A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) [Alemanha] Trabalhadores sazonais forçam os chefes das fazendas a pagá-los By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri May 29 05:36:18 GMT 2020

Credores que haviam assumido a fazenda de aspargos Spargel Ritter em Bornheim, Bonn, pensavam que poderiam fugir sem pagar o que deviam aos trabalhadores mal pagos, mas uma campanha sólida organizada com o sindicato da FAU[União de Trabalhadores Livres, anarcossindicalista]logo desiludiu-os dessa noção. ---- O problema com Spargel Ritter começou dois meses antes da temporada de colheita que estava para começar em abril deste ano, quando os credores iniciaram processos de falência contra os proprietários Claus e Sabine Ritter. Trabalhadores imigrantes já estavam sendo contratados, principalmente da Romênia, apesar de uma evidente degradação do local, quando os Ritters entraram em problemas financeiros mais profundos.
Um relatório da situação do local em fevereiro descreveu uma bagunça repleta de lixo, onde os contêineres para os trabalhadores não estavam sendo nem mesmo vagamente mantidos e as atividades foram cortadas ao mínimo, uma situação que certamente não melhoraria quando os credores, liderados pelo escritório de advocacia Dr. Schulte-Beckhausen & Bühs se envolveram.
...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #305 - Sindicalismo, Número de telefone gratuito da União: Olá camaradas, boho... (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri May 29 05:33:44 GMT 2020

Assim como a CGT, a Union Syndicale Solidaires abriu, desde os primeiros dias de confinamento, uma linha direta. Centenas de trabalhadores que queriam se defender ligaram para ela. Primeira avaliação da experiência. ---- " Olá, estou ligando para você, porque sou carpinteiro em uma empresa de construção e preciso de informações. Temos um colega doente da Covid-19 onde trabalho, o chefe diz que, como tudo foi limpo, podemos continuar trabalhando, mas, na equipe, temos medo, gostaríamos de saber o que que nós podemos fazer. " ---- Esse é normalmente o tipo de recurso que a "linha direta" do Solidariedade recebe todos os dias. Desde 30 de março, centenas de trabalhadores, principalmente do setor privado, mas também do serviço público, o chamavam para descobrir seus direitos e pedir ajuda para proteger suas vidas e suas condições de trabalho. trabalho. Isso mostra a utilidade desse tipo de ferramenta.

Atingindo as margens mais ameaçadas da força de trabalho
...



(pt) federacao autonoma FAT: CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE AOS CATADORES DE APARECIDA! -- Os Catadores de Aparecida precisam de Você!
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri May 29 05:33:24 GMT 2020

O Comitê Sul e Aparecida, da Federação Autônoma dos Trabalhadores (FAT/GO), está realizando campanha de solidariedade junto aos catadores de Aparecida de Goiânia do MNCR-GO. A Ajuda vai para duas coperativas a Coocap e a Coorfap que é uma coperativa de Mulheres. ---- O objetivo da campanha é arrecadar alimentos que serão destinados para famílias que sofrem com escassez de assistência e estão em condição de vulnerabilidade em tempos de pandemia. ---- Link da Vakinha online:https://www.vakinha.com.br/vaquinha/solidariedade-aos-catadores-de-aparecida-de-goiania ---- A campanha é autônoma, realizada pelo Comitê Sul e Aparecida da FAT/GO e o mesmo será responsável pelo levantamento, contato, distribuição e prestação de contas das doações. ---- SÓ O POVO SALVA O POVO!
https://federacaoautonoma.wordpress.com/2020/05/22/campanha-de-solidariedade-aos-catadores-de-aparecida/
_________________________________________
...



(pt) [Itália] Por que a Anarquia é necessária hoje (e sempre) By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu May 28 06:39:30 GMT 2020

A crise de saúde devido à pandemia do Covid-19 tem multiplicando doenças que normalmente requerem hospitalização severa em emergências cardiorrespiratórias em casos graves, o que tem colapsado os sistemas de saúde de muitos países, particularmente aqueles que aplicaram com mais rigor as prescrições neoliberais para o sucateamento da saúde pública: este é o principal tema de discussão tanto na esfera pública quanto na privada. Agora que em vários países o medo da morte, dos entes queridos e de si mesmo, está gradualmente diminuindo à medida que o número de novas infecções diminui em muitos países, as mortes estão caindo e, gradualmente, sobretudo, os leitos de terapia de emergência estão sendo novamente libertados da superlotação que ocorreu nos piores momentos, embora um novo medo esteja tomando conta: o de uma crise econômica sem precedentes na memória de quase todos os que hoje vivem no planeta.

Neste período, de fato, o colapso da saúde pública fez com que a segregação social se tornasse inevitável em quase todos os lugares para ...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #305 - Antipatriarcado, Contenção: Meu corpo, minha escolha, exceto no período corona ? (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu May 28 06:39:26 GMT 2020

A atual crise da saúde amplia as consequências da sociedade patriarcal. À medida que a violência doméstica aumenta, a polícia assedia os que saem para comprar testes de gravidez e proteções higiênicas, enquanto o acesso ao aborto é complicado e a OMS anuncia falta de preservativos. ---- A violência contra as mulheres, desde o início do parto, aumentou mais de 30% e continua aumentando. Não se pode dizer o suficiente que a maioria da violência (física, sexual e psicológica) sofrida pelas mulheres ocorre em casa. Em um contexto de total isolamento, as mulheres se vêem trancadas com seus agressores, sem possibilidade de fuga. O mesmo se aplica a muitos jovens LGBTI forçados a voltar para famílias para as quais a não aceitação corre o risco de violência.

A violência patriarcal também inclui a da polícia. Testemunhe as mulheres, muitas vezes raciais e trabalhadoras, vítimas de violência e ameaças policiais por simples compras. Várias mulheres contam a história[1]de ameaças de multas e intimidação porque foram comprar proteções ...



(pt) fae bahia: Casos de Feminicídio Crescem Durante a Pandemia
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 27 06:06:47 GMT 2020

"Feminicídios em BH: Duas mulheres foram mortas pelos companheiros. Um suspeito foi preso"; "Mulher é vítima de feminicídio em São Cristóvão"; "Casos de feminicídio sobem 73% nos primeiros três meses de 2020 em relação ao ano anterior no RS"; "Suspeito de matar a mulher em SP é preso em bar ao beber após o crime." "Casos de feminicídio dobram no Acre e governo faz campanha contra violência doméstica" ---- Essas são algumas entres tantas manchetes de diversos sites e reportagens televisivas relatando casos de feminicídio em todo o país só esse ano. Os casos se agravam a partir de março, que inclusive é quando começa o isolamento social recomendado pela OMS por conta da pandemia. Os assassinatos dessas mulheres são efetuados de forma cruel e calculista. Em alguns relatos o agressor diz "sair de e si durante o ato", todos os relatos apontam que a causa foi o ciúmes ou posse. O curioso é observar quantos desses homens se autodeclaram, logo após o feminicídio, vítimas da própria "insanidade". Quando, na verdade, o nome que se dá é crime premeditado. Vejam aqui alguns relato sobre casos que aconteceram em abril desse ano:
"A Polícia Civil de Boituva, a 121 km de São Paulo, prendeu anteontem um homem de 32 anos suspeito de matar a própria esposa, enrolar o ...



(pt) Union Communiste Libertaire Bruxelles - Em Saúde como em STIB: vamos construir luta sindical e autogestão! (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 27 06:06:26 GMT 2020

Pelos Front Syndicalistes Révolutionnaires da UCL Bruxelas ---- O último comunicado de imprensa de La santé en Lutte ilustra a importância do equilíbrio de poder criado pela mobilização autônoma de cuidadores que força o governo, com a contribuição benevolente dos sindicatos, a reativar a chamada concertação social para obter a paz social. ---- Como este comunicado de imprensa conclui muito bem, é essencial permanecer mobilizado na luta, porque apenas a pressão dos trabalhadores forçará o Estado a capitular diante de suas demandas: "A mobilização é a arma definitiva para obter vitórias! Maiores conquistas estão ao nosso alcance! Por isso, exortamos todos os colegas do setor a continuarem as ações e aproveitarem os avisos de greve para manter o equilíbrio de poder. Caso contrário, é improvável que as negociações conduzam a progressos reais. "

Os eventos das últimas semanas no STIB e no setor de saúde pública foram instrutivos sobre o papel dos sindicatos.
...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #305 - Sindicalismo, Metalurgia: Vamos mudar o ar, vamos socializar Luxfer ! (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed May 27 06:06:14 GMT 2020

A fábrica da Luxfer em Gerzat (Puy-de-Dôme) era, até fechar em maio de 2019, a única na União Europeia a produzir garrafas de oxigênio medicinal. Apesar da crise de saúde e da longa luta dos funcionários contra o fechamento do local, o Estado ainda se recusa a nacionalizar a empresa. Diante do apetite capitalista e da negligência do poder público, a socialização da empresa sob o controle dos trabalhadores é uma necessidade. ---- Apesar da recusa do governo em requisitar Luxfer, Axel Peronczyk, delegado da CGT para a fábrica, não desarmou: " Para nós, a luta continua. Nunca parou desde o anúncio do fechamento da fábrica em novembro de 2018. Não desistiremos do acordo, valorizamos esta fábrica e um know-how único que nos deixou orgulhosos. Espero que essas recusas sejam as últimas. "

Reconhecidos por sua leveza e resistência, esses cilindros de oxigênio são encontrados em ambulâncias, caminhões de bombeiros, hospitais e até em casas de repouso para assistência respiratória e oxigenoterapia. É um produto essencial para o setor médico, particularmente em uma ...



(pt) Canada, Collectif Emma Goldman: A extrema direita regional desintegrada e o Covid-19 (en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue May 26 06:07:45 GMT 2020

Se a extrema direita experimentou algum desenvolvimento nos anos anteriores agrupando grupos populistas e islamofóbicos do Facebook e líderes autoproclamados, é claro que o movimento finalmente desapareceu vários meses antes desse confinamento, deixando abrir caminho para uma constelação de indivíduos competindo com egos e frases vazias. Já podemos tirar uma conclusão importante desse resultado precipitado: não é a opinião pública (que vimos bem aberta à circulação dos preconceitos mais grosseiros contra as minorias, escondendo-nos atrás de uma curiosa concepção de liberdade de expressão), nem as autoridades (que, pelo contrário, cuidaram de proteger essas redes odiosas),
Diferentes cenários poderiam ter sido possíveis durante o período de contenção. Felizmente, a tendência geral parece permanecer desintegrante, mas a vigilância continua sendo importante. Hoje como ontem, para cada um de seus gestos odiosos, o lixo minifascista pode esperar uma resposta energética com várias ações para construir e defender uma comunidade inclusiva e anti-racista.

...



(pt) luta fob: RECC/FOB-MS | CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE CAMPO-CIDADE: POR SAÚDE, TETO, TERRA E LIBERDADE!
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue May 26 06:07:06 GMT 2020

A atual crise do COVID-19 possui impacto de maneira geral na sociedade de classes brasileira. No entanto, a pandemia chega com intensidade diferenteem corpos, grupos sociais e regiões específicas, como corpos periféricos e indígenas. No que diz respeito a região da grande Dourados, marcada pelo espaço transcultural e conflitivo entre as aldeias e as cidades, entre centro e interior do estado e do país, a pandemia mostra um contexto de vulnerabilidade da região e dos povos. No Brasil, há aumento vertiginoso de casos do COVID-19 em Terras Indígenas, como consequência do extrativismo e da ação criminosa de ruralistas. Nas principais cidades do estado do Mato Grosso do Sul, pessoas ainda circulam em um fluxo intenso durante o dia, muito devido ao fato de grupos de comerciantes insisterem em continuar com os serviços, bem como outras categorias de empresários, que colocam muitas pessoas em perigo de contaminação e ameaça de desemprego. Nas últimas semanas, por exemplo, observamos a continuidade do trabalho indígena e não-indígena no corte de cana e nos frigoríficos, assim como a rescisão de 1400 contratos de professores municipais, forçando os/as trabalhadores/as a pagarem pela crise econômica e pela crise do coronavírus. ...


@

Last updated: Fri May 29 07:36:19 2020