A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) RUSGA LIBERTÁRIA, MEMÓRIA DO ASSASSINATO DE NICOLA SACCO E BARTOLOMEO VANZETTI
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Aug 29 17:11:16 GMT 2015

88 ANOS DO ASSASSINATO COMETIDO PELO ESTADO XENOFÓBICO, CAPITALISTA E OPRESSOR! ---- Iniciando a memória do assassinato de Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti – 88 anos do assassinato cometido pelo Estado Xenofóbico, Capitalista e Opressor! ---- Viva a Anarquia! ---- A carta de um condenado ---- Nicola Sacco ---- 21 de agosto de 1927. ---- Da Casa da Morte na prisão de Massachusetts. ---- Meu caro Dante: ---- Ainda espero, e combateremos até o último momento, reivindicando o nosso direito de vida e de liberdade, mas todas as forças do Estado e do dinheiro e reação são implacavelmente contra nós, porque somos libertários ou anarquistas. ---- Escrevo pouco a respeito disto porque és ainda muito criança para compreender estas e outras coisas sobre as quais eu gostaria de conversar contigo. ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL (#252) n° spécial - Leia: Kristin Ross, "O Imaginário da Comuna" (en, it, fr)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Aug 29 17:11:07 GMT 2015

Kristin Ross é particularmente conhecida na França por seu trabalho em Maio de 68 e suas "vidas futuras", onde ela analisou quão bem o evento foi transformado em política imaginário francês para eliminar progressivamente a sua natureza subversiva. Depois de abordar a Comuna de 1871 através de Rimbaud[1], que publicou em Janeiro passado um novo livro sobre a Comuna e sua imaginação, tentando fazer o oposto do "trabalho" de jornalistas em maio de 68. Iniciando pessoas, famosas ou caídos no anonimato, communards ou observadores contemporâneos, ela surgiu a partir da Comuna de Paris teve mais subversivo e mais frutífera. ---- Quase sem abordar a narrativa dos acontecimentos, Kristin Ross está interessado no pensamento da Comuna e, especialmente, extensões deste pensamento nos anos sombrios que se seguiram a semana sangrenta. Entre o poeta Inglês ...


(pt) ait-sp: Panfleto de resposta ao IPPI e à Câmara de Odivelas por AIT-SP Núcleo de Lisboa
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Aug 28 20:33:33 GMT 2015

https://files.acrobat.com/a/preview/b3b773c2-646f-4a07-b834-dcdb935a4f73 ---- Ao Instituto Português de Pedagogia Infantil e à Câmara Municipal de Odivelas Secção Actividades ---- O Instituto Português de Pedagogia Infantil (IPPI), uma Instituição Particular de Solidariedade Social na Póvoa de Santo Adrião, contratou a recibos verdes cerca de 40 professores para as Actividades Extra-curriculares de escolas de 1º Ciclo e jardins de infância de Odivelas para o passado ano lectivo, num acordo com a Câmara Municipal. ---- Apesar de termos consciência de que trabalhar por um salário é uma forma de exploração, havendo sempre quem enriqueça com o fruto do nosso trabalho, a verdade é que é melhor ter um mísero contrato do que estar numa situação de recibos verdes em que a qualquer momento se pode ser despedido e ainda é o trabalhador a ter de fazer por si os descontos para a ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL (#252) n° spécial - 1944 A queda dos movimentos colaboracionistas Bretão (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Aug 28 20:33:33 GMT 2015

Breiz Atao da Lazo louco! "Breiz Atao, bom para matar! "Foi o slogan dos combatentes da resistência Bretão durante a libertação da Grã-Bretanha em agosto de 1944, referindo-se ao bretão jornal nacionalista Breiz Atao (UK Time). Durante a ocupação alemã, na verdade, uma grande parte do movimento político separatista Breton caiu em apoio ativo para o nazismo. ---- Podemos traçar as raízes do movimento Breton contemporânea (o termo Emsav, que significa "movimento" Breton, aparece apenas após a Segunda Guerra Mundial), com a criação em setembro de 1918 de Breton Regionalista União invés direita , que publica uma revista chamada Breiz Atao (UK Time). A bandeira Breton, o "Gwenn-ha-du" (branco e preto), criado em 1925, vai se tornar o principal símbolo do movimento de Breton.
...



(pt) www.anarkismo.net: A encruzilhada do Curdistão socialista by BrunoL (ca)
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Aug 28 20:33:23 GMT 2015

Introdução ---- O advento da primavera árabe e a rebelião sunita contra o governo Assad na Síria oportunizou o exercício de soberania da população curda residindo dentro dos limites deste Estado falido. Em novembro de 2013, isto se concretizou no estabelecimento dos três cantões de Rojava (oeste em curdo), Efrin, Kobane e Cyzire, implicando na construção de uma sociedade de tipo socialista, democrática e feminista. As instâncias de poder são de acesso coletivo, os cargos executivos rotativos e a economia tem base familiar, cooperativada e com experimentos de coletivização. ---- Desde o início do conflito na Síria, o governo de Ankara apoia de forma implícita e por vezes explícita o Estado Islâmico e faz o possível para aumentar a repressão sobre Rojava e as linhas de apoio do outro lado da fronteira. ...


(pt) União Popular Anarquista - UNIPA - EM MEMÓRIA AOS 88 ANOS DO ASSASSINATO DE SACCO E VAZETTI PELO ESTADO NORTE AMERICANO
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Aug 27 07:44:29 GMT 2015

No dia 23 de agosto de 1927, à 88 anos atrás, os anarquistas italianos Nicolás Sacco e Bartolomeu Vanzetti foram assassinados, sentenciados a pena de morte na cadeira elétrica pela justiça do Estado norte-americano. Naquele dia, o proletariado do mundo inteiro derramou lágrimas de sangue e de ódio aos exploradores do povo, sabendo terem perdido gloriosos camaradas da luta revolucionária. Os dois anarquistas foram alvos do maior escândalo jurídico norte-americano, sentenciados sem qualquer prova concreta, com diversas testemunhas falsas (algumas desmascaradas no meio do processo), sob uma forte atmosfera de revanchismo político reacionário e racista. ---- Tal como outros tantos trabalhadores de sua época, Vanzetti e Sacco começaram o envolvimento com a militância através da solidariedade natural pelo sofrimento dos explorados. O jovem Sacco, filho de camponeses ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL (#252) n° spécial - político, XII Congresso da AL: Um momento político decisivo (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Aug 27 07:44:16 GMT 2015

Congresso Libertaire Alternative realizada no final de maio, não muito longe da Pont du Gard. Entre discussões substantivas e momentos festivos, retorne a esta reunião inevitável na vida de uma federação de auto-gestão. ---- O XII Congresso da Alternative Libertaire foi realizada este ano em Castillon-du-Gard, de 23 a 25 de Maio. Oitenta ativistas da AL estavam presentes, bem como membros de organizações irmãs Anarkismo (OSL suíço, FARJ brasileiro ...), mas também de organizações francesas (CGA, NPA, OCML-VP, União ...) . Esta foi uma oportunidade para fazer um balanço das ações passadas e para discutir a estratégia para os próximos dois anos, em comparação com o contexto nacional e internacional. ---- A conferência é um momento importante na vida de AL. Tempo é discutido e redefiniu a linha política e estratégica da organização, é também um momento ...


(pt) Federação Anarquista Gaúcha - FAG (CAB) - O GOLPE EM CURSO SE CHAMA "AJUSTE FISCAL" (en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Aug 26 08:55:41 GMT 2015

Passe o que passe no andar de cima, a faca do ajuste nunca deixa de cortar na carne dos trabalhadores e setores populares. A recessão do país castiga, como sempre, as classes oprimidas. Corta direitos, salários e empregos e levam os serviços públicos à falência. Autoriza o saque do capitalismo de mercado sobre os bens púbicos e comuns, sobre a riqueza criada pelas sucessivas gerações de trabalhadores. "Administra" a pobreza pelos mecanismos criminais da justiça-polícia-prisão. Cria o sujeito indesejável, que perturba a segurança da ordem, o discurso punitivo que encarna o sentido comum do dia-a-dia e acomoda a banalização de uma guerra repressiva e genocida sobre negros e pobres, especialmente a juventude. Qualifica o bom e o mau protesto.
...



(pt) France, Alternative Libertaire AL (#252) n° spécial - Leia: America coleção Libertária (en, it, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Aug 26 08:55:31 GMT 2015

Pergunte ao redor o que é o anarquismo no Norte e Sul América. Quanto mais consciente você provavelmente vai superar os irmãos zapatistas e Magon, Federação dos Trabalhadores argentinos regionais», o caso Sacco e Vanzetti, IWW chileno, o uruguaio Foru ou a influência do anarco-sindicalismo em Cuba eo pensamento de Augusto César Sandino. Mas você pode encontrar pessoas provavelmente muito tempo depois que eu ouvi do anarquismo no Peru, Paraguai, Equador e Brasil. ---- Não há necessidade de olhar: a nova coleção foi lançada em outubro de 2013, dando precisamente esta missão de revelar ao público francês uma história em grande parte desconhecida. Esta coleção é a América Libertária, uma publicação conjunta entre as edições recentes Nada e Black & Red (e as Edições do libertário para o primeiro volume), o álbum tem um nome sugestivo: a Viva social! O tempo passou por vários ...


(pt) Federação Anarquista do Rio de Janeiro FARJ (CAB) - O que sobrou de junho? Uma reflexão sobre o "pós-2013"
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Aug 26 08:55:27 GMT 2015

Candelária, Avenida Rio Branco, Avenida Presidente Vargas, Cinelândia, Avenida Primeiro de Março... O preço da passagem, o aluguel, a alimentação, o custo de vida aumenta para a classe trabalhadora. A política de segurança no Rio de Janeiro, com as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), mata jovens negros trabalhadores e oprime o povo que mora nas favelas. A milícia cresce com a "vista grossa" do poder público. Greves pipocam e são reprimidas pelas forças de segurança, ou são freadas pela burocracia sindical e patrões. A Copa do Mundo de 2014 se aproxima apresentando um Brasil que não existe e é vitrine da propaganda das elites. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (ou plano IIRSA) motivam grandes obras que beneficiam empreiteiros enquanto povos e comunidades são violentamente despejados. ...


@

Last updated: Sat Aug 29 19:11:16 2015