A - I n f o s

a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **
News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts Our archives of old posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Catalan_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_
First few lines of all posts of last 24 hours

Links to indexes of first few lines of all posts of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2014 | of 2015 | of 2016 | of 2017

Syndication Of A-Infos - including RDF - How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups

(pt) France, Alternative Libertaire - Comunicado de imprensa da CNT - Solidaridad Obrera - CGT,ENFRENTANDO A SITUAÇÃO NA CATALUNHA por AL Gard (ca, en, it, fr) [traduccion automatica]

Date Wed, 1 Nov 2017 09:29:19 +0200


Nós, as organizações signatárias, compartilhamos a preocupação com a situação na Catalunha, a repressão desencadeada pelo Estado, a perda de direitos e liberdades que isso pressupõe e supõe e o surgimento de um antigo nacionalismo que aparece novamente em uma grande parte do estado espanhol. ---- Defendemos a emancipação de todos os trabalhadores na Catalunha e em todo o mundo. Talvez, neste contexto, devemos lembrar que não compreendemos o direito à autodeterminação como entendido por partidos e organizações nacionalistas, mas para nós é o direito à autogestão em determinado território . ---- Entendido dessa maneira, a autodeterminação passa mais pelo controle da produção e do consumo pelos trabalhadores, por uma democracia direta de baixo para cima, organizada de acordo com os princípios federalistas, do que pela criação de um nova fronteira ou a criação de um novo estado. Como internacionalistas, acreditamos que a solidariedade entre os trabalhadores não deve limitar-se às fronteiras do estado, por isso não importa onde elas estejam.

O que parece realmente preocupante é a reação no resto do estado ; a exaltação de um "espanholismo" rançoso, remanescente de tempos anteriores, encorajados pelos meios de comunicação e em consonância com a deriva autoritária do governo, tem patente desde o encarceramento de pessoas por defender os atos de desobediência ou a aplicação de Artigo 155 da Constituição.

Não nos escapou que esse aumento nacionalista baseie a próxima limitação de direitos e liberdades, contra a qual devemos nos proteger. A unidade vibrante das chamadas " forças democráticas " para justificar a repressão aumenta um horizonte escuro para todos os futuros dissidentes. Parece que o regime pós-franquia que nos governou por 40 anos, está fechando as fileiras para garantir sua continuidade.

Este regime, que existia e existia na Catalunha, como no resto do Estado espanhol, sente que sua própria sobrevivência está em jogo. Amputadamente questionada e submetida a uma profunda crise de legitimidade, observa, alarmada, o número crescendo a partir de frentes abertas. Para a ameaça à integridade territorial do Estado, são adicionados os escândalos da corrupção, a perda de prestígio da monarquia, o questionamento das restrições aplicadas à população, o descontentamento que causa a escravidão no trabalho devido às mais recentes reformas trabalhistas, ao alongamento da idade de aposentadoria, ao declínio das pensões, etc ... Os constantes apelos para defender a constituição devem ser entendidos como o tocsin para interromper esta verdadeira crise existencial que eu 'assaltos. O perigo é que, nesse processo, comportamentos repressivos - como os que ocorreram recentemente em várias cidades catalãs - tornam-se a norma. Ou pior comportamento.

Obviamente, não sabemos em que direção os eventos irão. Nós permaneceremos atentos e atentos ao que está acontecendo, dispostos a defender os interesses dos trabalhadores em todo o estado. Nós nos oporemos com toda a nossa força a repressão e a normalização das atitudes ultra-direita, que já sentimos. Claro, não nos deixaremos manipular pelas estratégias dos partidos políticos cujos objetivos são estranhos para nós. Ao mesmo tempo, não vamos parar de apoiar as mobilizações da classe trabalhadora quando decidir, finalmente é hora de se livrar dos ditames das elites políticas e econômicas que por muito tempo têm trabalhado para controlar o território para servir exclusivamente seus próprios interesses.

Como organizações sindicais de classe, libertária e combativa, estaremos na rua, em mobilizações, como fizemos em muitas outras ocasiões, contra a repressão, restrições de direitos e liberdades e contra corrupção.

Pode ser que a crise na Catalunha seja o golpe de graça de um modelo de estado moribundo. Se esta mudança é resolvida de uma forma ou de outra depende da nossa capacidade, como classe, de levar o processo na direção oposta à repressão e ao surgimento do nacionalismo. Deixe-nos confiar em nossa capacidade de garantir que o resultado final seja mais liberdade e direitos e não o contrário. Nós jogamos grande.

POR DIREITOS E LIBERDADES !

CONTRA A REPRESSÃO DAS CLASSES LABORIEUS !

http://www.alternativelibertaire.org/?FACE-A-LA-SITUATION-EN-CATALOGNE
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center