A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) France, Alternative Libertaire AL #238 -Contents + Edito (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Apr 17 09:48:06 GMT 2014

Content ---- Edito ---- tempo podre até junho? ---- Full-fogo: contra o governo PS-MEDEF: compromisso Terminado ---- Esquerda Radical: Fazer a escolha da rua ---- Frente de Esquerda: O reformismo impossível? ---- 12 abril: Socialismo ou barbárie ---- Lutas ---- Seguro: É sempre as mesmas pessoas que estão fazendo ---- intermitente: de volta aos palcos ---- Educação: ---- reabilitação de cura para PTA Lycéens Gard: A "fruta podre" ter a pele de seu principal --- Idéias ---- Ponto de Vista: Crise do capitalismo ea falsa solução ---- Ecologia ---- Notre-Dame-des-Landes: mais agressivo do que nunca! ---- O anti-racismo ---- Frente Nacional: Skids sem exageros ---- Extrema direita tenta uma oferta pública de aquisição para o popular bairros ---- Antipublicite ---- publicidade campanha publicitária ---- Resistindo Capitalista patriarcado: Bares sexista, uma tautologia ...


(pt) UNIPA, VIA combative #3 - Anarquismo e Questão Agrária
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Apr 17 09:46:25 GMT 2014

Odebate sobre.a questão agrária teve um lugardecisivo na história do O socialismo e das revoluções No campo do marxismo, este debate teve suas posições derivadas da posição de Marx, Engels, Kaustki e Bernstein na social-democracia e depois sendo reformulada por Lenin e Mao-Tse-Tung. Além dessas posições, um setor "nacionalista" e republicano também teorizou a questão agrária e o lugar dos camponeses na revolução (do qual o modelo foi o "populismo russo"). Seja para o marxismo, seja para o republicanismo nacionalistaburguês, o campesinato sempre teve um lugar "instrumental" na política, como veremos. --- Pouco se conhece sobre a contribuição decisiva do anarquismo e das teses coletivistas para a formação dos movimentos sociais camponeses e a luta dos trabalha dores rurais. E ao contrário do nacionalismo e da social-democracia, para o anarquismo o campesinato ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - Crônicas de trabalho alienado: "Um vôo bizness bem organizado..." Eugene, eletrônica mecânica (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Apr 17 09:45:01 GMT 2014

Crônicas de trabalho alienado por Aline Torterat, médico do trabalho -- Eugene, engenheiro eletrônico[1] ---- Comecei minha carreira em mecânica agrícola. Eu sempre amei a mecânica. Em seguida, me especializei em mecatrônica. Durante alguns anos eu instalar fechaduras das máquinas de obras públicas (guindastes, carregadeiras, rolos, etc...). Esta é uma verdadeira especialidade. Esses bloqueios consistem em uma caixa com um PIN de inicialização e um sistema de rastreamento GPS quando o veículo é roubado. Na maioria das vezes, eu colocá-lo, a pedido dos proprietários de máquinas e, por vezes, a pedido do fabricante, se o comprador afirma que segurança. Os fabricantes nunca proteger suas máquinas sem uma ordem do comprador. Voos em sites como ferramentas de grande potência são muito frequentes. ...


(pt) France, Organisation Communiste Libertarie (OCL) - NDDL -- Acusado de es-22 de fevereiro - Com o movimento -- Chamada de solidariedade ativa (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 16 11:57:59 GMT 2014

Vamos agora abordar uma grande vitória para a luta contra o gerente do concessionário e planejamento do território. E que, entre outras coisas, porque aqueles que resistem conseguiram permanecer uni.es apesar desesperado para demonizar a raiva que se expressa em 22 de fevereiro tentativas. No entanto, as prisões, processos e condenações chovem sobre os adversários ... ---- O projecto do aeroporto de Notre Dame des Landes vê a cada dia mais frágil. A manifestação de 22 de Fevereiro viu uma mobilização sem precedentes e mais uma vez demonstrou a força do movimento, com 50.000 pessoas, 500 tratores e 67 carros de toda a França. Na sequência, as declarações e acordos renovou o fato de não iniciar os trabalhos antes da exaustão atualmente movida contra o aeroporto (1), poderia agir seu canto do cisne. ...


(pt) UNIPA, VIA combative #3 - Os estudantes como categoria ocupacional e a estrutura de classes: Combatendo às raízes teóricas do reformismo e oportunismo
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 16 11:41:50 GMT 2014

Os estudantes são uma classe social? Essa pergunta poderia parecer completamente sem sentido e sem importância. Pelas definições sociológicas das mais variadas correntes de pensamento, os estudantes não são uma classe social. E é certo que por uma definição científica de classe social, eles não poderiam ser assim considerados. ---- Mas porque então colocar esta questão? Porque hoje o movimento estudantil, setor estratégico da luta de classes no Brasil e no mundo, é qualificado como "pequeno-burguês" pelos partidos reformistas, que usam de uma base teórica marxista como justificativa para sua política atrasada no movimento estudantil. ---- Mas como veremos, eles estendem por analogia as definições tricotômicas de classes sociais ao universo ocupacional, criando assim uma aura "cientifica" para um argumento essencialmente oportunista. Vejamos então as contradições ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - Direito ao Aborto: Mulheres do mundo com o espanhol (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 16 11:40:35 GMT 2014

Estamos para ser baixado 40000-es nas ruas na França (30 000 Paris), 01 de fevereiro, em apoio espanhol que lutar para defender o direito ao aborto desafiados pelo governo Rajoy. ---- Muitas cidades têm se mobilizado contra o projeto de lei retrógrada aborto risco em Espanha ( ver Alternativa Libertária fevereiro ): Marselha, Toulouse, Caen, Bordeaux, Nantes, Estrasburgo, Bourg-en-Bresse, Albi, Lille, São -Brieuc... Mas é também a solidariedade europeia e internacional foi sentida através de comícios ou manifestações em Bruxelas, Lisboa, Londres, Dublin, Roma, Rabat. ---- Em Lausanne e Genebra, bem como, uma vez que os suíços foram chamados es para votar no mesmo dia que o voto contra a imigração, 9 de fevereiro, em um texto apresentado pela União conservador Democrática do Centro para o fechamento do aborto. Esta iniciativa foi felizmente rejeitada. ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL12 de abril e depois: A unidade é uma luta! (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 16 11:38:45 GMT 2014

Após a manifestação nacional em 12 de abril, o tempo é o balanço patrimonial. ---- 1. Objetivo deste trabalho foi o de tomar a rua em frente à reacionária e para demonstrar que o direito ea FN não tinha o monopólio da oposição ao governo. A partir deste ponto de vista, este é sem dúvida um sucesso e deve ser saudada. Seis dias após o fracasso do Dia da Ira programado pela extrema direita em várias cidades da França, 50.000 pessoas saíram às ruas para denunciar a política do governo Holanda Valls, em bases sociais e até mesmo anticapitalista. ---- 2. A manifestação foi no entanto ganhou que os sindicatos e as associações de controle são mais representados. Eles são muito relutantes em entrar por causa das tentativas grosseiras de manipulação da Frente de Esquerda, que AL havia apontado há várias semanas . ...


(pt) France, Coordination des Groupes Anarchistes - Ecologia Nuclear (painel de discussão) (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Apr 15 12:26:45 GMT 2014

A energia nuclear na França e no mundo, é um tema que pode ser abordado de várias maneiras. Grande projeto e prejudicial imposta se houver, a aventura de usar a energia nuclear para fins militares ou civis se transforma em tragédia, com suas vítimas do passado, presente e futuro. Como? Por quê? Como? Difícil separar a verdade da propaganda estatal. ---- Three Mile Island, Chernobyl, desastre de Fukushima motivo mais sério para vir para os adversários desta tecnologia. Quando é a vez da França a pagar o preço total? ---- Por que é tão teimoso? Que questões? O que se esforça chumbo? ---- Muitas perguntas que vamos tentar responder coletivamente, com a participação de Marie-Christine Gamberini, anteriormente referente de Amigos da Terra em França nucleares e energéticos e assinados "Mulheres de Ação Imediata para parar de Energia atômica " http://www.fairea.fr/ ...


(pt) UNIPA, VIA combative #3 - Entre a tutela estatal e a revolução: Algumas considerações sobre a história do sindicalismo rural e da luta camponesa
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Apr 15 07:34:21 GMT 2014

"A terra pertence a quem nela trabalha, à comuna rural. O capital e os instrumentos de trabalho pertencem aos operários, às associações operárias." Mikhail Bakunin, 1868. ---- 1 - Introdução Os camponeses brasileiros possuem uma longa trajetória de lutas e enfrentamentos com o Estado, porém, é especialmente a partir da década de 1940 que a organização camponesa começa a tomar contornos organizativos nacionais. De fato, o surgimento do sindicalismo oficial é uma importante característica desse processo de luta dos camponeses, no entanto, surge muito mais como elemento negativo do que positivo para os interesses históricos da classe trabalhadora. Enquanto nas cidades e centros urbanos o proletariado teve um forte período sob a direção do sindicalismo revolucionário, modelo organizativo, programático e estratégico baseado na política anarquista na AIT (Associação ...


(pt) Alternative Libertaire AL #237 - CGT perde o norte (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Apr 15 07:31:16 GMT 2014

CGT procura bússola. Unidade sindical com quem, com base em quê, para quê e como? Estes debates em todas as bases da CGT cimeiras. As apostas são altas, tanto para o futuro da União para as mobilizações escala para construir contra as pretensões de MEDEF e contra a política do governo. ---- Você não pode entender nada! Por um lado, Thierry Lepaon garante que CGT não está na oposição ao governo, e na realidade, a CGT denuncia todas as "reformas" levou faróis pensões Holland, Acordo Nacional Interprofissional (ANI) formação profissional, pacto responsabilidade, ASSEDICs acordo... ---- Por um lado, a CGT ea CFDT assinar com UNSA contrapartes plataforma responsabilidade Pacto com uma manifestação em 04 de abril; por outro, ela assinou uma declaração com o Solidariedade, que é um catálogo correto se esforça para liderar, e, finalmente, ela ligou para uma manifestação no dia 18 ...


@

Last updated: Thu Apr 17 11:48:07 2014