulho Madrid 2017, deve levar-nos a uma análise profunda. Os tópicos desta magnitude não pode ser feito até mesmo no limite de tempo ou em quente e muito menos ameaçador. O objetivo de todos é para resolver, planejar e garantir um bom serviço, e especialmente quando ela é a primeira vez que o Metro está enfrentando esta situação. ---- Na 23ª reunião do Comité de Acompanhamento em 21 de abril, o Departamento nos disse em "comitê de petit", que, a pedido do Consorcio Regional de Transportes de Madrid (CRTM), Metro serviria durante as primeiras horas de 1 a 2 julho para a celebração do World Pride 2017 Madrid.
...



(pt) France, Alternative Libertaire AL #273 - Médio Oriente: Outra futuro para Kurdistan? (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jun 22 04:12:00 GMT 2017

A luta do movimento de libertação curdo no Oriente Médio atraindo revolucionários de juros em nossas latitudes, e as edições pretas e vermelhas ainda demonstrar com este livro denso e fornecidos - mais de 800 notas de rodapé página ! O livro é dividido em três partes. ---- No primeiro, Pierre Bance expõe a teoria do municipalismo, tais como Murray Bookchin foi projetado em 1970-1980 anos. Ele também retorna ao seu legítimo lugar no movimento anarquista internacional, que geralmente rejeitada. ---- Em parte, descreve a Confederalismo Democrática teorizou na década de 2000 por Abdullah Öcalan, o fundador do PKK. Pierre Bance sublinha claramente posições anti-autoritários e anti-estatistas. ---- Na terceira parte, a tradução da teoria em prática é cuidadosamente dissecado. Baseado em uma massa de pesquisa incansável, este doutor em direito disseca em pormenor as ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #272 - social, Ferns: A auto-dirigida local para organizar sem isolar (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Jun 21 07:00:55 GMT 2017

Um lugar para experimentar a auto-gestão e democracia direta, é o projeto que ativistas Fougeres (Ille-et-Vilaine) estão vivendo desde 1 de st Maio ---- Desde fevereiro, os militantes, ativistas, moradores e habitantes de Fougeres, sub-prefeitura do norte de Ille-et-Vilaine, na Bretanha, alugar um quarto para torná-lo um lugar que vai experimentar auto-gestão e democracia direta. ---- Este lugar é a política, que visa proporcionar um espaço de encontro, lutas de construção, a partilha de conhecimentos e competências. As actividades serão organizados de acordo com os desejos de cada um: livraria, biblioteca, café pai, sinal do café, móveis construção, reuniões públicas, exibições e discussões, cantinas, escritor pública, aulas de francês, árabe e russo, permanência de sindicatos e organizações políticas ... ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - sindicalismo, Uma vez que uma unidade de agora chamar uma greve geral em setembro! (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Jun 21 07:00:44 GMT 2017

As greves nos últimos meses não respeitaram a trégua eleitoral tradicional e 51% de abstenção nas parlamentar, os trabalhadores rejeitar claramente a destruição anunciada últimos paredes do nosso " modelo social ". Nada deve atrasar a ofensiva contra popular. Extrair lições de falhas recentes. ---- Os chefes de acampamento ---- Com Macron mais do que nunca a burguesia se aplica o ditado mudar tudo para que nada muda. Aparentemente novo, mas ainda as mesmas políticas anti-operárias. macronistes do MP ? 50% dos empregadores, RH e outro advogado-art negócios e 50% de político-não-S-es oportunistas reciclados Greens PS, modem e republicanos, mas 100% mops ! Com o voto de plenos poderes, essa elite renovada (ENA menos, mas mais HEC) vai deixar governar por decreto ... A democracia parlamentar é desnudado. Este é o Medef que leva diretamente todos os poderes. ...


(pt) Em solidariedade combativa a Rafael Braga, anarquistas lançam bombas de tinta no Tribunal de Justiça de Porto Alegre (RS) By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Jun 20 09:15:30 GMT 2017

Expandir o conflito é desbordar qualquer margem que ameace nos conter. Espalhar o conflito é enxergar o instinto anárquico de indocilidade, e poder agir com ele, solidarizar por ele. ---- O sábado 6 de maio, poucos dias depois de que ficamos sabendo da absurda sentença, quando a noite caía, caminhamos em direção do Tribunal de Justiça de Porto Alegre e atiramos contra ele bombas de tinta. ---- O domingo pela manhã já tinham contratado alguém para fazer a faxina do lugar deixando ainda rastros do fato. ---- Uma semana depois, o sábado 13 de maio, fomos ate lá com a mesma vontade e decoramos a fachada de novo. ---- Pouco importa se é simbólico, se só uns quantos estavam trabalhando (de luzes ligadas) aquelas noites e tomaram um susto ao ouvir vidros se quebrando na porta. O que importa é que sua normalidade seja quebrada, que seus dias e suas noites não sejam ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - Tome a rua, Frente social: Rally "Contra Macron e os seus juízos!" (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Jun 20 03:42:41 GMT 2017

Por que dar um período de carência de Macron ? Não "graças" existe para a destruição de empregos e salários para o emprego precário e privado, habitação para os sem-teto e sem documentos ... mais do que nunca " correndo " para regressão social ! Por que esperar e não fazer nada ? Por que dar lugar para a extrema direita ? ---- Presidente " trimestre " ? Macron certamente foi eleito contra Le Pen, mas o programa tem recolhido no 1 st rodada, 8,528,585 votos de 35,737,724 votos expressos. O programa ? Menos Parlamento, mais receitas, nos termos do Código do Trabalho, mais Uber e precária. Macron " quarto " é pressionado, onde os pedidos de procedimento. ---- O cenário da primeira prescrição Macron ? Tudo pronto para julho. O seu conteúdo ? ---- 1 - extensão da prioridade aos acordos de empresa. A lei El Khomri (chamado Trabalho) reservou o tempo de trabalho. Emprego, ...


(pt) [México] Arquivo Eletrônico Ricardo Flores Magón By A.N.A. (ca, en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Jun 19 06:26:20 GMT 2017

O Arquivo Eletrônico Ricardo Flores Magón (atualmente em construção) visa proporcionar ao usuário uma compilação completa dos escritos de revolucionário mexicano. ---- Com o tempo você pode ver a seção de Jornais, onde há uma coleção completa do jornal Regeneração (1900-1918), incluindo a sua seção em italiano (1911), e uma outra, parcial, do semanário Revolução (1907-1908). ---- É também possível consultar dentro das Obras Completas, as seções de Correspondência (1899-1922), obra literária (1910-1917), Artigos Políticos (1900-1918) e Discursos (1910-1918). ---- O interessado encontrará na interativa Rota Magón um passeio pela trajetória biográfica de Ricardo Flores Magón em sites e endereços ligados à sua vida que foram documentados.
...



(pt) France, Alternative Libertaire AL #273 - manutenção, Françoise Vergès (analista político): " Como o capitalismo consegue mulheres barriga racializado ?" (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Jun 19 06:25:56 GMT 2017

Françoise Vergès retorna nesta entrevista sobre as circunstâncias que levaram à escrita de seu livro A barriga da mulher. Capitalismo, racialization, feminismo (Albin Michel, 229 pp., 20 euros). Na década de 1970 milhares de mulheres jovens Reunion submetidos abortos forçados, enquanto na metrópole feministas lutaram pelo direito ao aborto. Como explicar esta diferença de tratamento e como nós o fizemos convida a repensar o feminismo ? Que ligação há entre as barrigas de mulheres, Estados-nação políticos e configuração do capitalismo ? ---- AL: O que o levou a este livro ? ---- Françoise Vergès: Várias perguntas veio a mim. Primeiro, porque no exterior raramente estão presentes na análise pós-colonial [1]na França ? Eles se concentram nos subúrbios e da Imigração e muito raramente no exterior que, como Estados sucessores do império de escravos (Antilhas, ...


@

Last updated: Thu Jun 22 18:24:54 2017