A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
{Info on A-Infos}

(pt) A BATALHA N. 198: IMIGRANTES : QUE INTEGRAÇÃO ?

From jornalabatalha@hotmail.com
Date Fri, 16 May 2003 20:25:12 +0200 (CEST)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
http://www.ainfos.ca/
http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

O presidente da República, no decurso de uma “presidência aberta”
dirigida às comunidades de imigrantes, fez por várias vezes declarações
aos órgãos de comunicação social em que repetidamente insistiu na
necessidade de integração dos ditos imigrantes. Como o termo integração é susceptível de diversas interpretações e é
difícil precisar a utilizada pelo Dr. Jorge Sampaio, não vemos outra
saída que não seja explicitar algumas interpretações possíveis e
pronunciarmo-nos relativamente a cada uma delas. Se por integração se entende que os imigrantes devem esquecer a sua
língua, cultura, usos e costumes e adoptar a língua, a cultura, os usos
e costumes portugueses, estamos em completo desacordo. Não há qualquer
razão válida para pensar que a nossa língua, cultura, usos e costumes
são melhores, em geral, que as de quaisquer outros povos. E há tanta
vantagem para os imigrantes em conhecer a nossa cultura, usos e
costumes como para nós em conhecer as culturas, usos e costumes deles –
é sempre um enriquecimento. No que respeita à língua é evidente que as
pessoas necessitam conhecer a língua corrente no sítio em que vivem; os
imigrantes não são excepção à regra. Se por integração se entende que os imigrantes não devem ser objecto de
discriminação – no emprego, no salário, na habitação, no convívio, no
casamento, na assistência – não podemos estar mais de acordo. Mas isto
tem mais a ver connosco, habitantes do país de acolhimento, do que com
os imigrantes. O destinatário da mensagem seria portanto o povo
português e talvez fosse mais apropriado falar em não discriminação do
que em integração. Mas se a intenção do presidente era até mais ambiciosa e visava instar
o povo português a ir além da simples não discriminação, incentivando
um acolhimento afectuoso, o nosso acordo seria ainda mais completo. Sempre que pessoas de comunidades diferentes entram e permanecem em
contacto durante um tempo mais ou menos longo tende a ocorrer alguma
mestiçagem étnica e/ou cultural. Esta forma de integração deve ser
livre e espontânea e, como adeptos que somos da liberdade individual,
respeitamos a decisão de cada um em recusar essa integração ou em a
procurar na medida em que assim o entender . Para além do bom acolhimento e ausência de discriminação reprovamos
quaisquer medidas que visem forçar a integração sob que aspecto for,
porque atentatórias da liberdade individual. E a insistência do
presidente na necessidade de integração, sem mais especificações, pode
ser interpretada como uma coacção moral. E uma coacção, mesmo só moral,
afigura-se-nos deslocada e abusiva.Luís Garcia e Silva




*******
********
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas

******
ASSINATURAS: lists@ainfos.ca
RESPONDER: a-infos-d@ainfos.ca
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
WWW: http://www.ainfos.ca/org
INFO: http://www.ainfos.ca/org

Para receber a-infos numa língua apenas envie para lists@ainfos.ca
a mensagem seguinte:
unsubscribe a-infos
subscribe a-infos-X
onde X= pt, en, ca, de, fr, etc. (i.e. o código de idioma)

A-Infos Information Center