A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2015 | of 2016 | of 2017 | of 2018 | of 2019

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) France, Union Communiste Libertaire - A força das mulheres muda o mundo Junte-se a nós na UCL (en, fr, it)[traduccion automatica]

Date Sun, 8 Sep 2019 09:35:11 +0300


Nossa organização, a União Comunista Libertária (UCL), foi criada em 8 de junho de 2019. Nasceu da fusão da Alternative Libertaire (AL) e da Coordenação de Grupos Anarquistas (CGA). As mulheres de ambas as organizações foram amplamente envolvidas nesse processo de fundação. Hoje, muitos camaradas comunistas libertários se juntam a nós para continuar conosco o importante trabalho iniciado nas lutas feministas e antipatriarcais: treinamento, apoio à auto-organização das mulheres, desenvolvimento e disseminação de práticas e ferramentas feministas, espaços solidariedade não mista, de nossos aliados, etc., proteção das mulheres dentro e fora da organização. ---- Quando as mulheres se levantam, as pessoas avançam ---- Em todo o mundo, mulheres revolucionárias estão se organizando e lutando mais do que nunca para defender seus direitos, denunciar a violência machista, combater o patriarcado e o capitalismo.

Em 8 de março de 2018, as mulheres zapatistas organizaram uma reunião que reuniu 8.000 mulheres de todo o mundo que estão lutando. Eles então afirmaram a necessidade de acabar com o sistema capitalista patriarcal. Na América Latina, numerosos eventos são organizados para denunciar feminicídios sob o lema " Ni una menos " (" nem um a menos "). No Brasil, as mulheres saíram às ruas contra a eleição do candidato de extrema direita Bolsonaro, assumindo " Ele Nao " (não ele).

Em 8 de março de 2018 e 2019, as mulheres conseguiram se unir e reunir milhões nas principais cidades espanholas. As mulheres curdas estão construindo um forte movimento feminista anti-tribal e estão preparando um Encontro Mundial das Mulheres para 2020.

Vamos confiar nessas experiências, encontrar forças para nos reunirmos e nos organizarmos. Sem nós, mulheres, o mundo não funciona !

Feministas libertárias, lutamos contra todas as opressões
Nosso feminismo libertário está na encruzilhada das lutas contra todas as explorações e opressões. Ele é anticapitalista, ecologista e anti-racista. Nossas aspirações democráticas são antiestatais. Não acreditamos que o fortalecimento do Estado seja uma solução, mas que ele faça parte do problema, principalmente porque torna o trabalho mais precário, contribui para a destruição dos serviços públicos, atropela nossas conquistas sociais (fechamento da maternidade). , planejamento familiar e centros de IVG ...). As mulheres são as primeiras vítimas dessas políticas mortais.

Quanto à polícia e à justiça, elas não apenas protegem as mulheres, mas as deixam presas de seus agressores e assassinos. O número de feminicídios em todo o mundo e na França continua a aumentar. Os golpes no corpo das mulheres são diários. As leis são inadequadas e os meios são irrisórios diante dessa emergência.

Se lutarmos para melhorar nossas condições de vida aqui e agora, também estamos lutando para abolir o patriarcado. O patriarcado é um sistema político, econômico e social baseado na divisão sexual do trabalho por meio da exploração doméstica e do domínio de nossos corpos, vidas e sexualidades. Baseia-se na submissão física, psíquica e econômica das mulheres. Qualquer desvio dessas atribuições é sancionado para garantir a manutenção da ordem social e de gênero. Como tal, afirmamos que as lutas feministas e anti-LGBTIfobia estão intimamente ligadas e devem ser realizadas lado a lado sem apagar suas especificidades.

Nenhum lugar escapa à violência, nenhum lugar escapa à nossa vigilância

Faça o download do folheto em pdf
É por isso que somos revolucionários, investimos em nossos sindicatos, nossas associações, nossos locais de trabalho, de vida, nossos coletivos. Hoje é fundamental nos unir, nos unir e convocamos todos aqueles que se encontram nesses valores a se organizarem conosco para realizar nossas lutas.

A organização é uma arma ! Pedimos agora às mulheres que se organizem, construam contra-poderes em todos os lugares, desenvolvam solidariedades e espaços para a emancipação, que se juntem a nós na união comunista libertária.

Viva aqueles que lutam ! Todos juntos vamos vencer !

http://www.alternativelibertaire.org/?La-force-des-femmes-change-le-monde-Rejoignez-nous-au-sein-de-l-UCL
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center