A - I n f o s

uma agência de notícias multilínguas de, por e para anarquistas **
Notícias em todos os idiomas
Últimas 30 mensagens (Portal) Mensagens das últimas duas semanas Nossos arquivos de mensagens antigas

As últimas cem mensagens, por idiomas em
Castellano_ Català_ Chinês_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Grego_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

Primeiras Linhas Das Dez últimas Mensagens
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe


Primeiras linhas de todas as mensagens das últimas 24 horas
Indices das primeiras linhas de todas as mensagens dos últimos 30 dias | de 2002 | de 2003
| de 2004 | de 2005 | de 2006 | de 2007 | de 2008 | de 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018

(pt) [Espanha] A CGT se soma à homenagem à médica anarquista Amparo Poch By A.N.A. (ca, en)

Date Sat, 7 Jul 2018 11:08:16 +0300


O sindicato CGT irá nesta quarta-feira, 4 de julho, à homenagem à médica anarquista Amparo Poch com a intenção de reivindicar e resgatar do esquecimento a importância de seu papel no âmbito libertário. ---- O lugar escolhido para a homenagem não poderia ser mais acertado, a rua Madre Rafols Nº 9 onde a doutora e anarquista Amparo Poch fez sua primeira consulta. Amparo não pode estudar em um primeiro momento Medicina pela negativa de seu pai, que defendia que era uma carreira só para homens, pelo que estudou Magistério. Pouco depois romperia com as obrigações paternas e se matriculou em Medicinas licenciando-se, com prêmio extraordinário na seção de Ciências, em 1929 com matrícula de honra em todas as matérias (28 matrículas de honra). Em sua promoção se licenciaram 97 homens e 2 mulheres. Foi a segunda mulher a licenciar-se na Faculdade de Medicina de Zaragoza.

Amparo pôs em marcha programas de educação sanitária para mulheres obreiras e desenvolveu um grande trabalho na saúde infantil para reduzir as altas taxas de mortalidade da época.

Mas fora do âmbito científico, Amparo foi uma destacada figura dentro do mundo anarquista da época. Foi uma das fundadoras, antes do início da Guerra, da revista Mujeres Libres. Durante a Guerra trabalhou no Ministério da Saúde com Federica Montseny como diretora de Assistência Social entre 1936 e 1937. Organizou expedições de crianças refugiadas ao México, França e Rússia. Dirigiu o projeto de Lares Infantis que substituiu os antigos asilos e orfanatos e dotou de um lar os órfãos da República. Também foi médica nas milícias até que se viu obrigada a exilar-se na França em 1939, onde não pôde trabalhar como médica até 1946. A enfermidade a consumiu na decadência física, e alienação mental e amargura do caráter. Faleceu em 15 de abril de 1968 em Toulouse.

Desde a CGT queremos recordar a memória de uma mulher tão importante e destacada em seus dois âmbitos; o científico e o anarquista. Por isso fazemos um chamado para irem homenagear Amparo Poch.

CGT ARAGÃO

Fonte: http://rojoynegro.info/articulo/eje-violeta/cgt-se-suma-al-homenaje-la-m%C3%A9dica-anarquista-amparo-poch

Tradução > Sol de Abril
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt