A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Trk�_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Trk�
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [CNT-F] ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA LUTA DE CLASSES EM FRANÇA [ca , fr , en]

Date Wed, 21 Nov 2007 21:51:05 +0100 (CET)


[traduzido por Luta Social, http://luta-social.blogspot.com ]

Comunicado do Secretariado de Relações Internacionais da CNT-F

Ultimas notícias da frente de lutas sociais em França

Manifestações maciças ontém, 20 de Novembro, em toda a França:
mais de 700 000 pessoas na rua. Os funcionários da administração, as
enfermeiras, os funcionários dos correios, docentes, estudantes em luta ao
lado dos ferroviários.

Nos transportes a greve continua. Mas, apesar de exemplar, o movimento tem
de contar com factores que lhe são externos:
- a espera por um hipotético movimento interprofissional que lhe
permitiria sair do isolamento ;
- uma campanha mediática terrível que acusa os ferroviários e condutores
de autocarros em greve de «fazer reféns os utentes». No Domino passado,
uma manif organizada pela direita denunciava a «ditadura dos grevistas»
- et, elemento importantíssimo: as direcções sindicais estão a negociar. A
CFDT (sindicato moderado e «responsável») desde há uma semana que apela à
retoma do trabalho. A CGT (próxima do Partido Comunista) adopta um
estribilho diferente : o seu líder (THIBAULT) apela ao fim do movimento,
mas a sua Federação dos Transportes e a base da CGT Ferroviários não
aceitam isto et continuam as greves. Isto é um exemplo de extrema
crispação entre uma base radical e uma direcção sindical «responsável»:
ontem na manifestação parisiense, THIBAULT e sobretudo CHEREQUE da CFDT
foram insultados e excluídos do cortejo por militantes da CGT e da CFDT
furiosos.
As negociações que Quarta-feira serão determinantes : vermos como reagirão
os grevistas face ao que os burocratas sindicais tiverem obtido.

Nas universidades a luta continua e desenvolve-se : mais de 60
universidades bloqueadas, ocupadas ou com uma dinâmica de luta. Nas
faculdades, as tensões são muit fortes entre grevistas e anti-grevistas
apoiados pela Polícia. Os estudantes em luta reúnem-se cada semana em
Coordenação nacional. Na semana pasada em Tours (centro da França), no
próximo fim-de-semana em Lille (Norte). Neste movimento há duas
tendências: uma radical (JCR, CNT-FAU, SUD étudiants) que tenta
conectar-se aos outros sectores em luta e amplificar o movimento ; do
outro o sindicato estudantil UNEF (socialista) que faz tudo para moderar
os ânimos.

Nos ensino, primário e secundário, as situações são diferentes, consoante
as escolas primárias, as escolas preparatórias e os liceus. Nalguns casos,
os professores estão já em greve renovável, noutros está a considerar-se
aderir a uma greve renovável, e noutros não há nada. As assembleias de
área pedagógica, agrupando os docentes de uma mesma vila ou cidade, estão
a instalar-se de maneira a coordenar a luta e alargá-la. Uma ligação,
acabou por fazer-se, com os ferroviários em greve: participaram
professores grevistas em assembleias de ferroviários.
O que complica a situação é que no sector do ensino, a greve de 2003
contra a reforma das pensões deixou traumas. Os docentes colocaram-se
massivamente em greve renovável (durante dois meses) para no final terem
uma derrota. Desde 2003, para numerosos colegas, fazer greve de longa
duração não serve de nada.
Em sectores como a energia, os correios ou os hospitais a vontade de
mobilização parece relativamente fraca.

Ao nível da CNT, e com sectores radicais e combativos como a LCR, LO e
SUD, fazemos o nosso possível por construir esta indispensável greve
interprofissional. Um movimento que não se limitaria a uma única jornada
de greve como a de ontem. Pois nós sabemos que não será suficiente para
ganhar e impor as nossas reivindicações.

As próximas datas de mobilização serão a mainfestação estudantil de
quinta-feira e terça-feira haverá uma grande manifestação
interprofissional
(estudantes, ferroviários e docentes).
A luta continua.

_________________________________________
A - I n f o s Uma Agencia De Noticias
De, Por e Para Anarquistas
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt
http://ainfos.ca/pt


A-Infos Information Center