A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ _The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_
First few lines of all posts of last 24 hours | of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019 | of 2020 | of 2021

Syndication Of A-Infos - including RDF - How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups

(pt) France, UCL AL #315 - Edito, A violência das margens (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

Date Thu, 8 Apr 2021 10:05:15 +0300


Nas últimas semanas, vários adolescentes morreram e outros ficaram feridos em confrontos entre gangues rivais. A violência não é nova, mas ainda assim dramática. Em primeiro lugar na capacidade humana, mas também destacando as lógicas sociais em ação nesses confrontos coletivos. Porque os meninos - e às vezes as meninas - que fazem as gangues fazem parte das formas de marginalização escolar, familiar e econômica. ---- Pertencer a uma gangue permite realizações proibidas pela marginalização: construir laços de lealdade e buscar reputação por meio de transgressões que, em última análise, são muito conformistas. Porque a luta e a violência obedecem antes de tudo a uma lógica da competição, valor cardinal do capitalismo, mas também a um virilismo juvenil.

Mas a resposta da polícia e da segurança reflete o cinismo dos políticos. Eles não se importam em resolver o problema. Sua única ambição é mobilizar marcialmente seu eleitorado, pouco preocupado com esses confrontos. Os que sofrem - adolescentes, pais, educadores, professores - são entregues à impotência produzida em grande parte pela destruição dos serviços públicos (educação, serviços sociais, associações ou prevenção especializada) que apaga os adultos do quotidiano destes jovens. As políticas anti-sociais apenas alimentam os problemas da violência, e os únicos caminhos possíveis continuam sendo a mobilização e a iniciativa de quem vive e trabalha nesses bairros.

UCL, 24 de março de 2021

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?La-violence-des-marges
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center