A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO! PORTO ALEGRE (26 a 31/01/2005).

From cldvulg@bol.com.br
Date Sat, 8 Jan 2005 19:19:54 +0100 (CET)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
http://ainfos.ca/ http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

CONTRA TODAS AS MISÉRIAS:
PELO DIREITO A MANUTENÇÃO DA VIDA!
"TODA E QUALQUER PRESENÇA DO ESTADO SIGNIFICA REPRESSÃO"
FORUM SOCIAL MUNDIAL: A FRAGMENTAÇÃO DA LUTA CONTRA O CAPITALISMO OU
VÃO-SE AS MÃOS E FICAM OS ANÉIS!

A necessidade de legitimação do Estado através da destruição das
organizações de proteção e de auxílio mútuo dos trabalhadores é hoje uma
realidade concreta e construída historicamente. Sua força militar
destrói todas as iniciativas e tentativas por parte dos trabalhadores de
solucionar suas carências.

O maior exemplo disto está hoje no chamado Instituto Nacional de
Seguridade Social – INSS, que nasce da repressão ao movimento sindical
através da destruição e apropriação do patrimônio das Instituições
sociais dos trabalhadores.- A idéia "da contribuição de
todos para todos" não é uma idéia que surge no Estado ou da burguesia
social-democrata e sim uma necessidade de apoio mútuo construída pelos
trabalhadores através das suas Caixas de Pecúlio e das Sociedades de
Socorros Mútuos (Hoje por ti, amanhã por mim).
Destruída pelo Estado, privatizada e transformada em mercadoria.

A contraposição à luta de classes pela elite se faz através da difusão do
ideal da Cidadania. Ideologia da suposta igualdade no acesso aos recursos
do Estado, no qual este se coloca como o único provedor de qualquer
seguridade. Leia-se: educação, direitos humanos,
água potável, combate a pobreza, erradicação da fome, habitação, saúde,
educação, saneamento básico, igualdades de gênero e raça, violência...

A forma de disputa política por estes recursos é também demandada pelo
próprio Estado. Assim se deu na destruição do sindicalismo revolucionário
da Confederação Operária Brasileira – C.O.B. na década
de 30 e a implementação do sindicalismo oficial (CUT, FS, CGT, SDS, CAT)
fragmentado e atrelado à burocracia estatal. Com a conseqüente perda da
hegemonia dos trabalhadores revolucionários na reivindicação
de direitos que hoje são reconhecidos mas que não são atendidos
intencionalmente pelo Estado, através do argumento da suposta falta de
recursos.

Não bastando isso, implementa-se agora uma nova fragmentação. Na falta de
personalidade e ideologia própria que as justifiquem, roubam o linguajar,
as idéias, as lutas e a instituição libertária através
das finalidades especifistas, montada via falsos discursos de apoio
mútuo, democracia direta e de transformação social. Com esta prática
financiada por recursos estatais destacam-se as Organizações Não
Governamentais – ONGs, Cooperativas, Igrejas, Empresas e Movimentos
Populares que amortecem e fragmentam a disputa pela riqueza social
apropriada pelo Estado.

A organização dos Fóruns visa esta finalidade. Financiada e controlada
diretamente pelo Estado e pelos grupos hegemônicos do capitalismo
internacional, o Fórum Social Mundial, como exemplo prático, é a própria
instância legitimadora da nova ordem da
distribuição dos recursos. Agora o capitalismo se coloca como provedor de
qualquer forma de participação na riqueza social. É o próprio capitalismo
determinando as formas de acesso aos recursos do
Estado.

Outro exemplo é o Orçamento Participativo, construído em cima das
organizações comunitárias e movimentos populares impõe uma lógica de
organização às populações periféricas por disputas de recursos
(migalhas), aos quais perante este próprio Estado, são direitos
constitucionais e universais de cada cidadão.

Nesta lógica, enganam-se todos aqueles que buscam com essa prática uma
revolução social pois com isso legitima-se o Estado e se fortalece o
capitalismo.

Por isso conclamamos o não comprometimento com esta ordem através do
boicote ao Fórum Social Mundial!

Tão só a Greve Geral e Revolucionária pode destruir o capitalismo!



COMITE LIBERTARIO CONTRA A CARESTIA

Movimento Libertário Brasileiro – Federação Anarkista do RS /
Confederação Operária Brasileira – Associação Continental Americana de
Trabalhadores /Associação Internacional dos Trabalhadores – Federação
Operária do Rio Grande do Sul / SINDIVARIOS POA.

Apoio:
pró-Federação Operária de São Paulo - O COLETIVO LIBERTÁRIO


Y VOLVAMOS A NASCER!




*******
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
******
INFO: http://ainfos.ca/org http://ainfos.ca/org/faq.html
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
ASSINATURA: envie correio para lists@ainfos.ca com a frase no corpo
da mensagem "subscribe (ou unsubscribe) nome da lista seu@enderço".

Indicação completa de listas em:http://www.ainfos.ca/options.html


A-Infos Information Center