A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) [Portugal] Luta Social Nº 5/6: «Se a área ardida é já maior do que em t odo o ano de 2004 , será apenas a "seca" a responsável?»

Date Tue, 23 Aug 2005 10:04:13 +0200 (CEST)


Os média querem-nos fazer crer que na origem destes fogos estão
as insuficientes estruturas de prevenção primária ou secundária.
É evidente que estas estão em défice em muitos pontos críticos do
país. Mas isso é devido a um modelo centralista de "desenvolvimento"
que tem votado ao abandono o interior, e especialmente, o centro e
norte do país. Assim, os terrenos têm sido invadidos ao longo dos
anos por uma floresta de produção, com um único rendimento, a madeira
de baixa qualidade, para as celuloses (eucalipto) ou para carpintaria
(pinho), para alimentar as indústrias "rentáveis", que estão nas mãos
de uns poucos grandes grupos, sendo também as responsáveis pela maior
poluição atmosférica e sobretudo dos cursos de água, no caso das
celuloses (os rios ficam mortos). Para esta indústria mortífera das
celuloses, é essencial dispor de uma mancha de eucaliptal que consiga
abastecer as suas fábricas directamente, sem ter de negociar com
pequenos proprietários ou com intermediários a compra de madeira.
Assim, quanto mais fogos houver, mais pequenos e médios proprietários
irão ver-se forçados a venderem as suas terras queimadas, ao mais
baixo preço. Torna-se assim vantajosa a compra dessas propriedades
pelas empresas de celuloses, que ficam com a garantia de
auto-abastecimento e sem necessidade de recorrer aos gricultores/
silvicultores. Estes ? arruinados - apenas lhes resta emigrar
para os centros urbanos, havendo uma série de aldeias e mesmo
vilas que estão a morrer no centro e centro norte de Portugal,
por causa deste efeito de desertificação económica. Trata-se
portanto de uma guerra económica pelo fogo, uma autêntica política
de terra queimada, levada a cabo pelos grandes interesses. É isso
que o governo e a média ao seu serviço escondem, é isso que é
preciso denunciar, pois está na base desta catástrofe recorrente
dos incêndios estivais.
_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt


A-Infos Information Center