A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003 | of 2004

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) Rio de Janeiro: Catálogo da Editora Achiamé - Anarquismo

From a-infos-pt@ainfos.ca
Date Sun, 23 May 2004 15:12:42 +0200 (CEST)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
http://ainfos.ca/ http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

[por Coletivo Domingos Passos, em anarquismo.org]
Robson Achiamé, editor Caixa Postal 50083 20062-970 - Rio de Janeiro - RJ
letralivre@gbl.com.br Telefax: (0xx21) 2544-5552
ATENÇÃO: Para adquirir qualquer de nossos livros basta você nos enviar o
pedido acompanhado de cheque nominal a Robson Achiamé; ou também se você
não tiver cheque mande a importância correspondente em envelope não
transparente e bem camuflado; ou pode depositar no banco Itaú, ag. 1964 –
Conta 01021-7 ou Bradesco, ag. 473-1, Conta 500.013-0 em nome de Robson
Achiamé. Em seguida você receberá seus livros pelo correio.

ESTANTE LIBERTÁRIA


ABC DO SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO – 2ª edição – Edgar Rodrigues A greve
econômica hoje equivale a uma disputa entre o Capital e o Trabalho: nela
os operários sempre saem perdendo. Chega de ajudar a eternizar a
desigualdade social! Basta de perpetuar hierarquias! O Sindicalismo não
pode ficar mimoseando questões alimentares. Suas pretensões devem ser
outras: transformadoras, emancipadoras e revolucionárias. 104 p. R$ 13,00.
ANARQUISMO À MODA ANTIGA – Edgar Rodrigues “Opondo-se à sociedade onde o
homem é o maior inimigo do homem, o anarquista apresenta uma alternativa
que apavora as camadas mais perniciosas das nações, exatamente as causas
detentoras do poder político, militar, econômico-financeiro, social e
religioso, responsáveis pela desigualdade”. 48 p. R$ 4,00.
ANARQUISMO NO BANCO DOS RÉUS (O) – Edgar Rodrigues Relato minucioso e
documentado do processo sofrido pelo “Centro de Estudos Professor José
Oiticica” pela Justiça Militar do golpe de 1964. Além do assunto central,
o livro é composto de grande número de anexos com documentos sobre este e
outros temas. 206 p. ilust. R$ 18,00.
ANARQUISMO NA ESCOLA, NO TEATRO, NA POESIA (O) – Edgar Rodrigues A idéia
de reunir três temas numa só obra nasceu com a intenção de acrescentar o
esforço cultural libertário à luta de classes. A ideologia que
impulsionou, guiou e serviu de bússola ao proletariado, à alfabetização, à
educação e à cultura, o ensino de artes e ofícios e o teatro social. Este
é um trabalho que se move na direção das preocupações anarquistas pouco
divulgadas até hoje: o que se fez “na Escola, no Teatro e na Poesia”. 340
p. ilust. R$ 25,00.


ATUAÇÃO LIBERTÁRIA NO BRASIL – A Federação Anarco-Sindicalista – Oscar
Farinha Neto Examina a atuação libertária no Brasil, do início do século
20 até meados dos anos 30, a fim de demonstrar que a autogestão é uma
reivindicação permanente e fundamental do proletariado. Tomando como
exemplo a Federação Operária do Rio de Janeiro, aponta o estágio da
industrialização, a composição estrangeira de grande parte do operariado e
o papel repressivo do Estado oligárquico como as variáveis que melhor
explicam a hegemonia dos libertários no primeiro movimento operário
brasileiro. 102 p. R$ 15,00.
BANQUEIRO ANARQUISTA (O) – Fernando Pessoa “A teoria anarquista, a
verdadeira teoria, é só uma. Tenho a que sempre tive, desde que me tornei
anarquista. Você já vai ver... ia eu dizendo que, como era lúcido por
natureza, me tornei anarquista consciente. Ora, o que é um anarquista? É
um revoltado contra a injustiça de nascermos desiguais socialmente – no
fundo é só isto.” 56 p. R$ 8,00
COLÔNIA CECÍLIA – Um Pouco de Ideal e de Polenta (teatro) – Renata
Pallottini O texto, aproveitando um fato histórico pouco estudado, a
colônia anarquista fundada no final do século 19 por Giovanni Rossi, em
terras do Paraná, e que não teve sucesso, é um grande poema dramático, não
fora a autora, antes de tudo, poeta. 72 p. R$ 10,00.
*BARTOLOMEU E NICOLAU – Olavo Cabral Ramos Filho Peça onde a tragédia da
execução dos anarquistas Bartolomeu Vanzetti e Nicolau Sacco em 1927 nos
EUA é abordada de uma forma bastante livre. 24 p. R$ 4,00.
COMPANHEIROS (OS) – Edgar Rodrigues Pequenas notas biográficas de
companheiros anarquistas brasileiros e estrangeiros que militaram no
Brasil. Volume 1 – Biografias de A a C – 164 p. R$ 12,00. Volume 2 –
Biografias de D a I – 164 p. R$ 12,00.
DEMOCRACIA NO TRABALHO – Harold B. Wilson Com este livro o autor
propõe-nos uma nova forma de organização das empresas assente numa nova
concepção do homem e do trabalho. As contestações ao trabalho (quer pelo
seu conteúdo, quer pelo tipo de relações sociais que engendra), que
explodiram nas décadas de 60 e 70 do século 20, prolongaram-se até nossos
dias e são um fenômeno de todas as sociedades industriais. O trabalho,
fator de constrangimento e inibição da capacidade de expressão,
criatividade e realização do indivíduo, faz ainda parte do nosso cotidiano
e realidade. 176 p. R$ 20,00.
DESPINDO A POLÍTICA – Jean-Michel Michelena “Dispa-se a política do que a
reveste, e não haverá bálsamo capaz de dissipar o fedor que disso se há de
desprender: um cheiro de peste, comprimido no dilatado curral da
sociedade. Um cheiro que socialmente se dissimula, graças aos progressos
infindos da maquialagem, mas que é bem o da indizível dependência
fabricada pelo medo.” 56 p. R$ 8,00
DISCURSO SOBRE O FILHO-DA-PUTA – Alberto Pimenta “De como o filho-da-puta
existe e praticamente se encontra em todos os lugares, do pouco que se
sabe acerca dele, de como os trajes e a conformação física não bastam para
o definir, alguns traços distintivos do filho-da-puta, seus gostos, e
lugares que ocupa, modos de o filho-da-puta ser filho-da-puta, de como
todo o filho-da-puta é acima de tudo filho-da-puta, as suas grandes
especializações, sua vida particular e pública, perguntas feitas por ele
mesmo, o seu sistema de entreajuda, da escola como seu lugar predileto, do
lar como seu lugar excelso, das infindáveis variedades de filho-da-puta,
de como vive o filho-da-puta, a questão de saber se o filho-da-puta já
nasce filho-da-puta, seus temores e receios. (...)” 80 p. R$ 12,00.
DO CORPO DISCIPLINAR AO CORPO VIBRÁTIL – Uma abordagem libertária
contemporânea – Raquel Stela de Sá As questões apresentadas nesta obra
foram extraídas das vivências da autora, tendo como objeto de estudo os
discursos e as práticas sobre o corpo, a partir de uma abordagem
libertária contemporânea. Tal estudo teve como objetivo fazer uma reflexão
acerca da história dos discursos e práticas sociais sobre o corpo ligadas
à sociedade disciplinar e de controle, na compreensão principalmente de
Michel Foucault, Gilles Deleuze, Felix Guattari e Suely Rolnick, abordando
aspectos arqueológicos, genealógicos e govenanmentais. 168 p. R$ 25,00.
DOIS TEXTOS DA MATURIDADE – Errico Malatesta Os dois textos que se incluem
nesta brochura foram publicados originalmente na revista Pensiero e
Volontà, dirigida pelo próprio Malatesta, e que veio a público em Roma nos
já longíquos anos de 1924 a 1926. Sem nunca renegar as suas afirmações
passadas, o pensamento de Malatesta acusa, nestes anos, um amadurecimento
considerável, evoluindo num sentido mais flexível, analítico e
relativista. 16 p. R$ 3,00.
DOZE PROVAS DA INEXISTÊNCIA DE DEUS (2ª ed.) – Sébastien Faure “Há séculos
que os deserdados suportam passivamente a miséria e a servidão, graças ao
milagre procedente do Céu e à visão horrorosa do Inferno. É preciso acabar
com este odioso sortilégio, com esta burla abominável. Tu, leitor, que me
lês, abre os olhos, examina, observa, compreende. O Céu de que te falam
sem cessar; o Céu, com a ajuda do qual procuram insensibilizar a tua
miséria, anestesiar os teus sofrimentos e afogar os gemidos que, apesar de
tudo, saem do teu peito, é um Céu irracional, um Céu deserto. Só o teu
Inferno é que é povoado, é que é positivo”. 78 p. R$ 12,00.
ENTRE DITADURAS (1948 - 1962) – Edgar Rodrigues Entre todas as formas de
poder, a ditadura é a que melhor encarna o domínio de um sobre muitos, de
alguns sobre a “massa”. O autor prossegue na sua tarefa de levantar
exaustivamente todos os dados e datas, documentos e eventos que levem o
leitor a uma visão real da história do anarquismo no Brasil. 304 p. ilust.
R$ 20,00.
ERIC & GRACILIANO – Olavo Cabral Ramos Filho Peça em 2 atos e 10 cenas,
passada na Guerra Civil Espanhola, juntando na mesma trincheira, numa
associação bastante livre, Graciliano Ramos e Eric Blair (George Orwell).
32 p. R$ 4,00.
ESBOÇO PARA UMA HISTÓRIA DA ESCOLA NO BRASIL – Algumas Reflexões
Libertárias – Maria Oly Pey (org.) e outros O livro é constituído por uma
apresentação e quatro artigos assim titulados e na seguinte ordem:
História das Crianças no Brasil, História da Escola no Brasil/ O que é a
Escola?, Raízes da Organização Escolar e Escola e Pedagogia. Com esses
artigos pretende-se cobrir as informações mínimas que conviria a uma
pessoa possuir para iniciar uma reflexão sobre sua própria educação e o
processo escolarizador que viveu/vive. Além disso, obter notícias sobre a
educação que vem se dando ao longo de 500 anos de processo civilizador
branco no país. 128 p. R$ 15,00.
EX-COLA LIBERTÁRIA (A) – Clovis N. Kassick “O professor Clovis Kassick foi
privilegiado por ter a oportunidade de conviver com a experiência da
escola Paidéia e expor-se a ser contaminado pela paixão de ir o mais fundo
possível, dentro das limitações acadêmicas de uma tese de Doutorado em
Educação, no acompanhamento das relações de saber/poder entre a gente da
Paidéia, bem como nos projetos de escola que viveram, na organização do
coletivo, na pedagogia que experimentam. Considero que os leitores terão
em mãos uma história pedagógica fascinante, descrita e analisada pelo
professor Kassick que, de um lado, tem a experiência da vida vivida e
pensada na escola hierárquica, feita com sabberes pequenos e altamente
selecionados para todos ludibriar; de outro lado, tem a referência teórica
da pedagogia libertária, fonte inspiradora de seus atentos e constantes
estudos e de sua prática possível em nosso meio. O amigo Kassick merece o
meu respeito e admiração pelo esforço que vem empreendendo para esclarecer
aos estudantes e aos seus leitores o que foi, vem sendo, é e não é,
educação libertária”. Maria Oly Pey. 240 p. R$ 30,00.
FLORENTINO DE CARVALHO – Pensamento Social de um Anarquista – Rogério N.
Z. Nascimento Em uma prosa invulgar, Rogério Nascimento, sugere ao leitor
um elucidativo passeio pelas mazelas, refregas e confrontos entre o
aparelho repressor do Estado e os militantes anarquistas no início do
século 20. Proposta por si só sedutora, não fora também a belíssima
conjunção entre a análise e as imagens construídas pelo autor. Há que se
ressaltar no texto o estudo de caso que se fez da figura de Florentino de
Carvalho como representante visível de uma geração de militantes que fazia
do autodidatismo e das experiência concretas, patrimônio adquirido por sua
classe. 208 p. R$ 25,00.
FOUCAULT E O ANARQUISMO – 2ª edição – Salvo Vaccaro “Afastando todo
academicismo, Foucault nos ensinou, acima de tudo, uma utilização
anarquist do texto teórico, que não negue a prática, sem reverências
filológicas ou formalismos sistemáticos, sem respeito pela autoridade do
Nome (‘O que importa quem fala?’, era comum repetir), enfrentando o
conteúdo do pensar e as condições sócio-históricas dentro das quais
torna-se possível pensar uma coisa e não uma outra”. 56 p. R$ 10,00.
GUIA DOS CORNUDOS – Charles Fourier Charles Fourier (1772-1837) nasceu na
França, em Besançon. Inimigo de todos os moralistas que opõem a razão às
paixões e dos autoritários, que defendem que o Estado tem por missão
fundamental obrigar os homens a serem bons contra sua vontade. Fourier
sustentava que a natureza humana é essencialmente imutável através dos
séculos, tratando-se de adequar a sociedade a essa natureza. 24 p. R$
5,00.
INDIVÍDUO NA SOCIEDADE (O) – Emma Goldman Emma Goldman nasceu em 1869 e
morreu em 1940. A sua vida é, praticamente, coincidente com a própria
história do movimento operário e social moderno, tendo estado diretamente
envolvida em todos os principais acontecimentos que marcaram, positiva ou
negativamente, as teorias e os imaginários do pensamento social anarquista
até à sua morte. 40 p. R$ 5,00.
OS LIBERTÁRIOS (José Oiticica, Maria Lacerda de Moura, Neno Vasco, Fábio
Luz) – Edgar Rodrigues Não se trata de biografias elaboradas dentro dos
clássicos modelos literários, de trabalho rebuscado ou exaustivo sobre as
personalidades evocadas neste volume. O objetivo é de reunir uns poucos
dados biográficos, acompanhados de escritos de cada um deles. 218 p.
ilust. R$ 20,00.
MORAL PÚBLICA & MARTÍRIO PRIVADO – Alexandre Samis “... O regime político
da República Velha só podia conceber que a questão social que se desenhava
com a crescente complexidade econômica era mero objeto de distúrbio, por
assim dizer, ‘uma questão policial’. Desde 1904 a Casa de Detenção da
capital abrigava um sem-número de candidatos ao degredo, à espera de
navios disponíveis que os transportassem para o norte. (...) Alexandre
Samis contribui em seu livro de maneira importante para resgatar este
episódio, ligando de maneira bem documentada, a destinação de Clevelândia
[no Oiapoque] à repressão política, especialmente contra os anarquistas”.
Orlando de Barros (UERJ). 88p. R$ 15,00.
NOVA AURORA LIBERTÁRIA (1945-1948) (A) – Edgar Rodrigues O autor realiza
aqui a exaustiva tarefa de reconstituir minuciosamente a história e a
trajetória do movimento anarquista no Brasil, consultando, compilando e
desarquivando cartas, cartazes, folhas, volantes, panfletos, revistas,
jornais, ensaios, romances, poemas, artigos, peças teatrais, canções. 232
p. ilust. R$ 22,00.
ORGANISMO ECONÔMICO DA REVOLUÇÃO – A Autogestão na Revolução Espanhola –
Diego Abad de Santillán Com a publicação deste livro, pretende-se levar ao
leitor o registro de uma prática dos trabalhadores, que comprova a
capacidade da mão-de-obra em gerir a produção e a vida social. O
plano/experiência contido neste livro foi posto em prática durante quase
três anos numa experiência sem paralelo com nenhuma revolução social até
nossos dias. Ele confere à Guerra Civil Espanhola não simplesmente o
estatuto de uma guerra civil de facções em luta, mas, sim de uma revolução
social, onde camponeses e operários, na sua maioria semi-alfabetizados,
tomaram a palavra ocupando os locais de trabalho e instituindo um sistema
de planejamento da base para o topo, com funções e delegação rotativa de
poder. 234 p. R$ 22,00.
ORGANIZAÇÃO DOS JORNALISTAS BRASILEIROS – 1908-1951 (A) – Edgard Leuenroth
Edgard Leurenroth no desempenho da função de jornalista, ao participar das
organizações e mobilizações operárias, ao registrar e comentar o conjunto
dessa prática, ao guardar, reproduzir e divulgar os registros do movimento
e ao organizar acervos de vários setores da imprensa, teve expressão
significativa na formulação desse mesmo movimento. Preservou aspectos da
memória de um jornalismo engajado, de um jornalismo comprometido com o
trabalhador. Falar em movimento operário no Brasil, sobretudo na Primeira
República, é falar em jornalismo. Todas as tendências dentro do movimento
utilizaram o jornal como portador de suas propostas, como veículo de suas
resistências e como proposta de educação dos trabalhadores. 200 p. R$
22,00.
PEDAGOGIA LIBERTÁRIA NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA 2 ª edição – Neiva
Beron Kassick e Clovis Nicanor Kassick A história oficial da pedagogia se
fez omissa em relação à contribuição do Pensamento Pedagógico Libertário.
No entanto, apesar das dificuldades enfrentadas, experiências educacionais
em bases libertárias se desenvolveram em várias partes do mundo, inclusive
no Brasil e elas foram importantes pelo vínculo com o movimento operário e
com o seu fortalecimento, principalmente no final do século 19 e início do
20. 52 p. R$ 10,00.
PODER E DOMÍNIO: Uma Visão Anarquista – Fábio López López Este livro chega
na hora certa! Vem finalmente preencher uma lacuna na bibliografia
libertária acerca de um tema tão importante no imaginário dos anarquistas.
Seu autor é um militante dedicado e estudioso, que escreveu para todos
aqueles envolvidos com o anarquismo, seja no campo da ação, das idéias, ou
da mera curiosidade. É um livro feito para ser compreendido, cujos
conceitos e idéias estão expostos de forma simples, exemplificada, às
vezes “mastigada”. Esta obra é uma contribuição valiosa para esse
anarquismo “revigorado” que está sendo construído neste início de milênio.
200 p. R$ 22,00.
PORQUE NÃO ELEGER GOVERNANTES – Marcos César (Grito) O propósito deste
texto é apontar alguns motivos pelos quais as instituições de Estado e
governo merecem total descrédito por parte das pessoas que realmente
desejam bem-estar para todos os seres humanos, além de propor, não uma
fórmula mágica que resolva todos os problemas, mas uma idéia de construção
de uma alternativa para a organização social humana. 72 p. R$ 5,00.
PÓS-ESTRUTURALISMO E ANARQUISMO – Todd May O anarquismo é comumente
classificado segundo os mesmos critérios aplicados ao pós-estruturalismo,
ou seja: relativismo ético ou caos voluntarista. Mas a tradição teórica do
anarquismo, mesmo que não tão volumosa quanto aquela do marxismo ou do
liberalismo, fornece um contexto geral no âmbito do qual o pensamento
pós-estruturalista pode ser situado e, dessa forma, avaliado de maneira
mais adequada. O objetivo do presente texto é considerar o
pós-estruturalismo como uma forma contemporânea de anarquismo. 40 p. R$
8,00.
PROPAGANDA IDEOLÓGICA E CONTROLE DO JUIZO PÚBLICO – Noam Chomsky Chomsky
revolucionou a disciplina da lingüística. Anarquista e socialista
libertário, Chomsky despontou no universo político primeiramente como
opositor à invasão dos EUA no Vietnã. Orador veemente contra os abusos de
poder, é também um crítico da política externa dos Estados Unidos. A
análise que a mídia faz de Chomsky ilustra a natureza condescendente da
indústria da informação subjugada aos objetivos ideológicos e imperativos
das elites govenamentais e corporativistas. 88 p. R$ 12,00.
REBELDIAS – Edgar Rodrigues O mais novo livro do pesquisador anarquista
conhecido em todo o Brasil e no exterior. Neste volume estão colocados
alguns textos publicados na imprensa de vários países com datas e assuntos
distintos, acreditando assim o autor que assim expressa a marcha do tempo
e das idéias que nortearam suas convicções e seu conceito de vida. 264 p.
R$ 30,00.
SOCIOBIOLOGIA OU ECOLOGIA SOCIAL? – Murray Bookchin Intelectualmente e
emocionalmente, o ser humano é, no seu conjunto, fundamentalmente
semelhante. A cultura é, talvez, o grande diferenciador entre todos nós,
registro ético e moral que interpenetra no mundo material e espiritual.
Por isso é necessário desenvolver a nossa capacidade de julgamento. Também
por isso, Murray Bookchin se preocupa em analisar a sociobiologia, forma
emblemática do desastre de se pretender fazer coincidir um quadrado com um
círculo. Concorde-se ou não com tudo o que Murray Bookchin afirma – isso
não é muito importante – a verdade é que ele aborda, lucidamente, alguns
dos problemas que hoje são para nós colocados com maior acuidade. Ficar
alheio, mesmo conscientemente, ao mundo, ou não ficar e intervir, é uma
opção de cada um. Murray Bookchin fez desde há muito, a sua. Por isso,
vale a pena lê-lo. 88 p. R$ 12,00.
SOBRE O ANARQUISMO (2a ed.) – Nicholas Walter A exigência prioritária para
uma sociedade livre é a abolição da autoridade e a expropriação da
propriedade. Em vez de um governo formado por representantes permanentes
eleitos ocasionalmente e por burocratas de carreira quase inamovíveis, os
anarquistas querem uma coordenação efetuada por delegados temporários,
imediatamente revogáveis, e por peritos profissionais de fato
responsáveis. Em tal sociedade, todas as atividades sociais que implicam
uma organização, seriam provavelmente administradas por associações
livres. Pode-se chamar-lhes conselhos, cooperativas, coletividades,
comunas, comitês, sindicatos ou sovietes, ou qualquer outra coisa – o
título não tem importância, só a função conta. 96 p. R$ 13,00.
TRÊS DEPOIMENTOS LIBERTÁRIOS – Jaime Cubero, Edgar Rodrigues e Diego
Gimenez Moreno A presente obra tem como propósito resgatar uma pequena
parte da história contemporânea do anarquismo militante. O anarquismo
constantemente é dado como morto a partir de 1930 e este livro surge
exatamente para desmentir esta farsa histórica e comprovar as atividades
libertárias através de depoimentos e documentos que são absolutamente
incontestáveis. 248 p. R$ 28,00.
VAN GOGH – O Suicidado pela Sociedade (2a ed.) – Antonin Artaud Paris, em
1920, transbordava em paixões políticas e discussões nos cafés. Nestas
discussões encontramos Artaud aliado aos artistas do Surrealismo, tentando
romper os padrões de arte da época. Em 1938 é internado no asilo de
alienados. Lá escreve uma espécie de canto à descoberta, Van Gogh. Para
Artaud, o pintor holandês foi o marco de sua identidade com a criação. 64
p. R$ 10,00.


ESTANTE DE ASSUNTOS GERAIS

ANARQUISMO OU MARXISMO: Uma Opção Política – Gilberto Green A revolta e a
agitação juvenis, com a radicalidade inerente à rebelião em massa da
juventude, são estudadas dentro de uma perspectiva histórica que só faz
tornar instigante a proposta política de Gilbert Green: uma proposta que
entende o novo radicalismo saído da agitação dos jovens como uma
conseqüência direta dos anos mais violentos da luta de classes. 200 p. R$
18,00.
CAPITALISMO E SOCIALISMO – Marta Harnecker e Gabriela Uribe O capitalismo,
ao concentrar os meios de produção cada vez em menos mãos, aumenta o
número das pessoas que devem vender a sua força de trabalho para viver. À
medida que o capitalismo se desenvolve aumenta o proletariado. O sistema
cria os seus próprios coveiros. Somente o socialismo, que se caracteriza
pela propriedade coletiva dos meios de produção, propiciará o planejamento
da economia para que esta sirva a toda a população. 32 p. R$ 6,00.
CHIAPAS – As Comunidades Zapatistas Reescrevem a História – Emilio Gennari
As páginas deste livro vão reconstruir os passos de um povo desprezado e
humilhado que começa a escrever a história a partir de sua dignidade e
rebeldia, de sua recusa em continuar aceitando a exploração, de sua
resistência, do seu “Basta!” gritado de armas em punho justamente quando
os poderosos pareciam ter conseguido derrotar todos os sonhos dos
pequenos. Mas, de onde é este povo? Em que condições ele vive? Que
caminhos percorreu sua organização? Quais são suas propostas? Todas estas
perguntas e outras são respondidas neste pequeno grande livro. 116 p. R$
15,00.
DIREITO À PREGUIÇA – Paul Lafargue Paul Lafargue nasceu em Cuba em 1842.
No entanto, era de origem francesa, pelo lado materno. Estudou na França e
aí aderiu à Internacional dos Trabalhadores. Escrito em 1880. O Direito à
Preguiça obteve uma rápida popularidade, sendo traduzido para quase todas
as línguas européias. Na época as jornadas de trabalho se estendiam a 15 e
até 17 horas por dia. A essa situação monstruosa ainda se acrescentava a
circunstância de muitos operários estarem convencidos de que o trabalho em
si mesmo era uma atividade dignificante e benéfica. Lafargue insurgiu-se
contra esta convicção, denunciando a “santificação” do trabalho promovida
por escritores, economistas e moralistas. O trabalho, dentro dos limites
impostos pela necessidade humana do ócio e do lazer, é uma atividade
imprescindível à autoconstrução da humanidade. 72 p. R$ 12,00.
ECONOMIA POLÍTICA DA ESCRAVIDÃO (A) – Eugene Genovese Estes estudos levam
o título de A Economia Política da Escravidão porque tratam menos de
economia ou mesmo da história econômica como comumente entendida, do que
do aspecto econômico de uma sociedade em crise. Sustentam eles que a
escravidão deu ao Sul dos Estados Unidos um sistema social e uma
civilização com uma estrutura de classes, uma comunidade política, uma
economia, uma ideologia e padrões psicológicos peculiares e que, como
resultado, o Sul distanciou-se cada vez mais do resto da nação, assim como
de regiões do mundo em rápido desenvolvimento. 250 p. R$ 22,00.
ESTADO, DEMOCRACIA E CIDADANIA – A Dinâmica da Política Institucional no
Capitalismo – Nildo Viana O presente trabalho tem um objetivo fundamental:
contribuir para a compreensão da dinâmica da política institucional no
capitalismo. Isto pressupõe compreender a formação do estado capitalista,
sua essência, bem como da democracia e da cidadania. Compreender a
essência, gênese e dinâmica do estado capitalista, da democracia burguesa
e da cidadania pressupõe compreender as lutas de classes e o
desenvolvimento capitalista. Desta forma, é analisada a formação do
capitalismo e das lutas de classes que estão na sua base para compreender
o significado destas instituições e assim ver o seu desenvolvimento
histórico. 108 p. R$ 20,00.
FIM DE UM SÍMBOLO (O) – O Teatro de João Minhoca – Susanita Freire O
Teatro de João Minhoca, invenção brasileira de Baptista fez tanto sucesso
pela sua irreverência e cumplicidade com o povo, que a partir de 1884,
todo e qualquer teatro de bonecos era sinônimo de João Minhoca. Assim, seu
personagem principal, marionete de fio, negro, abolicionista, João
Minhoca, foi testemunha de uma época e porta-voz de críticas sociais.
Imitador em paródias de obras ditas sérias, ele caracterizou o momento
histórico e foi tão importante que criou imitadores no teatro de bonecos e
serviu de inspiração nas charges políticas em jornais, semanários e
revistas. Com um texto de João do Rio. Ilustrado. 88 p. R$ 15,00.
FONTES PORTUGUESAS DE ROBINSON CRUSOÉ (AS) – Fernanda Durão Ferreira Ao
ler este ensaio, fica-se com a sensação de que o Robinson Crusoe não é
apenas uma novela inspirada em uma ou outra obra portuguesa, mas sim um
autêntico condensado da Literatura Portuguesa de Viagens dos séculos 15 e
16. Escrito num estilo jornalístico simples e direto, este trabalho
atesta, mais uma vez, o importante papel que o jornalismo de investigação
tem tido na apuração da verdade. Mesmo invadindo espaços fechados, como
alguns campos da cultura circunscritos apenas a sábios iniciados. 64 p. R$
10,00.
INTERVENÇÃO NA AMÉRICA LATINA – Jane Tereza Gonzaga de Oliveira O
princípio da não-intervenção, elemento fundamental no sistema mundial
contemporâneo, é aqui abordado em função de um recorte geopolítico
específico: o continente americano. Trata-se de analisar o processo
histórico-jurídico da gênese de tal princípio no contexto das relações
interamericanas, desde a época de Monroe e Bolívar às primeiras
Conferências Interamericanas e à criação da OEA, contextualizadas em
função da Sociedade das Nações e da ONU, respectivamente. Distinguindo
três categorias de intervenção historicamente verificadas no continente
americano – a “pacífica”, a armada e a indireta – esta obra oferece ao
leitor, de forma estruturada e documentada, uma visão de conjunto crítica
e coerente acerca de um problema raramente estudado como um todo. 208 p.
R$ 25,00.
NOVELETAS MARGINAIS – Augusto Thompson Oscar Niemeyer se diz feliz por
nunca ter projetado prisão. Só que para muitos brasileiros este país é um
presídio e Brasília uma “surda”. Com a chave-mestra da ficção, o autor
abre para todos nós amplos espaços da reflexão em liberdade. Neste livro,
o jurista antropofágico Thompson veste a camisa do ficcionista e nos leva
a uma delegacia da Zona Sul do Rio de Janeiro, a uma ação de contrabando
na Baía de Guanabara, a uma penitenciária. 112 p. R$ 10,00.
ODES DE ANACREONTE – Tradução de Almeida Cousin Esta é, sem dúvida, a
primeira edição bilíngüe de Anacreonte feita no Brasil. E a primeira
tradução realizada por brasileiro e publicada em confronto com o original
grego e, possivelmente, o primeiro livro do gênero, em se tratando dessa
língua. 176 p. R$ 15,00.
POESIA PALESTINA DE COMBATE – Antologia A poesia acorre uma vez mais ao
encontro histórico de um povo e ocupa seu lugar na batalha que ele trava
contra a injustiça e a opressão, pelo direito à existência e à dignidade.
Essa é a inflexível postura dos poetas palestinos que, no ardor do
combate, assumiram a responsabilidade que lhes concerne, adquirindo uma
consciência cada vez mais clara que lhes permite compreender o verdadeiro
papel que sua poesia pode desempenhar na luta pela libertação de seu povo.
Esta amostra da poesia palestina que oferecemos ao leitor representa uma
sensível mudança no plano do esclarecimento ideológico, assim como no
compromisso da poesia na revolução. 152 p. R$ 25,00.
QUESTÃO PALESTINA (A) – Da Diáspora ao Mapa do Caminho - Emilio Gennari
Podemos perceber que os enfrentamentos entre palestinos e israelenses
marcam presença constante nos meios de comunicação. Fotos, entrevistas e
reportagens trazem detalhes que parecem pintar um retrato fiel dos
conflitos que, há mais de um século, marcam as relações entre os dois
povos. A sensação de estar por dentro nos impede de ver que, para entender
os fatos, é necessário fazer um esforço que vai além das nossas atenções
com o desenrolar do presente. Neste sentido, reconstruir os passos pelos
quais o cotidiano da história foi ganhando as dimensões atuais, averiguar
como os atores sociais responderam às contradições do seu tempo e trazer à
tona o contexto em que suas opções foram viabilizadas são etapas
essenciais para superar o cômodo nível das aparências. 172 p. R$ 30,00.
RECORDANDO PAULO FREIRE: Experiências de Educação Libertadora na Escola –
Maria Oly Pey (org), Paulo Freire (texto inédito), Ierecê Rego Beltrão,
Raquel Stela de Sá, João Ernesto de Faveri, Nivaldo Aníbal Goularte e
Celso Kraemer Há pedagogias que são perfeitamente adequadas às práticas
escolares rotineiras de qualquer escola. Há pedagogias, no entanto, que
não cabem em escolas que assim se organizam e funcionam. Estas são
consideradas transformadoras porque, para funcionarem, exigem uma real
transformação da estrutura da Escola e do funcionamento do currículo
escolar. Existem apenas dois tipos de pedagogias transformadoras: a
libertadora, descrita por Paulo Freire na década de 70, no famoso livro
Pedagogia do Oprimido, a partir de experiências vividas pelo autor na
década anterior, no Brasil; e a libertária, vivida pelos anarquistas desde
o século 19 e melhor descrita pelo educador catalão Francisco Ferrer y
Guardia, no também famoso livro A Escola Moderna, ambas de inspiração
não-autoritária. 176 p. R$ 18,00.
TEATRO NA EDUCAÇÃO ARTÍSTICA (O) – Luiza Barreto Leite e outros. Este
livro apresenta os propósitos de uma nova busca de libertação de papéis
passivos e de resistência à manipulação e ao mesmo tempo produz cultura.
Estamos diante de um excelente roteiro de liberação social com técnicas de
afastamentos dos caracteres de elitismo tão encrustados na manifestação
cultural de tipo oficial. 140 p. R$ 12,00.
VIDA INÉDITA (A) – Francisco Bittencourt. Entre. E é melhor se espantar. A
cama-papel tem todos os perfumes dos corpos. E os corpos murmuram, suam,
choram, sangram. Amor e poesia trepam num ritmo frenético. Feche os olhos.
Abra os olhos. Fuja. Fique. Entre no jogo. Saia. Nunca serás o mesmo. A
poesia é terra e mãe. Vida e morte. Pobreza e riqueza. Palavra e silêncio.
A poesia é um cão. Se a poesia te morder, deixa a infecção tomar conta.
Deixe a poesia de Francisco Bittencourt te morder. Você terá visões de uma
vida inédita. Viva. 48 p. R$ 5,00.



REVISTA

LETRALIVRE – Revista de Cultura Libertária, Arte e Literatura – no 29, 30,
31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39 e 40 – 48 p. R$ 5,00 cada exemplar











*******
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
******
INFO: http://ainfos.ca/org http://ainfos.ca/org/faq.html
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
ASSINATURA: envie correio para lists@ainfos.ca com a frase no corpo
da mensagem "subscribe (ou unsubscribe) nome da lista seu@enderço".

Indicação completa de listas em:http://www.ainfos.ca/options.html


A-Infos Information Center