A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Trk�_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Greek_ 中文 Chinese_ Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Trk�
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007 | of 2008 | of 2009 | of 2010 | of 2011

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [França] "La Marmite", um projeto autogestionári o , bio e vegetariano

Date Mon, 12 Sep 2011 12:47:42 +0200


"La Marmite" o que é?
La Marmite [caldeirão] é uma cantina autogestionada, bio e vegetariana, que organiza
refeições coletivas. Montada pelo grupo de Chambéry da Federação Anarquista
francófona. La Marmite tem por objetivo pôr em ação a autogestão em torno de um
projeto concreto e, na organização das refeições, desenvolver outras relações entre
os indivíduos.
Baseada nos princípios de igualdade, solidariedade, responsabilização, reapropriação
do espaço público e auto-organização. Ele é um meio de se desenvolver na prática
autogestionária, de confrontar os funcionamentos logo de princípio, e de mostrar que
essas alternativas são possíveis.


A autogestão

La Marmite é um projeto autogerido pelos membros do grupo FA de Chambéry. Isso
significa que no grupo organizador, não há chefe, nem responsável designado, mas sim
uma organização coletiva e uma responsabilização individual. Nós praticamos a
rotação de tarefas, não há especialização, mesmo se houverem competências diversas,
e cabe a cada membro do grupo propor coisas, se engajar no projeto. Tarefas não
faltam: logística, informação, ligações com os produtores ou cooperativas, gestão...
as decisões são tomadas coletivamente e os mandatos controláveis, limitados e
revogáveis podem ser concedidos para tarefas precisas.

As refeições são preparadas coletivamente. Lá onde nós intervimos, nós propomos às
pessoas participar à preparação, limpeza, na organização da cantina. Na La Marmite,
não se separam aquelas pessoas que comem, aqueles/as que servem e aqueles/as que
lavam os pratos! Ao contrário, cada um/uma é convidado/a a se engajar em todos os
níveis de organização das refeições, solicitando uma atitude ativa, responsável, num
contexto de associação livre, voluntária e pontual com o grupo organizador.


Refeição vegetariana, biológica e local

Preocupando-nos com a ecologia e a qualidade de nossa alimentação, nós colocamos em
questão todo o sistema de produção (agro-indústria) e de distribuição
(supermercados) de produtos alimentares. Na La Marmite nós privilegiamos então os
produtos sadios (produtos não geneticamente modificados, com certificação biológica
ou não, produtos sem pesticidas nem fertilizantes sintéticos). Nós escolhemos
também, na medida do possível, buscar nos produtores locais. Encorajar ainda curtas
distâncias, é também por em questão as longas distâncias pelas quais passa a comida,
conseqüência de uma produção organizada para maximizar os lucros em detrimento dos
trabalhadores e do meio ambiente.

Quanto ao consumo de carne, não é preciso dizer que nós a denunciamos,
principalmente por causa das condições da criação e de abate infligidas aos animais.
La Marmite é, então, vegetariana. No mais, nós permitimos que vegetarianos ou não
participem das refeições... Uma alimentação de qualidade é hoje reservada às
populações favorecidas, o que é conseqüência da generalização dos produtos
industriais, baixa renda, e do aumento geral dos preços dos produtos alimentícios.
Com La Marmite, nós queremos possibilitar a todos e todas se beneficiarem duma
alimentação de qualidade, sã e equilibrada.


Reapropriar-se do espaço público

La Marmite é uma cantina móvel que se instala em lugares públicos, e principalmente
na rua. É uma marcha de reapropriação temporária de um espaço hoje sobre controle de
segurança e submetido ao reinado da mercadoria e do comércio. Hoje as ruas de nossas
cidades são dedicadas ao comércio, ao consumo. Nada mais se faz que comprar. Esses e
essas que não tem possibilidade ou são refratários a isso são então excluídos/as
pela ordem de segurança (como os jovens dos bairros populares, os abandonados, os
sem-teto...). A polícia patrulha, caça os desviantes e suspeitos, controla as
identidades, as câmeras de vigilância normalizam os comportamentos. No fim, a
mercadoria ocupa quase que inteiramente o espaço, sendo praticamente a única coisa
disponível nas ruas. Instalar-se na rua, e ali organizar uma refeição coletiva, é se
reapropriar de um espaço que nos é tomado todo dia, para transformá-lo num momento
de convívio e de experimentação.


Preço livre

A refeição da La Marmite tem o preço livre: cada um/uma dá o que quer ou o que pode,
segundo seus meios. Esse princípio dá a possibilidade a quem quer que seja de vir
comer, contribuindo com o que desejar, de 0 ao infinito. Não é que seja gratuito,
porque o trabalho e a qualidade da refeição proposta tem um custo, que nós assumimos
pelo autofinanciamento, mas nós não recusamos uma refeição a qualquer um que não
possa pagar. O preço livre permite igualmente refletir sobre o valor disso que
consumimos, e de ali incluir além do custo dos produtos (preço de retorno), o prazer
que se teve. O suporte que se dá a iniciativa... É tudo simplesmente não pagar por
reflexo, mas se responsabilizar por uma participação financeira livremente
escolhida. Isso nos faz reaprender a estimar por nós mesmos o valor de uma refeição
e do trabalho autogestionado que a tornou possível.


Para finalizar...

La Marmite é assim um projeto de múltiplas faces que contém a maior parte das idéias
e práticas que nos são caras: liberdade, igualdade, solidariedade, autogestão,
respeito aos outros, ao meio ambiente, convivência, auto-produção,
não-desenvolvimento, reapropriação dos espaços, dos saberes e das técnicas. É uma
prática concreta de anticapitalismo, é pôr em prática as idéias anarquistas. La
Marmite quer igualmente poder estar presente nos espaços de mobilização social, para
apoiar um movimento em ação, para difundir e transmitir as idéias e as práticas.

Mais infos:
http://fa73.lautre.net/

Vídeo:
http://www.dailymotion.com/video/xd5jxk_la-marmite-cantine-autogeree-une-pr_news?start=2#from=embed

Tradução > Tio TAZ

agência de notícias anarquistas-ana
_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
Send news reports to A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
Subscribe/Unsubscribe http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt
Archive http://ainfos.ca/pt


A-Infos Information Center