A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe

Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020

Contribuir para a-infos

A VISÃO de A-INFOS

SUBSCREVA!
Notícias em português

OU


Descubra as Opções OPTIONS
um serviço de notícias multilingue de, para e sobre anarquistas **

Propusemo-nos
ser os escribas do povo.
Do outro lado da história
a história começou.
E terá novos autores....
Esperneia!
Também nós esperneamos


Descubra as Opções disponíveis.
Há diversas listas por idiomas, listas de diferentes projetos e várias formas de entrega.
Dê uma olhada a Mailman a central automática de e-mail de A-Infos...

Na luta por uma sociedade livre, distribuímos notícias e artigos em várias linguas, cobrindo uma vasta área temática.
Que vai desde as lutas laborais, ambientais e anti-imperialistas até ao combate ao racismo, sexismo e homofobia. .

lots of work to do

A-INFOS-ORG

As listas de A-Infos são autogeridas democraticamente por um coletivo organizado internacionalmente. Saiba como participar. Incentivamos especialmente as mulheres, pessoas de lingua não-inglesa e aqueles que vivem fora da Europa e da América do Norte. Veja a lista das nossas atuais diretrizes.

A VISÃO de A-INFOS

O projecto A-Infos é coordenado por um colectivo internacional de activistas revolucionários, anti-autoritários, anti-capitalistas, envolvidos na luta de classes, que entendem como uma luta social total.

São pessoas que se consideram a si próprias anarquistas revolucionários, anarco-comunistas, comunistas libertários e outros que defendem opiniões semelhantes embora usem outros nomes.

A-Infos está organizado por pessoas que assumem o anarquismo como teoria social; que uma revolução é necessária para obtermos uma nova ordem social, sem classes, a qual só poderá ser levada a cabo pela grande maioria dos trabalhadores.

O tipo específico de anarquismo ao qual nos referimos e que promovemos é o anarquismo dos companheiros de Haymarket e dos que foram perseguidos por Carlos Marx durante a Primeira Internacional por criticarem o seu autoritarismo e elitismo, o seu desprezo vanguardista pelas massas assalariadas.

NÃO apoiamos o tipo de anarquismo proposto por alguns pseudo-modernistas e pseudo-"revolucionários" que consideram ser a actividade simbólica substituto das lutas das gentes, do povo; nem o anarquismo de "humanistas" que dão igual ou maior importância a outras tarefas que não à da abolição do sistema capitalista.

O trabalho de A-Infos não está baseado no egoísmo e no egocentrismo, no individualismo, primitivismo, no "capitalismo livre sem estado" ou num estado sem capitalismo livre -- os quais são contra a ordem capitalista vigente mas não oferecem uma nova ordem social de liberdade, de igualdade e de solidariedade.

Não basta que os indivíduos e grupos usem a etiqueta anarquista para que seus textos sejam distribuídos por A-Infos.

Na luta pela sociedade livre, nós distribuímos notícias e artigos em várias línguas, cubrindo um largo espectro de áreas de luta. Isto inclui frentes de trabalho e focos de luta como a batalha contra o racismo, o sexismo e a homofobia.

A-Infos também distribui notícias sobre indígenas anti-colonialistas em luta contra os colonizadores, contra a ocupação e marginalização, assim como também de anti-nacionalistas e de anti-regionalistas separatistas, pois os trabalhadores não têm país, o mundo é um só e NÃO têm exércitos.

A-Infos é uma agência noticiosa especializada, ao serviço do movimento revolucionário de activistas anti-capitalistas envolvidos nos diversos tipos de lutas sociais contra as classes capitalistas e este sistema social.

A-Infos não é um serviço "liberal", aberto, que distribui qualquer coisa que nos seja simpática -- A-Infos não é Indymedia. È o primeiro utensílio de distribuição livre para informar ácerca de colectivos anarquistas (e de outros anti-autoritários revolucionários) que participam na luta.

Os apoiantes e trabalhadores de A-Infos NÃO pensam que são os únicos que decidem quem, no campo do anarquismo social, é um anarquista "real" ou não é. Porém, como os recursos são limitados, temos o direito e a obrigação de escolher (autonomamente) o que distribuímos, o que achamos melhor de entre as várias contribuições e contribuídores.

A liberdade de associação do Colectivo A-Infos está baseada no reconhecimento de que ela não significa nada sem a liberdade de não se associarem, se os trabalhadores e colaboradores assim o entenderem.

A-Infos tem um papel a desempenhar no movimento anarquista mundial. Informação é fortalecimento. A-Infos contribuí para criar um entendimento no movimento internacional. A-Infos é uma extensão das poucas ferramentas organizadoras internacionais do movimento de modo e com a finalidade de lhe ser útil e não um serviço noticioso gratuito para todos.

A-Infos não se limita a ser uma ferramenta interna do movimento. Tal como o FAQ anarquista, também o apresenta ao público em geral e a uma nova geração, tratando de instruí-los sobre os aspectos internacionais do movimento.

A-Infos é uma agência de notícias anarquista autónoma e não é caixa de ressonância de determinado movimento social. Mesmo quando autoproclamados anarquistas (e mesmo que o sejam realmente) estão envolvidos, não existe garantia de que A-Infos distribuirá as suas contribuições. Mesmo que simpatizemos com os movimentos, isso não garante que os artigos sejam colocados.

A-Infos distribui as notícias e as análises que os trabalhadores querem partilhar com a comunidade mundial de activistas anti-autoritários -- principalmente notícias enviadas por colectivos anti-autoritários e relatos àcerca da acção directa na luta social quer por acivistas, quer por outras pessoas que lutam nas suas vidas diárias.

Quem não esteja satisfeito com o serviço que fornecemos, use os serviços de outros ou construa os seus meios próprios.

A-Infos é um instrumento de organização e de informação do movimento -- não é apenas "notícias por, para e ácerca de anarquistas".

Search ainfos with Google.com

we


Últimos títulos:

(pt) [Espanha] Contra as drogas como ferramenta para oprimir os jovens Por Juventudes Libertárias de Madrid By A.N.A. (ca, en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Sep 26 06:18:03 GMT 2020

Das escolas às boates, o uso de drogas é comum entre os jovens. A grande maioria já experimentou álcool ou outras substâncias comuns em algum momento e muitos o fazem com frequência. Não é coincidência que estes estejam no centro de muitas de nossas interações sociais, muitas vezes se estabelecendo como indispensáveis para o desenvolvimento correto destas. Isto, dada sua natureza alienante e destrutiva, gera inúmeros problemas tanto a nível social quanto individual, por isso é importante conhecer seu papel e combatê-las. ---- Dado que o importante neste papel é o efeito que todas elas têm sobre a sociedade, não entramos nas classificações que o Estado faz entre legais ou ilegais, nem naquelas que criaram seus meios de comunicação entre pesadas e leves. Isto serve apenas para justificar o consumo de uma contra a outra por ser mais "segura" ou "saudável", deixando de lado o fato de que nenhuma o é. Esta distinção também se traduz em uma desculpa para exercer um controle ainda maior, desde impostos especiais que enriquecem os governantes até forças policiais especiais que, é claro, operam principalmente em bairros da classe trabalhadora exercendo uma maior repressão. Entretanto, mesmo sendo ilegais, o Estado não hesita em usá-las quando lhe convém, como aconteceu no País Basco com a heroína ou com os Panteras Negras com o crack. Ambos são exemplos de ...


(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #307 - Entrevista, Serge Le Quéau (Solidaires 22), sobre o caso Plaintel: "Esta cooperativa tornaria qualquer relocação impossível" (de, en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Sat Sep 26 06:17:47 GMT 2020

A fábrica da Honeywell em Plaintel era capaz de produzir 200 milhões de máscaras por ano e fechou suas portas alguns meses antes da crise do coronavírus ... Escândalo da lei do mercado que zomba da utilidade social ; escândalo estatal por imprudência criminosa ... Ao se defenderem, os trabalhadores defendem o interesse geral. Serge Le Quéau, porta-voz da Solidaires 22, nos conta mais. ---- Com o desastre do coronavírus, o país descobriu com espanto que não possuía estoque de máscaras, que no entanto são essenciais para proteger os profissionais de saúde, os que estão ao redor dos enfermos e todos os funcionários obrigados a trabalhar. evitar o colapso da sociedade. E nenhuma fábrica capaz de garantir produção suficiente em uma emergência.

No entanto, até 2018, a fábrica da Honeywell em Plaintel (Côtes-d'Armor) tinha uma capacidade de produção de 20 milhões de máscaras por mês. Mas depois de 8 planos "sociais "sucessivos, financiados com dinheiro público, a fábrica cresceu de 300 para 38 funcionários, antes que a ...



(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #307 - O comunismo libertário teria enfrentado melhor a epidemia ? (de, en, fr, it)[traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Sep 25 06:08:46 GMT 2020

O coronavírus expôs poderosamente as falhas do capitalismo e do estado. Mas uma sociedade comunista libertária teria se saído melhor ? Ela teria sido mais resistente ? Podemos responder sim, 90%. E pergunto sobre os 10% restantes. ---- Os ativos inegáveis ---- Impedir o início da epidemia. O capitalismo, ao impulsionar o desmatamento, a pecuária intensiva e a destruição de habitats naturais, aumenta os riscos de transmissão de um agente patogênico da vida selvagem para a pecuária e depois para a população humana [1]. Uma sociedade ecológica reduziria muito esse risco. Devemos começar lembrando isso.
Se, apesar de tudo, um vírus se espalha, o alerta e a contenção devem intervir o mais rápido possível. E, desse ponto de vista, a transparência política seria muito mais eficaz do que a opacidade. Num sistema de autogestão, certamente pode haver negligência, ao nível de um serviço, de um laboratório ou de uma organização, o que atrasa a detecção do perigo. Mas não há burocracia interessada em encobrir o problema, como foi o caso em Wuhan, quando as autoridades regionais chinesas quiseram amordaçar os denunciantes[2].
...



(pt) Movimento de Organização de Base - Paraná: em memória de Gustavo Bueno (14 anos)
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Sep 25 06:08:26 GMT 2020

Nós do MOB-PR prestamos nosso apoio ao ato pacífico puxado por famílias e moradores da Comunidade do Parolin, em memória de Gustavo Bueno (14 anos), Felipe Bueno (16 anos), Elias Pires (17 anos) e Eduardo Augusto (21 anos), jovens assassinados pela Polícia Militar do Paraná, há quase um ano atrás. Um crime que segue impune e sem justiça. ---- Enquanto movimento social comunitário, nos solidarizamos às reivindicações por vida digna nas comunidades, favelas e ocupações do país. Infelizmente, é cada dia mais necessário erguer a voz contra a violência policial e a morte precoce e injusta de tantos jovens. Dia 25 de Setembro será mais um desses dias.
Por cada vida tirada, pedimos às pessoas que podem sua contribuição com essa luta, seja comparecendo ao ato, tomando os cuidados relacionados ao covid-19, ou então compartilhando para que o ocorrido não caia em esquecimento.
Desejamos às mães, irmãs, tias, primas, primos e a todas as pessoas afetadas com a morte dos meninos,muita força nesta luta. Deixamos registrada nossa admiração por tanta determinação e fibra demonstrada pela família e amigos, mesmo diante tanta dor.
...



(pt) [Espanha] Parada a primeira tentativa de desalojo do Ateneu Libertário de Vallekas: a luta segue By A.N.A. (ca, en)
a-infos-pt@ainfos.ca
Fri Sep 25 06:06:28 GMT 2020

Em 16 de setembro passado se voltou a deixar claro que a solidariedade e a ação direta é a melhor arma que dispomos como meio de defesa frente ao Estado e a repressão. Por volta de 150 pessoas de Vallekas e outros bairros da cidade se plantaram na porta do Ateneu para impedir o desalojo do espaço. Não se trata só do desalojo de um espaço, é a defesa da ocupação como ferramenta de luta na guerra social, como ferramenta para criar com nossas próprias mãos, a margem de partidos e instituições, espaços de luta, encontro e aprendizagem. ---- E o conseguimos graças a todos e a todas. Contamos com uma pequena exibição de jornalistas, vans da polícia municipal e o delegado do distrito. Devido à fluência de solidárias, a secretaria judicial não teve outro remédio senão passar direto. Agora, qualquer dia e sem aviso prévio, o Ateneu pode ser desalojado.

Mais especial é esta mostra de solidariedade se tivermos em conta como está se desenvolvendo o discurso repressivo sobre Vallekas (e os ...



(pt) DF, FILIE-SE AO SINDICATO REVOLUCIONÁRIO, SIGA - DF -- Chega de exploração! Filie-se no Sindicato Geral Autônomo! Sindicato Geral Autônomo do DF e Entorno
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Sep 24 07:19:12 GMT 2020

Panfleto 3 por folha em pdf BAIXAR ---- Chega de exploração! De salário baixo, preço caro, ônibus lotado, desemprego, humilhação no trabalho! Os governos mentem! Dizem que a vida vai melhorar só pra se eleger. Enriquecem meia dúzia de empresários, safados! Fomos enganados com PT e também com Bolsonaro. Chega do povo ser feito de otário! Colonizador desgraçado, são 500 anos de atraso! ---- TRABALHADORES NO PODER! ---- Sindicatos dizem que vão fazer por você, mentira! Partidos dizem te representar, cansamos desse papo! Fundamos nosso próprio sindicato revolucionário! Sem permissão do Estado! Sem arregar pro patrão! É na união e ação direta que defendemos cada irmã, cada irmão! Seja greve, barricada, dedo na cara! Vamos lutar com nossas próprias mãos!

A FÉ NA UNIÃO NOS SALVARÁ!

...



(pt) luta fob: As mãos que queimam o Pantanal
a-infos-pt@ainfos.ca
Thu Sep 24 07:17:55 GMT 2020

Agente do PrevFogo disse que dados meteorológicos já apontavam aumento das queimadas em 2020, mas governo atrasou edital para novos brigadistas. ---- O Pantanal possuí a maior superfície inundável do mundo e, por isso, grande biodiversidade. Agora as chamas o ameaçam. Boa parte de suas águas vem de fora, 35% tem origem no Cerrado, hoje com metade do seu bioma destruído. ---- Mesmo sendo o menor bioma brasileiro (com 150 mil km²), o Pantanal possui a maior presença de vegetação nativa preservada, depois da Amazônia. É exatamente por isso que há fogo, pois na visão dos grandes fazendeiros há o que ser destruído. ---- Mas como a maior planície alagável do mundo pode queimar assim? Diretamente por incêndios criminosos e, indiretamente, pela degradação ambiental.

A queimada de mais de 23% da vegetação do Pantanal tem indícios de fogo criminoso, mal intencionado. Cinco fazendeiros do Mato Grosso do Sul estão sob suspeita de autoria dessa atividade criminosa. Objetivos? Transformar áreas de vegetação nativa em espaço para a produção ...



(pt) capital.fora: Desaparecimento forçado de pessoas: uma prática política arraigada do Estado argentino (ca, en, it) [traduccion automatica]
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Sep 23 05:27:48 GMT 2020

Em 1 ° de maio de 1904, convocado pela FOA (em meados desse ano passará a se chamar FORA ), cerca de 80.000 trabalhadores estavam concentrados em Buenos Aires. O ato foi atacado a balas pelo braço armado do Estado e faleceu o operário marítimo Juan Ocampo: tinha 18 anos e protestava junto a colegas da Sociedade de Resistência de Marinheiros e Bombeiros da FOA. Os trabalhadores transferiram o corpo do jovem para o Instalações da FOA, onde à noite e em plena vigília foi sequestrado pela polícia. O corpo do jovem trabalhador simpatizante da FORA é o primeiro desaparecido da classe trabalhadora na Argentina. ---- Em 6 de setembro de 1930, os soldados fascistas agrupados em torno de Uriburu assumiram a administração do Estado argentino. Três dias depois, em Rosário, o pedreiro filiado à FORA Joaquín Penina é detido pela polícia e poucas horas depois é baleado. Ele tinha 27 anos e está desaparecido desde então.

O Forista Joaquin Penina.
...



(pt) cab anarquista: 146 anos do nascimento de Ricardo Flores Magón / Revolução Mexicana
a-infos-pt@ainfos.ca
Wed Sep 23 05:27:32 GMT 2020

Em 16 de setembro de 1874 nasceu Ricardo Flores Magón, anarquista e uma das principais referências da Revolução Mexicana. Atuou no Partido Liberal Mexicano, que se radicaliza nos primeiros anos do século 20, responsável por várias lutas antes e durante o processo revolucionário. Em suas publicações e lutas, Flores Magón combateu a ditadura de Porfírio Díaz, denunciou a tirania latifundiária, e defendeu os trabalhadores do campo, os operários e os indígenas. Influenciou a luta de Emiliano Zapata e do exército camponês e indígena que expropriou latifundiários.
Uma breve biografia de Ricardo Flores Magón pode ser lida aqui: http://anarkismo.net/article/4187
http://cabanarquista.org/2020/09/17/146-anos-do-nascimento-de-ricardo-flores-magon/
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
...



(pt) [Espanha] Crônica de três dias de literatura e anarquismo em Xixón By A.N.A.
a-infos-pt@ainfos.ca
Tue Sep 22 06:11:25 GMT 2020

O "Alcuentru´l Llibru Anarquista d´Asturies" celebrou sua oitava edição com um intenso programa de feira, debates, livros e música. ---- Por Christian Ferreiro ---- O "VIII Alcuentru´l Llibru Anarquista d´Asturies" organizado pela CNT de Xixón, aconteceu entre os dias 3 e 5 de setembro na Casa'l Pueblu de Xixón. Como não poderia ser de outra maneira, estas jornadas foram marcadas pelas medidas sanitárias de segurança quanto ao foro limitado, a distância entre assentos e sua regular limpeza e desinfecção, o uso de máscaras, etc. Apesar destas condições, se poderia dizer que inclusive o ambiente foi mais acolhedor e a afluência notável. É louvável, nestes tempos que correm.
O encontro aconteceu ao longo dos três dias no mesmo local, o da CNT de Xixón: a Casa'l Pueblu. Este local, da histórica central sindical, permaneceu fechado desde 1998 até 2014, ano no qual começaram a celebrar estes encontros do livro. Como seu próprio nome indica, não é meramente uma feira do livro, mas estritamente um encontro: um lugar de abertura no qual possam confluir várias frentes em luta desde uma perspectiva libertária, mediante exposições de livros, mas também de fanzines de diferentes temas, reivindicações, amplificador de diversas organizações em luta, etc. ...



@

Last updated: Sat Sep 26 08:18:04 2020