A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) Alternative Libertaire AL #237 - Ouça: Archie Shepp, "Attica Blues" (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 23 17:07:41 GMT 2014

No momento da gravação do álbum Attica blues , em 1972, o saxofonista Archie Shepp tem atrás de si uma reputação como um campeão da causa Africano-Americano no jazz. Depois de participar do lançamento do free jazz com o saxofonista Ornette Coleman e pianista Cecil Taylor, ele conhece Coltrane e seus músicos que se abrem as portas da gravadora Impulse!, Conhecida por produzir avant-garde incorridos. Em uma entrevista com EUA SPIT revista que data de 1990, ele retorna a este momento crucial no movimento dos direitos civis e free jazz: "Negros e brancos que ouviram anteriormente a música negra exclusivamente para entreter começou sério ouvir John Coltrane, Ornette Coleman, Cecil Taylor, Albert Ayler e eu. Eu acho que nós temos expandido os horizontes da música, e os jovens brancos foram politizado através de nós, assim como o movimento dos direitos civis ". ...


(pt) Chile, Solidaridad #22 - Melissa Sepulveda*: "Nossos horizontes políticos tem que ser um revolucionário profundamente preocupado" (ca, en) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 23 14:02:25 GMT 2014

Entrevista com Melissa Sepulveda, presidente da DATA e membro da FEL (Solidariedade, No.22) ---- Para começar um novo dia do governo Bachelet, falou com Melissa Sepulveda, presidente da DATA, para elucidar o que as principais diretrizes e perspectivas do movimento estudantil são. ---- No meio do verão, como estamos todos falando sobre o Festival de Viña, nós nos encontramos em um DATA quase vazia, mas já o centro de nosso colega, como vimos, é exigido pela mídia. ---- Melissa reconhece a dívida que o movimento estudantil é transcendental e endereço: dizer e definir o que é "qualidade" na educação ou o conteúdo que nós falamos. E é aqui que uma mulher libertária pode fazer a diferença e definir o tom do debate, porque a educação não é suficiente em que podemos acessar tudo a mesma coisa, quer que a educação vai continuar a jogar os mesmos vícios do capitalismo e ...


(pt) Chile, Solidaridad #22 - Melissa Sepulveda*: "Nossos horizontes políticos tem que ser um revolucionário profundamente preocupado" (ca, en) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Apr 23 14:02:09 GMT 2014

Entrevista com Melissa Sepulveda, presidente da DATA e membro da FEL (Solidariedade, No.22) ---- Para começar um novo dia do governo Bachelet, falou com Melissa Sepulveda, presidente da DATA, para elucidar o que as principais diretrizes e perspectivas do movimento estudantil são. ---- No meio do verão, como estamos todos falando sobre o Festival de Viña, nós nos encontramos em um DATA quase vazia, mas já o centro de nosso colega, como vimos, é exigido pela mídia. ---- Melissa reconhece a dívida que o movimento estudantil é transcendental e endereço: dizer e definir o que é "qualidade" na educação ou o conteúdo que nós falamos. E é aqui que uma mulher libertária pode fazer a diferença e definir o tom do debate, porque a educação não é suficiente em que podemos acessar tudo a mesma coisa, quer que a educação vai continuar a jogar os mesmos vícios do capitalismo e ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - Subversão Classic: Gaston Leval, "libertário Espanha, 1936-1939" (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Apr 22 11:42:06 GMT 2014

Gaston Leval (Pierre Robert Piller), nasceu em 1895. Ativista libertário, ele era um trabalhador braçal, professor, fotógrafo, jornalista, na França, na Espanha e na América Latina. ---- Participante fervoroso na Revolução Espanhola, é muito cedo ciente do saldo desfavorável de acampamento poder antifascista. Ele então começou a "recolher para os resultados futuros desta experiência única" , analisa "no local, nas aldeias coletivizadas, nas fábricas e fábricas socializados, o trabalho construtivo da Revolução Espanhola" , com base na autogestão e democracia direta. ---- As conquistas da época não são apenas o resultado de tendências coletivas espontâneas. Eles também foram encorajados pela apropriação popular de teorias anarquistas, através da construção de um movimento libertário em 1870: grupos locais, jornais, escolas, apoio, revoltas. O milhão de membros ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - Marrocos: Ainda não é primavera! (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Apr 21 15:19:35 GMT 2014

Em um contexto econômico e social totalmente instável, o governo islâmico, bom servo do seu rei, conduz uma política de austeridade que é acompanhado por uma repressão feroz onde as pessoas lutar por seus direitos para perguntar. ---- Em Casablanca, 6 de abril, vários sindicatos de Marrocos (CDT UMT FDT) pediram demonstrações para a justiça social ea defesa do poder de compra dos trabalhadores. Os membros do Movimento de 20 de fevereiro responderam à chamada e procissão de uma centena de pessoas juntou-se às procissões sindicais. ---- Em quase metade do caminho para o evento, a polícia do estado alvo do Movimento procissão de fevereiro 20 e violentamente atacado sem aviso prévio e sem qualquer pretexto legal particular. A operação resultou em várias prisões: Ayoub Boudad Hakim Serroukh Mostapha Aarass, Alharaq Mohamed Hamza Haddi, Bouhlal Youssef, Fouad Amine ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - 1794: O Terror contra a revolução do povo (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Mon Apr 21 15:17:31 GMT 2014

Na primavera de 1794, quando o jovem república francesa está ameaçada pela revolução contra o Comitê de salvação pública que detém a maior parte do poder em setembro 1793 destaca a repressão dos movimentos populares para metodicamente se livrar de todas as correntes políticas radicais que o haviam apoiado. Este inicialmente desejado pelas classes populares para o abate contra o regime do terror revolucionário, se volta contra eles. ---- Desde 10 de agosto de 1792, o que começou como uma revolução burguesa limitada, com o objetivo de estabelecer uma monarquia constitucional, estava lotado. Sombra dia insurrecional a monarquia e estabelecer a República. Uma nova Assembléia Constituinte, a Convenção eleito no mês de setembro de 1792. Em um contexto econômico e político difícil, enquanto que uma boa parte do território francês se levanta contra a República após a ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - Depoimento de presos França prisões, os presos do mundo (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Apr 20 15:56:55 GMT 2014

Um preso testemunha sobre as condições das prisões na França, entre os criminosos que estão confirmados os prisioneiros e supervisores envolvidos no tráfego múltipla existente no ambiente prisional. ---- Bom, embora eu não sei prisões em outros países, mesmo que eu nunca fui para a cadeia antes, eu sei e vejo o meu lugar de confinamento, o sistema prisional francês não funciona. Alguns funcionários da administração prisional são sádica, penalidades para os presos que sofrem, a humilhação, a miséria que o acompanha. Os prisioneiros são forçados a comércio para melhorar as suas condições de vida. Alguns supervisores envolvidos neste tráfego e, assim, aumentar a sua mensal coberto por seus líderes. Alguns estão voltando drogas, celulares e armas aos presos, às vezes, que têm dinheiro para pagar. E quando eu vejo alguns supervisores que são pagos para devolver ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL - Depois de presentes para os empregadores, Valls nos faz pagar a conta (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sun Apr 20 15:02:37 GMT 2014

No final do gabinete, nesta quarta-feira, abril 16, Manuel Valls tem um pouco mais detalhada o que foi (de novo!) Nos atingiu. ---- O objectivo destas novas medidas de austeridade? Financiar os enormes presentes aos capitalista a saber: ---- 20 bilhões EUR de crédito tributário sob o "pacto de competitividade" ---- 10 bilhões EUR no âmbito do "pacto de responsabilidade" ---- 45 bilhões EUR, correspondente à eliminação das contribuições previdenciárias sobre os baixos salários ---- dezenas de bilhões a mais para "manter os compromissos de reduzir os défices públicos", ou seja, os especuladores das finanças ... ---- Para reduzir os gastos públicos em EUR 50 bilhões, Manuel Valls anunciou a cor: novos cortes de empregos no serviço público, que continuará a deteriorar utilidades 'poupança' no seguro de saúde benefícios de congelamento (pensão , habitação, ...


(pt) France, Alternative Libertaire AL #237 - Prisões e Liberdade: O nosso amor pela liberdade é mais forte do que suas paredes (en, fr) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Apr 19 10:37:31 GMT 2014

Hoje, o Estado utiliza todos os sistemas disponíveis para ele repudiar aqueles considerados indesejáveis ou potencialmente prejudicar "a ordem republicana", incluindo "marginal" eo mal-normalizado es nas prisões. Mas apenas a prisão, o que é? ---- Eles são "esquerda" ou direita, os sucessivos governos contam com sistema prisional draconiana e desumanizante para acabar com mais algumas pessoas: "Entre 2001 e 2013, a população em detenção (prisão, liberdade condicional, pulseira electrónica) aumentou 70% (de 47 000 a 80 700) " [ 1 ]. As condições das prisões piores a cada dia. Se isso não fosse suficiente, as medidas implementadas nas prisões são mais rigorosas: proibição de visitar qualquer "revolta", a construção de câmeras ou até mesmo mais complexas abordagens parentes para uma "licença"! Es Na maioria das vezes encarcerados que se atrevem a se ...


(pt) UNIPA, VIA combative #3 - O Levante dos Marginalizados:análise sociológica dos protestos e manifestações populares no Brasil
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Apr 18 17:07:39 GMT 2014

"Pela flor do proletariado, eu entendo sobretudo esta grande massa, estes milhões de não civilizados, de deserdados, de miseráveis e de analfabetos que o Sr.Engels e o Sr. Marx pretendem submeter ao regime paternal de um governo muito forte... Por flor do proletariado, eu entendo esta carne para governo, esta grande canalha popular que, estando quase virgem de toda civilização burguesa, traz no seu seio, nas suas paixões, nos seus instintos, nas suas aspirações, em todas as necessidades e misérias de sua posição coletiva, todos os germes do socialismo futuro, e que só ela é suficientemente forte para inaugurar e para fazer triunfar a Revolução Social" -- Mikhail Bakunin ---- Uma analise teórica é necessária do presente levante popular. A dimensão e significado que o levante assumiu já o torna um dos eventos mais importantes da história da classe trabalhadora e ...


@

Last updated: Wed Apr 23 19:07:44 2014