A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005 | of 2006

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) Artigo da Wikipédia: Anarquismo no Brasil

Date Mon, 27 Feb 2006 11:21:07 +0100 (CET)


http://pt.wikipedia.org/wiki/Anarquismo#Anarquismo_no_Brasil
Talvez uma das primeiras experiências anarquistas do mundo, antes mesmo de
ter sido criado o termo, tenha ocorrido às margens da Baía de Babitonga,
próximo à cidade histórica de São Francisco do Sul. Em 1842 o Dr. Benoit
Jules Mure, inspirado na teorias de Fourier, instala o Falanstério do Saí
ou Colônia Industrial do Saí, com os colonos chegados da França ao Rio de
Janeiro em 1841. Houve dissidências e um grupo dissidente, à frente do
qual estava Michel Derrion, constituiu outra colônia a algumas léguas do
Saí, num lugar chamado Palmital: a Colônia do Palmital. Mure conseguiu
apoio do Coronel Oliveira Camacho e do presidente da Província de Santa
Catarina, Antero Ferreira de Brito. Este apoio foi-lhe fundamental para
posteriormente conseguir a ajuda financeira do Governo Imperial do Brasil
para seu projeto.

O anarquismo no Brasil ganhou força com a grande imigração de
trabalhadores europeus entre fins do século XIX e início do XX. Em 1889
Giovani Rossi tentou fundar em Palmeira, no interior do Paraná, uma
comunidade baseada no trabalho, na vida e na negação do reconhecimento
civil e religioso do matrimônio, o que não significa, necessariamente,
"amor livre", a Colônia Cecília. A experiência teve curta duração.

No início do século XX, o anarquismo e o anarcossindicalismo eram
tendências majoritárias entre o operariado, culminando com as grandes
greves de 1917, em São Paulo, e 1918-1919, no Rio de Janeiro. Alguns
acreditam que a decadência do movimento anarquista se deveu ao
fortalecimento das correntes do socialismo autoritário, ou estatal, i.e.,
marxista-leninista, com a criação do Partido Comunista do Brasil (PCB) em
1922 feita, inclusive, por ex-integrantes do movimento anarquista que
influenciados pelo sucesso da revolução Russa, decidem fundar um partido,
aos moldes do partido bolchevique russo. Porém, esta posição, sustentada
por muitos historiadores, foi contestada pelos recentes estudos do
historiador Alexandre Samis, que afirma que a influência anarquista no
movimento operário cresceu mais durante este período do que o já fundado
(PCB) e só a repressão do governo Artur Bernardes, viria diminuir a
influência das idéias anarquistas no seio do movimento grevista.
Interessante afirmar que, devido aos problemas de comunicação resultantes
da tecnologia da época, os anarquistas só foram compreender a revolução
russa de uma maneira ideológica mais clara, a partir das notícias de
célebres anarquistas, como a estadunidense Emma Goldman, que denunciara as
atrocidades cometidas na Rússia em nome da ditadura do proletariado. Foi a
partir deste momento histórico que se definiu a posição tática do
anarquismo perante os socialistas autoritários no Brasil, separando a
confusão ideológica que reinava em torno da revolução russa. Identificada
pelos anarquistas inicialmente como uma revolução libertária (devido aos
problemas de comunicação da época), fora desmistificada pelos anarquistas,
que acreditam no socialismo sem ditadura, defendendo a liberdade e a
abolição do Estado.

_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt


A-Infos Information Center