A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011 | of 2012 | of 2013 | of 2015 | of 2016 | of 2017

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) France, Alternative Libertaire AL Septembre - Educação vocacional: escolas secundárias para empregadores (en, it, fr) [traduccion automatica]

Date Sun, 24 Sep 2017 07:55:53 +0300


Durante anos, políticos e empregadores criticaram o ensino vocacional culpando-o por seu " desajuste " e acusando-o erroneamente de ser removido da empresa. É uma aposta segura que o governo ataca esta relação pobre da Educação Nacional. ---- Na França, o liceu vocacional não é a única instituição a preparar um diploma profissional (CAP, BEP e bacharelado profissional). Na verdade, centros de treinamento para aprendizes (CFA), também preparam esse tipo de diplomas. Nos lycées profissionais, os alunos estão sob o status de escola, enquanto em CFAs, que são resultado de um acordo entre os conselhos regionais e parceiros privados (câmaras de comércio e empresas), eles são alternados sob contrato de trabalho (o aprendiz). e é um funcionário. É nessa distinção que se encontra uma das principais questões relativas ao futuro dos lycées profissionais.

Os jurados que combatem o desemprego entre os jovens, os empregadores, o governo e as regiões estão desafiando o caminho vocacional no estado da escola, promovendo e financiando o sistema de aprendizagem. Mas os motivos são bastante diferentes.

regionalização

O governo quer regionalizar a educação profissional para colocá-la sob o controle das regiões e das organizações de empregadores. Em conjunto com as regiões, a Medef afirma ter a mão no desenho de diplomas, agora sob a supervisão dos Ministérios da Educação Nacional e da Agricultura.

Esta regionalização amputaria o caminho vocacional da Educação Nacional, tornando mais difícil para os graduados e graduados pro a continuação de estudos em BTS ou pro licença. Além disso, as regiões irão tentar reduzir a oferta de formação em licicões profissionais, incentivando a aprendizagem, levando à especialização dos territórios e acentuando assim as desigualdades entre eles.

César (AL Saint-Denis)

http://www.alternativelibertaire.org/?Enseignement-professionnel-Des-lycees-au-service-du-patronat
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt
A-Infos Information Center