A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) COMUNICADO DE ATENCO Por ZAPATISTAS DE ATENCO, Mexico

Date Fri, 5 May 2006 18:26:35 +0200 (CEST)


San Salvador Atenco Estado de México a 4 de maio de 2006

às organizações sociais

ao povo do México

aos meios de comunicação

Desde o último 20 de abril no município de Texcoco, governado hoje pelo
PRD, vem sendo montado um cerco contra aqueles que honestamente buscam o
sustendo diário para sua família através da venda de flores e tudo o que a
nossa terra produz. Desde então o governo municipal decidiu limpar a todo
Texcoco das pessoas pobres que enfeiam a cidade, mas principalmente para
invadir com mais lojas transnacionais, como Wallmart, etc.

De modo que as pessoas e comerciantes, de forma organizada, desde o dia 2
de maio, realizamos uma concentração na subprocuradoria de Texcoco, como
resposta obtivemos o silencio por parte das autoridades tanto municipais
como estatais. Não bastando a força pública que já se colocou nas ruas
para evitar que os trabalhadores reocupem seu espaço de trabalho, hoje,
dia 3 de maio, bem cedo começaram a desalojar violentamente todos os
locatarios do mercado Belisario Dominguez prendendo 4 companheiros
floristas: Patricia Romero, Raul Romero, Adalí Sánchez Romero y Rosalba
Castillo.

Diante disso uma comissão de mais de quarenta companheiros da Frente dos
Povos em Defesa da Terra solidarizaram-se para saber o que estava
acontecendo.
Ao chegar no local o cerco policial aumentou, cercando tudo e de novo
agredindo a todos os companheiros. Neste enfrentamento pessoas ficaram
gravemente feridas e sem a possibilidade de receber qualquer tipo de
auxílio.

Ao transcorrer do dia, a situação foi denunciada e as autoridades seguiram
insistindo em resolver "pacificamente" um problema que havia sido criado
por elas mesmas. Mesmo assim não houve diálogo e os corpos de força
repressiva incrementaram-se, para evitar desta vez que o restante das
comunidades aldeãs se organizassem e não bloqueassem a estrada federal
Lechería-Texcoco. Em particular, a repressão aumentou no povoado de San
Salvador Atenco, deixando novos feridos e assassinando um jovem da
comunidade de Acuexcomac.

Enquanto tudo ocorria, os meios de comunicação oficiais se encarregaram em
focar a atenção somente no momento em que varios dos nossos companheiros
se defendiam dos policiais, policiais que apareciam caídos no chão e foram
utilizados como imagem de uma violência reprovável, para depois justificar
porque todos os companheiros atrincheirados no mercado - mais de 40 -
foram detidos pela polica estadual comandada pelo olimpo do governo do
Estado do México e conduzidos até Toluca.


Para nós está claro que tudo isso é um ato de repressão que o estado
promove desde quando a Outra Campanha, que significa organização e
solidariedade entre os pobres, passa literalmente pelos povos do México,
não nos surpreende o medo que isso causa ao sistema político, o que se
reflete em sua repressão, prendendo nossos companheiros.

É claroq ue tudo isso é uma provocação premeditada para encarcerar os
mesmos companheiros que dignamente fizeram a luta pela defesa da terra de
2001, ganharam importancia não somente entre as comunidades, mas na
regiao, senao em nivel nacional; em outras palavras, ganharam o
reconhecimento e respeito de outros povos com os quais foram solidarios,
para seguir chamando à organização e defesa dos direitos dos povos.

Sabemos que este último é um motivo suficiente para que o Estado veja
neles um perigo, pois ao longo da luta da Frente dos Povos e Povos em
Defesa da Terra, demonstrou-se que se pode derrotar a imposição de um
mísero governo prepotente. O alarido da provocação pretende, por um lado,
justificar a violencia contra aqueles que se levantam e alçam a voz em
qualquer rincão deste país e por outro aniquilar a organização que nos fez
conseguir as nossas terras. O que o Estado esté buscando é vingar-se da
afronta que representou a resistencia ferrenha de homens e mulheres para
defender o unico que possuiam contra os decretos policiais.


Ao gpverno estatal e federal exigimos:

- Liberdade absoluta e incondicional de todos e cada um dos nossos
companheiros presos.
- Retirada imediata dos corpos policiais dos arredores do nosso pueblo.

como condição mínima para estabelecer um diálogo direto com os
responsáveis, governo Estatal e Federal,].


Convocamos a concentração das no Cárcel das Mulheres (Avenida Ignacio
Zaragoza cerca del metro Acatitla) a las 8 de la mañana.

Convocamos a una reunión para discutir un plan de acción conjunto a las 6
de la tarde en el local de Uníos (Carmona y Valle número 32 cerca del
metro Cuauhtémoc)

Convocamos a todas las organizaciones sociales consecuentes de este país
sean o no adherentes a la Otra a que realicen acciones organizadas a
partir de hoy, 4 de mayo, a las 8 de la mañana con las siguientes
demandas: libertad absoluta e incondicional a nuestros compañeros y el
retiro de los cuerpos represivos.



¡POR LA DIGNIDAD DEL PUEBLO!

¡POR LA LIBERTAD ABSOLUTA E INCONDICIONAL DE NUESTROS HERMANOS!

¡NO DAREMOS NI UN PASO ATRÁS!

FRENTE DE PUEBLOS EN DEFENSA DE LA TIERRA

URL:: http://vientos.info/cml/?q=node/2979


_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt


A-Infos Information Center