A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_
First few lines of all posts of last 24 hours

Links to indexes of first few lines of all posts of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018

Syndication Of A-Infos - including RDF - How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups

(pt) France, Alternative Libertaire AL #280 - Cinema: A Fábrica de Nada (en, fr, pt) [traduccion automatica]

Date Sun, 11 Mar 2018 10:09:56 +0200


A irrupção do mundo do trabalho no campo cinematográfico é rara o suficiente para ser sublinhada. Além disso, The Factory of Nothing, o filme português Pedro Pinho, faz com brio e coloca o pacote: três horas de filme e conteúdo político assumido. ---- A história começa quando os trabalhadores de uma fábrica de elevadores nos subúrbios de Lisboa surpreendem uma equipe que trouxe as máquinas de sua fábrica no meio da noite. No dia seguinte, a situação torna-se mais clara, quando os executivos carnívoros vêm explicar-lhes que, diante das dificuldades de seus negócios, seria mais razoável sair com um pequeno ninho. Uma situação que tem visto centenas de milhares de trabalhadores em toda a Europa e no mundo nesta década de crise. ---- A partir daí, o filme explorará as possibilidades disponíveis para que os funcionários saibam sua situação. Se a inércia e o desespero prevalecem primeiro, a greve, a ocupação, a resistência contra os chefes e a polícia que tentam desalojá-los, então a perspectiva de uma recuperação cooperativa da fábrica, são então implementadas. Mesmo a hipótese da luta armada está prevista - e rapidamente varrida - por ocasião de uma cena muito engraçada onde uma caixa de metralhadoras que vem da revolução dos Cravos é desenterrada pelo pai de um trabalhador. Este encenação do coletivo e da autogestão é salutar em um momento em que a retirada individualista ameaça toda a sociedade e especialmente a classe trabalhadora. Esta realidade não é negada pelo filme: Os funcionários aceitam a chantagem da administração e saem com compensação. Mas é uma solidariedade que triunfa.
https://www.youtube.com/watch?v=ULPDQpuaalI

Além de seu conteúdo, o filme encontra sua força em um estadio que oscila entre quase narrativas documentais e escapadas poéticas, que culmina em uma cena de comédia musical fantástica e fantástica, o que parece lembrar que o coletivo possibilita todos os sonhos, mesmo para os trabalhadores e trabalhadores mutilados pela globalização.

Vincent (AL Saint-Denis)

Pedro Pinho, The Factory of Nothing, 2017, 2:57.

http://www.alternativelibertaire.org/?Cinema-L-Usine-de-rien
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center