A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [cont.] livros libertários (IV/IV)

From a-infos-pt@ainfos.ca
Date Tue, 22 Mar 2005 20:22:43 +0100 (CET)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
http://ainfos.ca/ http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

ESTANTE DE ASSUNTOS GERAIS

ANARQUISMO OU MARXISMO: Uma Opção Política - Gilberto Green

A revolta e a agitação juvenis, com a radicalidade inerente à rebelião em
massa da juventude, são estudadas dentro de uma perspectiva histórica que
só faz tornar instigante a proposta política de Gilbert Green: uma
proposta que entende o novo radicalismo saído da agitação dos jovens como
uma conseqüência direta dos anos mais violentos da luta de classes. 200
p. R$ 18,00.


ANTICRISTO (O) - Friedrich Nietzsche (novo)

Uma declaração de guerra ao cristianismo, uma denúncia dos seus
fundamentos, uma proposta de lei, um novo calendário? O que significa
realmente este livro, obra polêmica por excelência? A vitória do
cristianismo sobre a Antigüidade é considerada como um imenso retrocesso
na história das civilizações. Este pequeno ensaio acabou por impor-se
isolado ao próprio Nietzsche, e é considerado hoje um clássico da
literatura anticristã. 88 p. R$ 15,00.


AUTORITARISMO E A MULHER (O) - Maria Inacia d'Avila Neto
A autora se propõe a avaliar e interpretar à condição feminina no Brasil
em meio urbano. Esta obra abre um campo de pesquisa num domínio
insuficientemente explorado no Brasil. 126 p. R$ 12,00.


CAPITAL (O) - Karl Marx

Marx toma como ponto de partida que a história da humanidade é a história
da luta de classes. Assim, o modo de produção capitalista tem história,
já que nasceu de determinadas situações criadas pelo desenvolvimento
social, e que ele mesmo irá criar, por suas próprias contradições
internas, as condições para o seu desaparecimento. Ao estudar o
capitalismo em seus múltiplos aspectos (social, jurídico, econômico,
familiar e filosófico), pretende oferecer um instrumento de análise e
ação política que irá permitir aos homens passar para uma fase superior
da história. 288 p. R$ 15,00.


CAPITALISMO E SOCIALISMO - Marta Harnecker e Gabriela Uribe

O capitalismo, ao concentrar os meios de produção cada vez em menos mãos,
aumenta o número das pessoas que devem vender a sua força de trabalho
para viver. À medida que o capitalismo se desenvolve aumenta o
proletariado. O sistema cria os seus próprios coveiros. Somente o
socialismo, que se caracteriza pela propriedade coletiva dos meios de
produção, propiciará o planejamento da economia para que esta sirva a
toda a população. 32 p. R$ 6,00.


CASAMENTO BURGUÊS E O AMOR LIVRE (O) - Charles Albert (novo)

Capitalismo versus Amor. Basta confronta-los para notar entre eles um
antagonismo violento, um conflito inconciliável. O amor não é apenas o
resultado de uma atração entre dois indivíduos. É uma forma superior da
atividade sexual. É, como querem alguns, a moralidade e a nobreza do
sexo. Quanto mais o homem e a mulher se aperfeiçoam, mais se elevam e
maiores são as probabilidades de resolverem por meio do amor o problema
sexual. 80 p. R$ 10,00.


CASAMENTO INDISSOLÚVEL E AS RELAÇÕES SEXUAIS DURADOURAS - Wilhelm Reich
(novo) NOVO
Quando se discute o casamento do ponto de vista biológico, esquece-se que
a promiscuidade é a regra entre os animais; agora, subitamente, o homem
volta a ser diferente dos animais e deve elevar-se a "um nível superior",
com uma "moralidade inata", e a economia sexual é combatida porque
demonstra, efetivamente, que essa "moralidade inata" é uma ficção. Ora,
se a moralidade não é inata, só pela educação pode ser inculcada. Quem
realiza essa educação? A sociedade e a sua fábrica de ideologia, a
família autoritária fundada na monogamia compulsiva. Isto basta para
demonstrar que a família não é um fenômeno natural, mas uma instituição
social. 48 p. R$ 8,00.


CHIAPAS - As Comunidades Zapatistas Reescrevem a História - Emilio
Gennari

As páginas deste livro vão reconstruir os passos de um povo desprezado e
humilhado que começa a escrever a história a partir de sua dignidade e
rebeldia, de sua recusa em continuar aceitando a exploração, de sua
resistência, do seu "Basta!" gritado de armas em punho justamente quando
os poderosos pareciam ter conseguido derrotar todos os sonhos dos
pequenos. Mas, de onde é este povo? Em que condições ele vive? Que
caminhos percorreu sua organização? Quais são suas propostas? Todas estas
perguntas e outras são respondidas neste pequeno grande livro. 116 p. R$
15,00.


CONVITE À LEITURA DE GRAMSCI - Paolo Piccone e Pedro Celso Uchoa
Cavalcanti (org.)
A presente coletânea de textos gramscianos reporta-se aos primeiros anos
de sua atividade jornalística e editorial: nos anos de ferro, fogo e
chumbo, em plena década dos 10 - a década que marcaria a história do
século 20 com a Revolução Russa de 1917. O Gramsci jovem que se nos
depara nestes artigos é o socialista combativo que fala de cultura,
filosofia, história, política italiana e revolução. São textos que pensam
o marxismo sob a perspectiva do humanismo. 132 p. R$15,00.


DIREITO À PREGUIÇA - Paul Lafargue

Paul Lafargue nasceu em Cuba em 1842. No entanto, era de origem francesa,
pelo lado materno. Estudou na França e aí aderiu à Internacional dos
Trabalhadores. Escrito em 1880 O Direito à Preguiça atingiu uma rápida
popularidade, sendo traduzido para quase todas as línguas européias. Na
época as jornadas de trabalho se estendiam a 15 e até 17 horas por dia. A
essa situação monstruosa ainda se acrescentava a circunstância de muitos
operários estarem convencidos de que o trabalho em si mesmo era uma
atividade dignificante e benéfica. Lafargue insurgiu-se contra esta
convicção, denunciando a "santificação" do trabalho promovida por
escritores, economistas e moralistas. 72 p. R$ 12,00.


DIREITO AO DESEMPREGO CRIADOR - A Decadência da Idade Profissional - Ivan
Illich
O autor prega o direito ao desemprego útil: um conceito positivo,
construtivo e até otimista, segundo o qual as pessoas são úteis a si
mesmas e aos outros, mesmo estando fora da produção de bens para o
mercado. Desembaraçadas de dirigentes profissionais, ilimitadas e
ilimitáveis pelos economistas, suas atividades geram realmente
satisfação, criatividade e liberdade. Como todos os pensadores
revolucionários, Illich apresenta uma perspectiva nova e contundente da
natureza da sociedade na qual ele, e nós mesmos, convivemos e observamos.
Suas conclusões
surpreendentes testemunham seu entranhado compromisso com um sistema
ético cujos valores têm raízes na crença profunda nas possibilidades
reais de uma distribuição eqüitativa dos bens de consumo, e na positiva e
voluntária limitação da produção, o que assegura acesso igual a uma
liberdade igual e um desemprego criador.
120 p. R$ 20,00





ESTADO, DEMOCRACIA E CIDADANIA - A Dinâmica da Política Institucional no
Capitalismo - Nildo Viana
O presente trabalho tem um objetivo fundamental: contribuir para a
compreensão da dinâmica da política institucional no capitalismo. Isto
pressupõe compreender a formação do estado capitalista, sua essência, bem
como da democracia e da cidadania. Compreender a essência, gênese e
dinâmica do estado capitalista, da democracia burguesa e da cidadania
pressupõe compreender as lutas de classes e o desenvolvimento
capitalista. 108 p. R$ 20,00.


O ESTIGMA DO PASSIVO SEXUAL - Michel Misse

Um símbolo de estigma no discurso cotidiano. O compromisso maior é com a
divulgação de estudos e pesquisas que aprofundem o conhecimento crítico
de nossa realidade social, e contribuam para a luta mais geral do povo
brasileiro por uma sociedade justa e efetivamente democrática. 72 p. R$
5,00.




FIM DE UM SÍMBOLO (O) - O Teatro de João Minhoca - Susanita Freire

O Teatro de João Minhoca, invenção brasileira de Baptista fez tanto
sucesso pela sua irreverência e cumplicidade com o povo, que a partir de
1884, todo e qualquer teatro de bonecos era sinônimo de João Minhoca.
Assim, seu personagem principal, marionete de fio, negro, abolicionista,
João Minhoca, foi testemunha de uma época e porta-voz de críticas
sociais. Com um texto de João do Rio. Ilustrado. 88 p. R$ 15,00.


FORMAÇÃO DOS INTELECTUAIS (A) - Antonio Gramsci

O intelectual orgânico é um dos conceitos fundamentais defendidos por
Gramsci. O intelectual ligado organicamente ao desenvolvimento da
organização política da classe operária. 16 p. R$ 5,00.






HISTÓRIA DOS SISTEMAS DE PENSAMENTO (A) - Michel Foucault (novo)NOV

Michel Foucault renovou a filosofia contemporânea. Ao elucidar as regras
de uma formação do saber e ao constituir assim uma "arqueologia" do
saber, ele traçou uma verdadeira história crítica das instituições. Este
livro apresenta um resumo dos Cursos dados por Foucault no Collège de
France. Será de grande valia para aqueles estudiosos que querem ter à mão
um roteiro do pensamento do filósofo. 56 p. R$ 9,00.


HOSPÍCIO DENTRO DE CASA (O) - Crônicas Psicóticas - Daniel Chutorianscy

O hospício é a soma de várias loucuras familiares concentradas num único
representante - o louco. A casa é o espaço onde nasce a loucura e pode
servir como importante elemento terapêutico. O hospício é um cinema
escuro, vazio, que não projeta mais filmes. A casa é um vídeo onde a
família fantasia a sua normalidade. Este é um livro indicado para quem
tem mania de pensar. 56 p. R$ 10,00.


INSTITUIÇÃO DA VIOLÊNCIA - Franco Basaglia (novo)NOVO

Franco Basaglia faz com que nos apercebamos de que o preconceito contra a
"doença mental" atravessa de ponta a ponta as classes sociais recobrindo
parte essencial das suas práticas ideológicas. O "doente" se define no
espaço institucionalmente imprimido sobre ele como forma de controlar
seus movimentos e suas falas, como eficácia tanto no que diz respeito à
interrupção do processo da "loucura" como na "carreira de enfermo mental"
que se impõem como "condição de sobrevivência". 48 p. R$ 8,00.


INTERVENÇÃO NA AMÉRICA LATINA - Jane Tereza Gonzaga de Oliveira

Distinguindo três categorias de intervenção historicamente verificadas no
continente americano - a "pacífica", a armada e a indireta - esta obra
oferece ao leitor, de forma estruturada e documentada, uma visão de
conjunto crítica e coerente acerca de um problema raramente estudado como
um todo. 208 p. R$ 25,00.


INTRODUÇÃO À PSICOTERAPIA INSTITUCIONAL - Félix Guattari (novo)NOVO

O funcionamento global dos aparelhos do Estado (realizados nas
instituições) responde ao planejamento de fundo de uma formação social e
se analisado corretamente desmascara todo ensino (como "ensino de
ciências") ou toda terapia (como "prática de cura") e revela para nós o
verdadeiro estatuto político das instituições com suas práticas
pedagógicas e médicas. 36 p. R$ 6,00.


NOVELETAS MARGINAIS - Augusto Thompson

Oscar Niemeyer se diz feliz por nunca ter projetado prisão. Só que para
muitos brasileiros este país é um presídio e Brasília uma "surda". Com a
chave-mestra da ficção, o autor abre para todos nós amplos espaços da
reflexão em liberdade. Neste livro, o jurista antropofágico Thompson
veste a camisa do ficcionista e nos leva a uma delegacia da Zona Sul do
Rio de Janeiro, a uma ação de contrabando na Baía de Guanabara, a uma
penitenciária. 112 p. R$ 10,00.


ODES DE ANACREONTE - Tradução de Almeida Cousin

Esta é, sem dúvida, a primeira edição bilíngüe de Anacreonte feita no
Brasil. E a primeira tradução realizada por brasileiro e publicada em
confronto com o original grego e, possivelmente, o primeiro livro do
gênero, em se tratando dessa língua. 176
p. R$ 15,00.



PAIS COMO EDUCADORES (OS) - Wilhelm Reich (novo) NOVO

A compulsão para educar não só se manifesta nas frustrações
desnecessárias, ms também na forma como os educadores levam a cabo as
necessárias restrições dos instintos. Devemos pensar que a primitiva
força vital que a compulsão a educar pretende dominar foi capaz de criar
cultura. É lícito outorgar-lhe uma ampla margem de confiança. Será
excessivamente ousado declarar que a vida sabe criar melhor do que
ninguém as suas necessárias formas de existência? 24 p. R$ 4,00.


POESIA PALESTINA DE COMBATE - 2a ed. revista e aumentada - Antologia A
poesia acorre uma vez mais ao encontro histórico de um povo e ocupa seu
lugar na batalha que ele trava contra a injustiça e a opressão, pelo
direito à existência e à dignidade. Essa é a inflexível postura dos
poetas palestinos que, no ardor do combate, assumiram a responsabilidade
que lhes concerne, adquirindo uma consciência cada vez mais clara que
lhes permite compreender o verdadeiro papel que sua poesia pode
desempenhar na luta pela libertação de seu povo. Esta amostra da poesia
palestina que
oferecemos ao leitor representa uma sensível mudança no plano do
esclarecimento ideológico, assim como no compromisso da poesia na
revolução. 152 p. R$ 25,00.

POLUIÇÃO, ALIENAÇÃO E IDEOLOGIA - R. Amaral Vieira e Ailton Benedito de
Souza

Os ensaios aqui reunidos intentam uma análise que deseja ser
não-idealista de vários processos de alienação na sociedade brasileira
contemporânea. Discute-se a alienação e a poluição ou a proteção ao meio
ambiente e a mobilização comunitária em suas mais diversas formas. 132 p.
R$ 15,00.


QUESTÃO PALESTINA (A) - Da Diáspora ao Mapa do Caminho - Emilio Gennari
NOVO

Podemos perceber que os enfrentamentos entre palestinos e israelenses
marcam presença constante nos meios de comunicação. Fotos, entrevistas e
reportagens trazem detalhes que parecem pintar um retrato fiel dos
conflitos que, há mais de um século, marcam as relações entre os dois
povos. A sensação de estar por dentro nos impede de ver que, para
entender os fatos, é necessário fazer um esforço que vai além das nossas
atenções com o desenrolar do presente. Neste sentido, reconstruir os
passos pelos quais o cotidiano da história foi ganhando as dimensões
atuais, averiguar como os atores sociais responderam às contradições do
seu tempo e trazer à tona o contexto em que suas opções foram
viabilizadas são etapas
essenciais para superar o cômodo nível das aparências. 172 p. R$ 30,00.


RECORDANDO PAULO FREIRE: Experiências de Educação Libertadora na Escola -
Maria Oly Pey (org), Paulo Freire (texto inédito), Ierecê Rego Beltrão,
Raquel Stela de Sá, João Ernesto de Faveri, Nivaldo Aníbal Goularte e
Celso Kraemer
Há pedagogias que são perfeitamente adequadas às práticas escolares
rotineiras de qualquer escola. Há pedagogias, no entanto, que não cabem
em escolas que assim se organizam e funcionam. Estas são consideradas
transformadoras porque, para funcionarem, exigem uma real transformação
da estrutura da Escola e do funcionamento do currículo escolar. 176 p. R$
18,00.


RELIGIÃO DO CAPITAL (A) - Paul Lafargue (novo) NOVO

"A única religião que pode responder às necessidades do momento é a
religião do Capital. O Capital é o Deus real, presente em toda a parte,
manifesta-se sob todas as formas - é ouro brilhante e poeira pestilenta,
rebanho de carneiros e carregamento de café, estoque de Bíblias sagradas
e fardos de gravuras pornográficas, máquinas gigantescas e grossos
capotes ingleses. O Capital é o Deus que todos conhecem, vêem, tocam,
cheiram, provam; existe para todos os nossos sentidos. É o único Deus que
ainda não encontrou ateus". 78 p. R$ 10,00.


SEXUALIDADE NA INSTITUIÇÃO ASILAR - Joel Birman

Ensaio - Este trabalho faz parte de uma pesquisa mais ampla (A
Instituição Psiquiátrica no Brasil: estudo de um caso ) realizada nos
anos 1976-1977, no Instituto de Medicina Social da UFRJ. 56 p. R$ 5,00


SIC TRANSIT GLORIA ARTIS - O "Fim da Arte" segundo Theodor W. Adorno e
Guy Debord - Anselm Jappe (novo)
Debord e Adorno chegam a avaliações opostas quanto ao fim da arte: isto
exige uma explicação, considerando-se a afinidade de seus respectivos
pontos de partida. Ambos defendem que a contradição entre forças
produtivas e relações de produção se reproduz no interior da esfera
cultural; ambos adotam, quanto ao essencial, a mesma atitude diante do
desenvolvimento do potencial técnico e econômico, em que vêem, sem
deificá-lo ou condená-lo simplesmente, uma condição prévia - que se
superará por si mesma - de uma sociedade libertada. 44p. R$ 7,00.


VIDA INÉDITA (A) - Francisco Bittencourt.

Entre. E é melhor se espantar. A cama-papel tem todos os perfumes dos
corpos. E os corpos murmuram, suam, choram, sangram. Amor e poesia trepam
num ritmo frenético. Feche os olhos. Abra os olhos. Fuja. Fique. Entre no
jogo. Saia. Nunca serás o mesmo. A poesia é terra e mãe. Vida e morte.
Pobreza e riqueza. Palavra e silêncio. A poesia é um cão. Se a poesia te
morder, deixa a infecção tomar conta. Deixe a poesia de Francisco
Bittencourt te morder. Você terá visões de uma vida inédita. Viva. 48 p.
R$ 5,00




*******
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
******
INFO: http://ainfos.ca/org http://ainfos.ca/org/faq.html
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
ASSINATURA: envie correio para lists@ainfos.ca com a frase no corpo
da mensagem "subscribe (ou unsubscribe) nome da lista seu@enderço".

Indicação completa de listas em:http://www.ainfos.ca/options.html


A-Infos Information Center