A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) colectivo libertario evora: “A LAS BARRICADAS” EM CURDO PARA HOMENAGEAR AS REVOLUÇÕES ESPANHOLA E DE ROJAVA
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Jul 24 12:04:06 GMT 2016

Para assinalar o 80º aniversário da Revolução espanhola e também o 4º aniversário da Revolução em Rojava foi gravada recentemente uma versão em curdo do hino “Às barricadas” e hoje colocada na internet. ---- Esta versão curda foi gravada em Qamislo, Rojava, por elementos do Centro de Arte e Cultura Mohamed Sêxo. Os participantes na gravação do hino da CNT em curdo referem que “o que aconteceu em Barcelona a 19 de julho de 1936 repetiu-se 76 anos depois. A nossa revolução começou em Kobane e tivemos que colocar a nossa mais forte resistência na sua defesa. Inúmeros camaradas morreram para defenderem a cidade dos fascistas, tal como inúmeros camaradas deram a vida na Catalunha e em Espanha. O espírito da Barcelona revolucionária vive nas ruas das cidades e vilas de Rojava”.
...



(pt) [Grécia] Encontro Luta Anarquista: Atualização da manifestação de solidariedade a refugiados e imigrantes By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Jul 24 12:03:54 GMT 2016

Na quinta-feira 21 de julho nos manifestamos no centro de Tessalônica juntamente com milhares de refugiados, imigrantes e solidários, estimulando mensagens internacionalistas de solidariedade aos refugiados e imigrantes, aos explorados e oprimidos de todo o mundo e contra as fronteiras, a guerra e o totalitarismo contemporâneo. ---- A marcha partiu da Universidade Aristotélica e se moveu por ruas centrais (Egnatia, Ethnikis Amynis, Tsimiski, Paraliaki). No bloco anarquista que se formou após a convocação da A.P.O. [Organização Política Anarquista] participaram aproximadamente 250-300 pessoas. ---- Como anarquista compreendemos a solidariedade como relação entre oprimidos e como práxis política de contraposição ao Estado e patrões. As fronteiras, a guerra e a operação de fundação do totalitarismo contemporâneo são parte integral de um mundo que se encontra já ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - internacional, Turquia: O estado é o golpe; a revolução é liberdade (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Jul 24 12:03:45 GMT 2016

Após o fracasso do golpe militar, o sultão Erdogan I triunfo. movimentos sociais e da esquerda radical se manteve neutro nesta luta de clãs no topo do Estado. Anarquistas DAF dizer a onda reacionária na rua. ---- O golpe, que era uma dimensão latente da política do Estado em nosso país desde o golpe de 1980, ressurgiu abertamente depois de trinta e seis anos, na noite de 15 de julho de 2016. ---- ?Muitos edifícios públicos foram bloqueados por várias horas, durante a sedição militar em Istambul e Ancara. Tudo começou com uma demonstração de aviões de combate em Ancara e bloqueando pontes em Istambul, em seguida, continuou com a tomada de reféns do Chefe do Estado Maior General, o rugido de tanques e tiros fogo nas ruas. Muitos edifícios foram atingidos por F16 e helicópteros, incluindo o Parlamento ea sede dos serviços secretos. Houve trocas de tiros em muitos lugares entre o ...


(pt) [Reino Unido] Anarquistas mascarados entram em conflito com a polícia durante marcha até a casa de Boris Johnson By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Jul 24 12:03:33 GMT 2016

Uma multidão de anarquistas mascarados entrou em conflito com a polícia enquanto tomavam a casa de Brian Johnson durante um protesto. ---- Dezenas de protestantes dispararam bombas de fumaça e brigaram com seguranças que protegiam a casa do novo Secretário do Exterior em Islington durante a desordem. ---- O grupo anarquista Class War, que organizou o protesto, falou aos apoiadores que trouxessem “forquilhas, tochas acesas e raiva incandescente”, numa postagem promovendo o evento em seu sítio eletrônico. ---- Nele está escrito: “Boris, nosso diplomata sênior, [é] o homem que roubou nosso futuro. Agora estamos realmente f******.. ---- “Nós vamos somente sorrir e aguentar isso, ou vamos sorrir e lutar de volta?” ---- Scotland Yard disse que três homens foram presos durante os conflitos raivosos na noite de sexta-feira (15/07). ...


(pt) [Itália] Escritos racistas By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Jul 24 12:03:21 GMT 2016

Foi impregnado com slogans racistas o quadro de avisos do Centro de Estudo Libertário “Luigi Fabbri”. O texto diz: “Musulm… para casa”. O percebemos há alguns dias depois de postar um panfleto comentando sobre os trágicos acontecimentos de Fermo. É mais uma prova do clima racista na subcultura popular neste país, desta subcultura na Europa. ---- Uma subcultura que gera loucura, tragédia, dor e perda das últimas migalhas da humanidade. Alguns tragicômicos da política continuarão a soprar essa cultura do ódio, da caça às bruxas, da rejeição da diversidade, do bode expiatório para desabafar suas frustrações. Ele vai fazê-lo em nome das vítimas de Nice, Istambul, Paris, Dhaka, Bagdá, etc. Também quase justificando a violência e os assassinatos, como o de Fermo, feita por um personagem que se mostra produto, uma vítima também, mas não inocente, desta cultura de ódio. ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL n° special - Controles: greve de pagamento! (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Jul 23 13:26:31 GMT 2016

Voltar em uma vitória dos assalariados um Franprix Saint-Denis, principalmente caixas, que estão lutando por melhores condições de trabalho, salários mais altos e respeitar o código de trabalho. ---- Durante as compras, uma sindicalista fala regularmente com os caixas das lojas (13 assalariados cujo gerente) da atmosfera em Franprix "street Rep '" ... Então, quando ela disse que scams sobre os salários, tempo de pausa inexistente, impôs o trabalho domingo, não-substituição de licença médica, o suficiente, eles entrar em contato com "naturalmente" sindicato local Solidaires Sul St. Denis. Felizmente, UL decidiu realizar linhas directas sindicais dos trabalhadores assalariados mas especialmente para desenvolver seções sindicais em caixas privadas. Após o tempo de discussão significativa, 8 caixas decidir se sindicalizar Solidaires 93 (em conjunto com o Trade do Sul e Serviço). ...


(pt) colectivo libertario evora: (MEMÓRIA LIBERTÁRIA) E A 18 DE JULHO ESTALOU A REVOLUÇÃO EM ESPANHA
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Jul 22 06:54:02 GMT 2016

Assinala-se por estes dias o 80º aniversário do levantamento popular contra o golpe de Estado que pretendia substituir, em Espanha, a República por um regime fascista. Face à sublevação das tropas, os trabalhadores, organizados, sobretudo na CNT anarco-sindicalista (mas também na socialista UGT), e com uma forte presença dos grupos anarquistas da FAI, opuseram-se ao golpe, assaltando os quartéis e os postos da polícia, detendo os militares sublevados e transferindo o poder para os sindicatos. Começou assim a Guerra Civil em Espanha, que depressa – também muito por acção dos anarquistas – se transformou numa autêntica Revolução Social. Embora numericamente numerosos, os libertários depressa ficaram encurralados: tinham de um lado as tropas fascistas, lideradas por Franco, e do outro a tenaz comunista, a soldo de Moscovo e de Stalin que a última coisa que queriam era ...


(pt) [Grécia] Comunicado da Organização Política Anarquista sobre o Pireu e Tessalônica By A.N.A. (en, gr)
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Jul 22 06:53:54 GMT 2016

Comunicado da Organização Política Anarquista (APO) sobre o desalojo do acampamento no porto do Pireu e a repressão às movimentações contra as fronteiras em Tessalônica. ---- Na quinta-feira (14/07) a guarda costeira invadiu o acampamento de refugiados e imigrantes no Pireu e desalojou o Armazém de Pedra. Foram desmanteladas as barracas dos deslocados, destruídos os seus pertences, enquanto as forças de repressão espancaram todos os que resistiram. É óbvio que o Estado e seus mecanismos, utilizando-se ostensivamente do início da temporada turística, almejam a total e permanente expulsão dos imigrantes e refugiados dos espaços públicos e visíveis e sua reclusão nos campos de concentração para controle, sujeição e isolamento social.
...



(pt) alternative libertaire: política, Bloquear tudo se torna vital por AL de Bruxelas (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jul 21 15:42:55 GMT 2016

Em primeiro lugar, devemos entender que consideramos que nenhuma melhoria significativa da nossa existência pode ser esperado no âmbito capitalista e seu sistema político, a democracia parlamentar. A Europa sabe quase continuamente durante 40 anos uma crise económica e social. Esta crise estrutural não pode ser resolvido por uma vontade política que aceitar a estrutura deste sistema: Estado, economia de mercado e da propriedade privada. ---- Acreditamos que esta impossibilidade explica as falhas do Syriza, Podemos e a renúncia de todas as iniciativas de forma explícita ou não querer posar como nova "esquerda radical". A maioria dessas iniciativas assumem que a crise do capitalismo vem da má distribuição da riqueza e em reequilibrar a balança ambos poderiam estimular a economia e permitir que as pessoas a viver melhor. Opomo-nos a esta possibilidade crença de gestão ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL n° spécial 2016 - 2016, 2010, 2003 ... Rupturas portadores de significado (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Jul 21 15:42:47 GMT 2016

O movimento contra a Lei do Trabalho é dupla face. Menos de mobilizar as grandes lutas sociais contra o CPE ou em defesa das pensões, é no entanto esperançoso sua duração (quatro meses já!) E a virada radical da luta. ---- Para os nossos inimigos de classe, a instrumentalização da história é útil para tentar menosprezar aqueles que questionam sua legitimidade. Para eles, o caso é ouvido porque as lutas atuais são minoria em 2006 contra o Contrato do Primeiro Emprego, CPE) e em 2010 (contra quebra pensões) eo país não está bloqueado. É inegável que a dificuldade em massa e bloquear a máquina capitalista é real. ---- Isto é explicado pelo fato de que a França tem 5 a 6 milhões de desempregados, incluindo a quase metade não são compensados-es, um grande número de trabalhadores, a sua precária, a repressão sindical que ajudou a enfraquecer capacidade de luta e organização ...


@

Last updated: Sun Jul 24 14:04:07 2016