A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement

The First Few Lines of The Last 10 posts in:
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006 | of 2007

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [Brasil , Guarujá] Protesto eco-libertário: Aeroporto não!

Date Sat, 19 May 2007 11:21:01 +0200 (CEST)


"Mentiras, cara de pau e conversa mole dos políticos e endinheirados",
assim podemos definir a audiência pública que aconteceu ontem, 17 de maio,
na Sociedade Esportiva Itapema, em Vicente de Carvalho, para "discutir"
(leia-se impor democraticamente) o estudo e o processo de licenciamento
ambiental do aeroporto Civil Metropolitano da Baixada Santista, a ser
construído no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá.

Contudo, e contra todos, "meia dúzia de gatos pingados", ou, o "Incrível
Exército de Brancaleone", estava lá para dizer em alto e bom som: não ao
aeroporto!

Audiências Públicas...

Dizem que as audiências públicas são organizadas para cumprir a função
de promover a informação, a diversidade de opiniões, esclarecer à
população, mas muitas vezes essas jornadas não passam de ?jogo de cartas
marcadas?, de verniz democrático, jogo de palavras de políticos e
empresários bem falantes, tecno-burocratas, e o povo no meio disso tudo
como massa de manobra, confundido, manipulado, comprado por cestas básicas,
cargos de confiança, fazendo papel de ?claquete? para políticos e
empresários ?bem vestidos e perfumados?, com afã de encherem o bolso de
dinheiro, em nome de um vil progresso. E, mais uma vez, foi isso que
constatamos nessa audiência ?pública? (leia-se audiência dos poderosos).
Tudo uma hipocrisia, uma piada de mau gosto!

Chegada...

Quando chegamos o ?circo? já estava montado, com o local da audiência
cheio de populares no papel de ?claquete?, os puxa-saco e burocratas da
prefeitura, vereadores e empresários confabulando, com sorrisos sem graça,
celulares de última geração... Ademais de um amplo esquema de segurança,
com a polícia militar, civil, guardas municipais e seguranças pessoais das
autoridades. Tudo posto, atores, coadjuvantes... Era a companhia teatral da
farsa, do poder: Prefeitura & Cia.

Início da farsa...

Com duas horas de atraso a audiência começou, tomando a palavra o
Secretário de Meio Ambiente do Guarujá, Élson Maceió, ex-ativista do
Coletivo Alternativa Verde (CAVE), hoje um tremendo ?pelego verde?, um
traíra vendido, sem alma, um ?cabra safado?, que discorreu na defesa da
implantação do aeroporto, como um bom pau mandado do prefeito e grandes
empresários do ramo da hotelaria, turismo e transportes aéreos. Em resumo,
só falou baboseiras! Algumas de suas falas foram interrompidas com gritos
dos ecologistas presentes: ?traidor, traidor, traidor!?. Trazendo alguma
tensão ao lugar totalmente hostil aos ecologistas, que eram vaiados.

Em seguida, o prefeito, Farid Madi, secretários municipais, empresários
da região, entidades civis, se manifestaram a favor do empreendimento, com
discursos efusivos, mais ou menos parecidos, que, a implantação do projeto
aeroviário trará mais desenvolvimento para o município, mais impostos, mais
empregos, aquela ladainha desenvolvimentista.

Cara de pau...

Com quase 40 minutos de exposição, slides e outras parafernálias e muita
enrolação, uma representante da DTA Engenharia, contratada da prefeitura,
apresentou o Relatório Ambiental Preliminar e a viabilidade do aeroporto. O
relatório técnico dessa empresa era tão frágil, que dizia que o aeroporto
não seria construído em área urbana, que o barulho (eles chamam
tecnicamente de ruído) dos pousos e decolagens não seria grande, que a
população teria que se acostumar quando do início das partidas e chegadas
dos vôos. A desfaçatez desses tecno-burocratas é tamanha, que a
representante dessa empresa disse que as aves, os animais no entorno do
aeroporto ?eram comuns, não-raras ou em extinção?, passiveis de fácil
adaptação às ?grandes mudanças ao longo do tempo?. Quanta estupidez! Quanta
falta de sensibilidade! Que tristes tempos esses onde a natureza foi
transformada em estatísticas...

Reação...

Mas nem tudo foi ?oba-oba?, submissão, a ?turma do não? sempre aparece
para, mesmo que momentaneamente, em número reduzido, estragar a festa.

E logo após a encenação dos ?de cima?, um ativista do Coletivo
Alternativa Verde (CAVE), Giulius Aprigio, pega no microfone, e em tom
emocional discursa contra o desenvolvimentismo, encara o secretário do meio
ambiente, apresentando a opinião da organização, contrária à construção do
aeroporto. Em seguida ele leu um folheto que foi amplamente distribuído aos
presentes naquele local. No final de sua fala, ele e outros ecologistas
atiraram aviõezinhos de papel na direção do prefeito e do secretário do
meio ambiente.

?Nossa região já tão impactada receberá mais um projeto que privilegia
os grandes interesses econômicos. Em uma região em que grande parte da
população vive em favelas, onde o acesso ao saneamento básico é privilégio
de poucos, onde a qualidade da água é questionável?, dizia um trecho do
folheto do CAVE, o único grupo ecologista presente nessa audiência.

?Quais os tipos de aeronaves e qual o alcance das linhas comerciais de
passageiros poderão operar no aeroporto??, ?Há previsão para o aeroporto se
tornar internacional??, perguntou Sérgio Alcântara, sindicalista santista e
simpatizante ecologista, que também teve acesso ao microfone. Mas ficou sem
respostas. Aliás, todos os questionamentos ao projeto ficaram sem
respostas. Muitas das críticas eram recebidas pelo prefeito e o secretário
do meio ambiente com desdém, risadinhas, arrogância. Os dois ficavam
lado-a-lado na primeira fila do auditório, feito "marido e mulher".

Prefeito se irrita...

Em seguida a palavra foi franqueada a um anarquista de Cubatão, que
exaltado, disparou críticas e protestos ao projeto, chamando de ?pelego
verde? o secretário do meio ambiente, Élson Maceió.

Irritado com uma "molecagem", o prefeito do Guarujá se levantou com o
dedo em riste, esbravejando para o anarquista: ?me respeite, sou uma
autoridade, se comporte civilizadamente?, sem pestanejar, o anarquista
respondeu: ?eu sou selvagem, sou bicho, um homem livre, não me curvo para
nenhuma autoridade?.

No final, o anarquista ainda jogou uma maldição ao secretário do meio
ambiente, olhando na cara do pilantra: ?chuvas de flechas de gelo cairão no
meio do seu coração, prepare-se!?

Curiosidades...

Enquanto os insensíveis discursavam, uma senhora lia sua bíblia. Na
verdade, a população ?comum? não estava nem aí com as discussões, com tanto
palavreado mole, cooptada, a população estava ali só para fazer número
mesmo, e comer, pois antes mesmo de começar a audiência, as pessoas
detonaram em minutos uma mesa que estava posta com ?comes e bebes?. Desta
festa, até os ecologistas participaram. Na metade da audiência, muitos
populares já tinham ido embora.

Caminhar...

Temerosos com a nossa segurança nos retiramos um pouco antes do final da
audiência, afinal os ânimos estavam acirrados e nem éramos daquela cidade.
Mas a luta não pára! Caminhar, caminhando, caminhe, caminhe... Às vezes só,
mas melhor juntos... Não parar, não deixar que nos parem, correr risco,
superar o medo... Autogestionar nossa vida! Por nós, pela diversidade da
vida! Aeroporto é o escambau!

El Pececito Chuva de Fogo

agência de notícias anarquistas-ana

_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt
http://ainfos.ca/pt


A-Infos Information Center