A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe


Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018

(pt) France, Alternative Libertaire AL #285 - Declaração conjunta: Um processo de discussão entre AL e CGA (en, fr, it)[traduccion automatica]

Date Sun, 15 Jul 2018 14:32:18 +0300


Diante do endurecimento generalizado da situação social e política, a Alternativa Libertaire (AL) e a Coordenação de Grupos Anarquistas (CGA) iniciaram há alguns meses um processo de discussão de qual dos possíveis resultados é uma unificação, com a fundação de uma nova organização comunista libertária. Por mais de quinze anos, nossas duas organizações participaram, separadamente ou em conjunto, em muitas frentes de lutas comuns, mantendo suas especificidades. ---- Os ataques capitalistas e os retiros sociais que eles causam enfraquecem consideravelmente o campo dos trabalhadores. É ainda mais difícil, nesse contexto, mobilizar-se contra o reforço do aparato repressivo e de segurança - estado permanente de emergência, leis antiterroristas, criminalização do movimento social, quadratura policial dos distritos populares - contra a caça do migrantes, ou contra o perigo fascista e reacionário.

Com a derrota do movimento contra as leis trabalhistas em 2016-2017, e as dificuldades desta primavera para combater os ataques na SNCF e na universidade, o movimento social parece estar fora de estratégia. No entanto, a luta de classes continua, como evidenciado por muitas greves e lutas locais e às vezes vitoriosas. Mas nos últimos dez anos, essas resistências dispersas lutaram para se unir a um vasto movimento de resistência capaz de reverter o equilíbrio de poder com o Estado e o capitalismo.

A implicação dos anarquistas sociais e dos comunistas libertários nas lutas sociais é, portanto, mais do que nunca necessária. Nossa tarefa é imensa, não podemos nos satisfazer com lamentações derrotistas ou, inversamente, com proclamações triunfalistas que obscureceriam a importância do trabalho político de longo prazo.

A união é força
Embora esteja atualmente em dificuldades, o movimento social e sindical continua sendo um ator fundamental na construção de um possível contra-ataque. Porque reúne o maior proletariado em toda a sua diversidade, seja em empresas ou bairros. Porque é o embrião de uma possível apropriação coletiva dos meios de produção sem os quais não há uma revolução anticapitalista concebível.

É por isso que os comunistas libertários e os anarquistas sociais o tornam o veículo essencial de sua estratégia revolucionária. Sem formar uma facção de manobra, eles se esforçam para promover práticas federalistas, autogeridas e antipatriarcas e anti-racistas. Eles e eles defendem uma política de construir lutas pela base, longe da rotina burocrática do dirigista, das ilusões eleitorais como a agitação do incantatório ultra-esquerdista e não o amanhã.

No entanto, a corrente libertária não pode se limitar a agir anonimamente dentro do movimento social e sindical. Ele também é responsável por desenvolver uma organização que dê visibilidade ao projeto anticapitalista e autogerenciador que realizamos.

Um processo delimitado
É nessas observações compartilhadas que a AL e a CGA iniciaram, desde fevereiro de 2018, um processo de discussão com vistas a uma possível aproximação de nossas organizações.

Uma discussão interminável ficaria vazia. A AL e a CGA desenvolveram, portanto, um roteiro preciso com sucessivos pontos de discussão e pontos de verificação, cada um para garantir o controle coletivo do processo. Deve durar cerca de um ano e, se terminar, levar a um congresso conjunto que decidirá sobre a unificação. Um congresso é a escolha de um processo transparente, com a participação de todos, longe de " negociações de equipe " e acordos ilícitos. AL e CGA têm por trás deles uma história, um funcionamento, práticas, diretrizes desenvolvidas coletivamente ; apenas um congresso tem legitimidade para modificá-los.

O processo de discussão entre a AL e a CGA pode ser aberto a outros grupos comunistas anarquistas libertários ou revolucionários.

Alternativa Libertária (AL) e Coordenação de Grupos Anarquistas (CGA)

http://www.alternativelibertaire.org/?Declaration-commune-Un-processus-de-discussion-entre-AL-et-CGA
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt