A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe


Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020

(pt) [Espanha] Lançamento: "Ada Martí. Una mujer anarquista", de Abel Paz Edição de Fernando Casal e Mª Antonia FerrerBy A.N.A. (en)

Date Mon, 28 Sep 2020 08:27:35 +0300


Ada Marti. Un grito en la noche é um livro que Abel Paz - pseudônimo de Diego Camacho Escámez - teve em preparação durante muito tempo e não pôde publicar em vida, e que agora aparece sob o título de Ada Martí. Una mujer anarquista (Ensaio biográfico). Ada foi um mito para Diego. Jovem, atraente tanto intelectual quanto pessoalmente, membro da Federação Estudantil das Consciências Livres (FECL), representava o protótipo da mulher libertária intelectual, assim como Concha Liaño e Soledad Estorach da mulher libertária popular, mitos que a acompanharam durante toda a sua vida. Além do texto biográfico, inclui como anexo uma entrevista com José del Amo e o testemunho de Antonio Pérez González, que fazia parte do grupo original da FECL. Esta edição é complementada por uma coleção de fotografias e documentos que revisam a trajetória de vida de Ada Martí, algumas notas explicativas de rodapé e vários artigos.

Abel Paz

Abel Paz. Foi um historiador anarquista autodidata. Nascido em Almería em 1921, ele passou sua infância e juventude nos ambientes anarcossindicalistas que tanta presença tiveram na Barcelona da época. Exilado na França em 1939, ele sofreu os campos de exílio e as companhias de trabalho da ocupação alemã até fugir e entrar na Espanha para lutar contra o franquismo. Preso, condenado em um Conselho de Guerra, começou um rosário de prisões até que em 1954 quebrou sua liberdade provisória, marchando para a França. Toulouse, Brezolles, Clermont-Ferrand e Paris fazem parte de sua geografia física naquela época, como Antonia Fontanillas, Abelina Ronchera e Jenny Benimeli farão parte de sua geografia sentimental. Após a morte do ditador, ele voltou à Espanha, onde desenvolveu uma intensa atividade de difusão das idéias libertárias, bem como a publicação de uma dúzia de livros.

Ada Martí. Una mujer anarquista

Abel Paz

Edición de Fernando Casal, Mª Antonia Ferrer.

Editorial Renacimiento, Colección Biblioteca de la Memoria, 89. Sevilla 2020

256 págs. Rústica 21×15 cm

ISBN 9788417950934

17,01 €

editorialrenacimiento.com

agência de notícias anarquistas-ana
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt