A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) A PLEBE Nº 40/Março 2005 (FOSP/COB-ACAT/AIT)

From profosp@bol.com.br
Date Fri, 11 Mar 2005 15:01:25 +0100 (CET)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
http://ainfos.ca/ http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

EDITORIAL
2005 mal começou e já trás consigo maus presságios para a classe
trabalhadora. O governo redentor de Lula/PT com sua política de altas
taxas de juros premia os especuladores e as ratazanas do parlamento,
levando os bancos a terem as mais altas taxas de lucro do mundo e
aumentando
metodicamente os ganhos dos políticos profissionais. Enquanto isso os
trabalhadores tem que amargar pelo arrocho salarial, pela alta constante
do custo da vida, pelo desemprego e subempregos crônicos somados a
crescente precarização das condições de trabalho, pela violência urbana e
no campo e pela criminalização da questão social. Mas trabalhador não é
bandido! Bandido é quem joga uma família na sarjeta, quem massacra
sem-tetos em Goiânia ou em São Paulo. Querer transformar a questão social
em caso de polícia já não é só imitar FHC, é estar na linha de ação de
Lindolfo Collor ou Prudente de Moraes – respectivamente, o articulador
dos sindicatos oficiais atrelados ao Estado nos moldes do fascismo na
década de 30, e o criador de campos de concentração para trabalhadores
que lutavam nos sindicatos revolucionários e livres da tutela do Estado e
da influência nefasta da patronal ou dos partidos políticos.

Mantendo essa linha política o governo logo levará a situação ao estágio
de simples escravidão com o que eles chamam de Reforma trabalhista,
destruindo as conquistas históricas da classe trabalhadora (Redução da
jornada de trabalho, férias, assistência social, etc.). Isso já está em
andamento: estaremos vendo nos próximos meses diversas categorias fazendo
campanhas salariais (trabalhadores em Educação, Saúde, Transporte, etc.)
ao mesmo tempo em que tentam resistir a perda de conquistas recentes
(Tickets alimentação, ajuda de custo para transporte, terceirizações,
perda de vagas, etc.). Até aqui os sindicatos oficiais atrelados ao
Estado - na verdade estruturas estatais para controlar o movimento dos
trabalhadores - têm conseguido manter as lutas isoladas que tem mantido a
classe
trabalhadora na defensiva e sob constantes derrotas, enquanto seus
diretores se lançam para as vagas de vereadores, deputados e senadores.

No começo do ano, enquanto a burguesia e seus partidos seduziam os
ingênuos com promessas de outro mundo no FSM de Porto Alegre os
trabalhadores revolucionários se reuniam na sede da Associação
Beneficente BANDEJÃO POPULAR, ligado ao movimento sem-teto de Porto
Alegre, nas JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO/RGS-2005 (JLP/RGS), apesar
de toda a repressão e sabotagens do governo local (PMDB e PPS) discutindo
os graves problemas da classe trabalhadora e a forma de superar essa
situação através da retomada do sindicalismo livre e revolucionário que
se manteve até a instalação da ditadura Vargas, o Estado Novo. Esse
sindicalismo organizado e controlado pelos próprios trabalhadores,
articulado regionalmente por federações locais, como a Federação Operária
de São Paulo (FOSP), que se federavam nacionalmente na COB (Confederação
Operária Brasileira) articulava não somente as lutas de cada setor da
classe trabalhadora como alimentava a solidariedade de classe e
organizava lutas intercategorias e greves gerais, como as de 1917 e 1919.
Também nesses verdadeiros sindicatos se discutiam as questões sociais, se
organizavam atividades culturais, grupos de teatro e bibliotecas sociais,
mas principalmente se dava muita importância para a formação do
trabalhador através da organização de Escolas Livres e Racionais, dentro
da proposta de Francisco Ferrer, numa pedagogia
libertária que se esforçava para desenvolver mentes críticas e criativas
contra toda educação para a submissão e contra o ensino religioso,
privilegiando as matérias de formação profissional.

É nesse contexto que estaremos promovendo, com apoio dos setores
apartidários do movimento social, o I ENCONTRO LIBERTÁRIO DE PROTESTO/SP
com o projeto de formalizar a fundação da BIBLIOTECA SOCIAL EDGAR
LEUENROTH, como primeira iniciativa do SINDIVÁRIOS/São Paulo-FOSP/COB, no
dia 02 de Abril de 2005, em evento que deverá se iniciar as 13 horas e se
estender até as 22 horascom a presença ativa de diversos setores do
Movimento Libertário Brasileiro (MLB) de São Paulo.

- TRABALHADORES DO MCC/RO AMEAÇADOS AS VÉSPERAS DO 7º ENCONTRO ESTADUAL
(Relato de participante ligado ao Núcleo PROFOSP)

- Desocupação da SONHO REAL/Go

- Jornadas Libertárias de Protesto 2005 - Porto Alegre
(Declaração Final)

- NEM GUERRA ENTRE OS POVOS, NEM PAZ ENTRE AS CLASSES!

- 22º CONGRESSO DA AIT – GRANADA 2004

- ENCONTRO LIBERTÁRIO DE PROTESTO (ELP-SP)
(PROJETO BIBLIOTECA SOCIAL EDGAR LEUENROTH)

* Contatos:
- fospcobait@yahoo.com.br
ou
- profosp@bol.com.br
ou
- profosp@ig.com.br





*******
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
******
INFO: http://ainfos.ca/org http://ainfos.ca/org/faq.html
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
ASSINATURA: envie correio para lists@ainfos.ca com a frase no corpo
da mensagem "subscribe (ou unsubscribe) nome da lista seu@enderço".

Indicação completa de listas em:http://www.ainfos.ca/options.html


A-Infos Information Center