A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [SP-Brasil] MLB e Movimento Pela Reativação da COB-AIT: SÁBADO CONTRA AS GUERRAS E O MILITARISMO

Date Tue, 21 Mar 2006 07:26:40 +0100 (CET)


(O Capitalismo Lucra e Sustenta Todas as Guerras!)
Neste sábado, 18 de março de 2006, o Movimento Libertário
Brasileiro, dando eco ao chamamento da Internacional de
Federações Anarkistas (IFA). realizou uma jornada
contra as guerras e o militarismo a partir das 10 horas
da manhã até as 18 horas, nas região da avenida Paulista.

A partir de uma proposta lançada pelo
SINDIVÀRIOS-FOSP/COB-AIT a diversos coletivos e
organizações que se reivindicam do campo libertário
? inclusive com o chamamento direto ao Centro de Cultura
de São Paulo, ao grupo Terra Livre, ao grupo Faísca, à
Rede Libertária da Baixada Santista e outros que
preferiram não apoiar a iniciativa ? os libertários
paulistas se uniram e pela ação direta foram as ruas
denunciar o armamentismo, a militarização e a exclusão
social como faces da guerra que os Estados e os
capitalistas travam contra o proletariado em todo o
mundo.

Já antes das 10 horas alguns compas começara a se
concentrar na Paca Osvaldo Cruz, no início da av.
Paulista. À medida que outras pessoas chegavam trazendo
materiais a manifestação se iniciou com a colocação
das faixas, cartazes e um mural em pontos estratégicos,
enquanto isso os compas se dividiam em grupos e
partiram para o corpo a corpo com a população distribuindo
o manifesto O CAPITALISMO LUCRA E SUSTENTA TODAS AS
GUERRAS! ? TODAS AS GUERRAS SÃO CONTRA NÓS, NÓS SOMOS
CONTRA TODAS AS GUERRAS!, discutindo e defendendo nossas
idéias. (Inclusive enfrentando um crescimento do
sentimento anti-socialista, anti-esquerda, caracterizado
pelo aumento da rejeição ao governo Lula/PT, denunciamos
a falsa alternativa eleitoral e chamamos o voto nulo.)
Na praça permaneceram cerca de 15 camaradas cuidando
do material de todos, distribuindo exemplares do A PLEBE
e concedendo entrevistas a diferentes órgãos da imprensa
burguesa e alternativa.

Por volta de 15 horas começou a chover, já com alguma
dispersão, realizamos uma rápida assembléia e decidimos
seguir em caminhada até o Museu de Arte de São Paulo
(MASP) onde os autoritários, os partidos políticos e
os apoiadores do FSM tinham marcado sua concentração
para as 14 horas. Seguimos em bloco, pela calçada cerca
de 10 quadras com nossas bandeiras, sob a chuva, recebendo
amplo apoio de camelôs e simpatizantes. Ao chegarmos ao
MASP nos mantivemos próximos aos elevadores e passamos
a aglutinar o pólo libertário, inclusive com a presença
forte da batucada do Movimento pelo Passe Livre (MPL).
Nesse momento éramos um bloco de cerca de 50 pessoas,
com bandeiras e batuque próprios em meio a uma concentração
de cerca de 1500 pessoas, sob a marquise do MASP. Nos
olhavam com surpresa e apreensão, mas nós estávamos
tranqüilos fazendo nosso trabalho.

Lá pelas 16 horas o carro de som do PSTU, com sua batucada
e suas bandeiras ganhou as ruas em passeata, acompanhados
pelo PSOL, o PC do B e todos os outros partidos e seus
grupos coligados (o MST, UJS, MTL, etc.) chamando todos a
acompanharem a passeata. A maior parte da política segue
margeando a passeata . Imediatamente os libertários
interromperam todas as suas atividades de agitação (batucada,
agitação de bandeiras, panfletagem) e realizam nova
assembléia onde são apresentadas 3 propostas: continuar
a demo anti-mili acompanhando a passeata dos partidos;
continuar a demo anti-mili em concentração no próprio
MASP; encerrar a demo anti-mili, considerando que ela
já havia ocorrido por 6 horas, até esse momento, e que
já havia sido vitoriosa. Devido a forma tumultuada em
que ocorreu essa assembléia não foi possível se chegar
a um consenso, vencendo por maioria a proposta de
continuar a demo no MASP, algumas pessoas após questionar
sua autonomia na assembléia e tendo todos reconhecido
que a decisão não é uma imposição para ninguém se retiraram
(algumas aderiram a passeata e outros foram embora). A
demo prosseguiu então, dentro da mesma dinâmica, com cerca
de 50 pessoas.

Por volta das 16:30 hs, para surpresa de todos nós, a
passeata dos partidos, que tinha saído em direção à av.
Consolação, volta a passar na frente do MASP, pelo outro
lado da pista, indo em direção a praça Osvaldo Cruz.
Também para nossa surpresa a passeata ficam parados por
cerca de 10 minutos em frente ao MASP e pelo carro de
som ficaram fazendo ataques e acusações contra nossa
manifestação, nos acusando de autoritários, sectários e
divisionistas. Talvez tenham se esquecido dos
acontecimentos na marcha contra a guerra do ano passado,
2005, quando os trotskistas do PSTU mostraram sua
índole stalino-fascista atacando fisicamente um pequeno
grupo de punks que se atreveram a agitar as bandeiras
e slogans anarkistas e depois quiseram proibir os
libertários de participar nas marchas se não se
submetessem a disciplina partidária. Mas nós não
aceitamos suas regras nem suas proibições, como não
aceitamos a dos burgueses e do Estado e de todos os
autoritários. Para deixar isso claro, inclusive,
decidimos participar da concentração que eles
convocavam no MASP, acreditando que a luta em si é a
mesma contra as guerras, pela desocupação dos países
como Iraque, Palestina e Haiti, ainda que nossa crítica
anti-militar seja mais profunda que a dos marxistas.

Curiosamente, pouco depois, quando a passeata voltou
a caminhar e já ia terminando de passar pelo MASP, por
volta de 17 horas, um grupo de fascistas cabeça-de-ovo,
atravessando a rua pela calçada onde nos manifestávamos
gritavam provocações (morte aos comunistas!) contra a
passeata do PSTU, sem perceber a manifestação que nós
realizávamos no vão do MASP. Imediatamente identificados
passamos a enfrentá-los num bate-boca intenso, onde
gritávamos slogans anti-fascistas e eles respondiam com
gritos de morte aos punks, morte aos anarkistas, morte
aos negros, etc.. Quando já estavam na outra extremidade
da quadra, ainda sob atrito houve um
corre-corre/empurra-empurra que levou cerca de 10
manifestantes a sair em perseguição aos carecas. Nova
surpresa: dois dos fascistas voltam ao MASP acompanhados
pela Policia Militar para ?reconhecer as pessoas que o
teriam agredido?. Esclarecemos que ninguém agrediu o tal
indivíduo e que ele sim é que passou fazendo agressões
gratuitas contra punks, anarkistas e negros e que nós
só estávamos realizando uma manifestação pacífica contra
a guerra. Apesar de ninguém ter ?sido reconhecido? pelo
fascista tivemos a informação de que quatro camaradas
tinham sido detidos nas proximidades. Fizemos então nova
assembléia com todos que estavam concentrados. Foi uma
discussão tensa em que muita merda foi dita, mas, em meio
à tensão decidimos tirar uma comissão para avaliar in
loco a situação dos detidos e tentar interceder e/ou
conseguir advogado, por outro lado se decidiu manter
a concentração no MASP até as 18 horas.

Sem conseguir a liberação deles no local nos deslocamos
para o 5º Distrito policial (DP) para onde os guardas
disseram que seles seriam levados. Como não tínhamos
carro fomos a pé. Lá chegando vimos que eles não
estavam e nos disseram que eles estariam no 4º DP, e
lá fomos nós. Na verdade a polícia ficava nos jogando
de um lado para o outro (do 4º nos mandaram para o 78º
DP) . Até que, por volta das 22 horas, conseguimos a
confirmação de que já tinham sido todos liberados.
Só então nos desmobilizamos.

Esses acontecimentos mais uma vez demonstram quem se
move no cenário brasileiro, dentro da linha libertária,
mostrando que o anarkismo está vivo e que o MLB está
ativo nas ruas. Também demonstram como se constrói uma
verdadeira federação anarkista, na ação e na luta,
com princípios, propostas e idéias claras.

- SOLIDARIEDADE É UMA ARMA QUENTE!
- O CAPITALISMO SUSTENTA TODAS AS GUERRAS!
- CONTRA A GLOBALIZAÇÃO CAPITALISTA,
INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO!

Veja imagens e outras opiniões sobre a Jornada Anti
Guerras, Militarismo e Capitalismo nos seguintes
links:
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2006/03/348521.shtml
Também em:
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2006/03/348561.

Divulgaremos o Manifesto distribuído e os apoiadores em
nova mesagem. Maiores informações e contatos:

O COLETIVO LIBERTÁRIO
cldvulg@bol.com.br
(Amigos da COB-AIT)

_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt


A-Infos Information Center