A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004 | of 2005

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) Brasil - BOLETIM FAÍSCA #12

Date Sat, 20 Aug 2005 14:33:30 +0200 (CEST)


Faísca Publicações Libertárias
Assuntos desse boletim:
1. Publicação do Coletivo Anarquista Terra Livre ? PROTESTA!#1
2. Editora Imaginário: A MANIPULAÇÃO SIONISTA de Alain Coutte
3. Livros editora Achiamé


#1. PROTESTA! 1 ? PUBLICAÇÃO DO COLETIVO ANARQUISTA TERRA LIVRE#

O Coletivo Anarquista Terra Livre acaba de publicar seu boletim Protesta!
número um. A edição zero foi um especial do Primeiro de Maio (8 pgs.) e
ainda está a venda por R$ 1,00. O número um está sendo vendido a R$ 4,00.
São 34 páginas de artigos e fotos/ilustrações. O sumário, com excertos dos
artigos, segue abaixo. Para os grupos interessados em comprar para
distribuir (acima de 15 unidades), o preço é de R$ 2,50. Mandamos pelo
correio sem problema nenhum!

Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail
terralivre@terralivre.org.


EDITORIAL


A CRISE POLÍTICA DO PAÍS
UMA VISÃO ANARQUISTA
Felipe Corrêa

?Com as denúncias ? que dia a dia vão confirmando-se verdadeiras ? e a
suposta crise, a última esperança da esquerda partidária vai terminando.
Digo suposta e coloquei a palavra crise entre aspas anteriormente pois
isso que se vê agora não é uma crise a partir de nosso ponto de vista. Se
afirmarmos que essa é uma crise política, logo, acreditamos que em outros
momentos não há crise e que a situação política é boa. Isso que vemos
agora, muito mais do que mostrar uma crise política do PT, mostra outra
crise: a crise da democracia representativa e de seus valores. O que vemos
agora com as denúncias e o que se descobre nas investigações é apenas um
sintoma, de algo que vai mal há muito tempo. São apenas as práticas
parlamentares, velhas conhecidas dos ?Jeffersons? da administração
pública; por isso a necessidade de desmistificar o significado da palavra
crise.
[...]
É por isso que urge a necessidade de afirmarmos as políticas do socialismo
libertário como saída para o desmoronamento da política parlamentar. Isso,
ao contrário de nos desmotivar ou de fazer com que procuremos ?votar
melhor? no ano que vem, deve nos empurrar para a ação direta, para a
propaganda dos nossos ideais e para o trabalho com as comunidades e os
movimentos que estão a nosso redor. É nosso dever oferecer uma resposta
aos políticos que comandam o país e o mundo!?


UNIDADE E ORGANIZAÇÃO
Raphael Amaral

?É este anarquismo que, devidamente organizado, objetiva as profundas
transformações sociais, políticas, econômicas e culturais. No anarquismo
que acreditamos, que se constituiu historicamente dentro dos principais
movimentos sociais revolucionários ao longo do mundo, em sua prática
cotidiana, a prioridade acaba sendo voltada às questões sociais,
políticas, econômicas e culturais. É, em última análise, no anarquismo
social em que cremos, onde toda a construção coletiva deve ser voltada
para a liberdade dos seres humanos enquanto uma espécie que só pode
continuar a existir através da cooperação mútua. É o anarquismo social,
pois a liberdade não existe se não for um fato social. Só existe quando há
relação entre pessoas que são livres e que, ao mesmo tempo, garantem uma a
liberdade da outra. É por isso que lutamos.?


COLÓQUIO INTERNACIONAL LIBERTÁRIO
HISTÓRIA DO MOVIMENTO OPERÁRIO REVOLUCIONÁRIO

?O principal objetivo do Colóquio foi trazer a tona a história do
movimento operário, a partir de uma perspectiva libertária, visto que a
história do socialismo foi contada, quase que em sua totalidade, pelos
autoritários. Além disso, com as lições históricas, tínhamos como objetivo
traçar perspectivas para o futuro. Com isso, observando a realização do
Colóquio Internacional da Confederación Nacional del Trabajo (CNT) sobre a
História do Movimento Operário na França, resolvemos trazer alguns dos
palestrantes para o Brasil e com mais alguns pesquisadores brasileiros
realizar um evento similar. A Editora Imaginário decidiu traduzir o livro
História do Movimento Operário Revolucionário para o português,
adicionando um texto de Alexandre Samis sobre anarquismo e sindicalismo no
Brasil.
Foram longos meses de discussões sobre a organização do Colóquio, eventos
de divulgação, como o vídeo-debate com a exibição do filme Sacco e
Vanzetti de Giuliano Montaldo, e com um debate com Eduardo Valladares que
aconteceu em São Paulo. Além disso, contamos com a venda de livros e CDs
de canções revolucionárias francesas, italianas e argentinas ? feitos
especialmente para a arrecadação de verba para o Colóquio ?, tendo em
vista que o valor das inscrições não cobriria todas as despesas de um
evento com estas proporções. Foi uma grande divulgação: por emails, no
boca-a-boca, por meio de cartazes e folders que distribuímos nos mais
variados locais da cidade. Os companheiros do Rio de Janeiro tiveram um
grande trabalho com os sindicatos. Destacamos entre os sindicatos, o
SINDSPREV da área de previdência, o SINDIPETRO dos petroleiros o SINTUFF
de servidores da Universidade Federal Fluminense e o SINTRASEF de
servidores públicos federais.?


AS SOCIEDADES COMPLEXAS PRECISAM DO ANARQUISMO
Sam Dolgoff

?A crescente complexidade da sociedade faz o anarquismo mais e não menos
relevante para a vida moderna. É precisamente essa complexidade e
diversidade, e acima de tudo sua preocupação central pela liberdade e
pelos valores humanos, que levaram os pensadores anarquistas a fundamentar
suas idéias nos princípios da difusão do poder, autogestão e federalismo.
O grande atributo da sociedade livre é que ela é auto-regulada e ?traz
dentro de si as sementes de sua própria regeneração?. (Martin Buber) As
associações autogovernadas serão flexíveis o suficiente para ajustarem
suas diferenças, corrigirem-se e aprenderem com seus erros, experimentar
novas e criativas formas de vida social e, por meio disso, chegar a uma
harmonia verdadeira em um plano humanístico mais alto. Erros e conflitos
restritos à alçada limitada de grupos com objetivos especiais podem causar
danos limitados. Porém, as decisões criminais e os erros realizados pelo
Estado e outras organizações centralizadas de forma autocrática, que
afetam nações inteiras, e até mesmo o mundo todo, podem ter as
conseqüências mais desastrosas.
A sociedade sem ordem (como o significado da palavra ?sociedade?) é
inconcebível. Porém, a organização da ordem não é monopólio exclusivo do
Estado. Pois, se a autoridade do Estado é a única garantia da ordem, quem
irá vigiar o vigia? O federalismo é também uma forma de ordem que precedeu
a autoridade do Estado. Porém, essa é uma ordem que garante a liberdade e
a independência de indivíduos e associações que constituem as federações,
livre e espontaneamente. O federalismo não é como o Estado, nascido a
partir do desejo do poder, mas sim o reconhecimento da inelutável
interdependência da humanidade. O federalismo surge dos desejos pela
harmonia e solidariedade.?


O MOVIMENTO PELO PASSE-LIVRE
Pietro Ferrari

?Em São Paulo, havia sido formado um Comitê de Luta pelo Passe-Livre há
alguns anos, entretanto esse comitê estava completamente atrelado a um
partido político, servindo somente como plataforma de propaganda desse
partido. Como o comitê não funcionava na prática, não havendo nem
reuniões, há quase um ano foi formado outro, independente, autônomo e
horizontal, que começou a fazer campanhas sobre o passe-livre em escolas
da cidade. Isso resultou na formação de comitês regionais para reunir os
comitês das escolas e para melhor articular a luta por toda a cidade.
Manifestações contra o aumento da passagem e pelo Passe-Livre foram feitas
no centro da cidade e também nas zonas oeste e leste. O comitê conta com a
participação ativa de anarquistas que entendem que garantir o Passe-Livre
é necessário para uma melhoria imediata das condições de vida da parcela
mais explorada da população e também que essa luta pode servir para a
auto-organização e radicalização dos jovens a nível local e nacional.?


LIVROS LIBERTÁRIOS
PALAVRAS DE UM REVOLTADO DE PIOTR KROPOTKIN
A GUERRA DA TARIFA DE LEO VINÍCIUS


#2. IMAGINÁRIO: A MANIPULAÇÃO SIONISTA DE ALAIN COUTTE#

Já saiu do prelo A MANIPULAÇÃO SIONISTA do autor francês Alain Coutte. O
preço de capa é R$ 35,00 mas você pode comprá-lo pela Faísca com um
desconto de 30%, totalizando R$ 24,50 + frete. Para adquiri-lo, entre em
contato conosco! O livro tem 176 páginas. A editora Imaginário já está com
outros livros deste autor em produção: SIONISMO E CRISTANDADE ? A ALIANÇA
e WASHINGTON ? OS PREDADORES.


#3. DISTRIBUIÇÃO DE LIVROS DA EDITORA ACHIAMÉ#

Recebemos livros da editora Achiamé do Rio de Janeiro. Em breve,
enviaremos em um boletim todos os títulos que temos e um pequeno resumo de
cada um. Por ora, quem tiver interesse, escreva-nos e nós encaminhamos o
catálogo daquilo que temos em mãos. Enviamos para todo o país.



LANÇAMENTOS FAÍSCA
Para mais detalhes, escreva-nos solicitando um catálogo ou consulte nosso
site!

A GUERRA DA TARIFA
Leo Vinicius
64 pgs. ? 14X21 ? R$ 12,00

NOTAS SOBRE O ANARQUISMO
Noam Chomsky
224 pgs. ? 14X21 ? R$ 35,00

AUTOGESTÃO HOJE: TEORIAS E PRÁTICAS CONTEMPORÂNEAS
Michael Albert, Noam Chomsky, Pablo Ortellado, Murray Bookchin e Abraham
Guillén
124 pgs. ? 14X21 ? R$ 15,00

RUMO A UM NOVO ANARQUISMO
Andrej Grubacic
36 pgs. ? 15X21 ? R$ 5,00


Faísca Publicações Libertárias
www.editorafaisca.net
faisca@riseup.net





_______________________________________________
A-infos-pt mailing list
A-infos-pt@ainfos.ca
http://ainfos.ca/cgi-bin/mailman/listinfo/a-infos-pt


A-Infos Information Center