A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
{Info on A-Infos}

(pt) PREOCUPAÇÃO PROFUNDA Por Noam Chomsky (en)

From <a-infos-pt@ainfos.ca>
Date Mon, 24 Mar 2003 20:48:38 +0100 (CET)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
http://www.ainfos.ca/
http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

de www.azine.org
Tradução do Manoel
PREOCUPAÇÃO PROFUNDA - (tradução)
Por Noam Chomsky 22/03/2003 Às 18:51

Nesse momento soturno, nós não podemos fazer nada para deter a
invasão em curso. Mas isso não significa que a tarefa terminou
para as pessoas que estão preocupadas com a justiça, a liberdade
e os direitos humanos. Muito longe disso.

As tarefas serão muito mais urgentes do que antes, qualquer que
seja o resultado do ataque. Sobre o qual ninguém tem a menor
idéia : nem o Pentágono, a CIA ou seja lá quem for. As
possibilidades vão das horripilantes catástrofes humanitárias as
quais as agências de auxílio que atuam no Iraque têm prevenido,
até resultados relativamente benignos - embora mesmo que nenhum
fio de cabelo seja danificado na cabeça de ninguém , isso de
forma alguma irá atenuar a criminalidade daqueles dispostos a
submeter pessoas desprotegidas à riscos tão terríveis, na busca
de seus propósitos vergonhosos. Quanto aos resultados, levará
muito tempo até que julgamentos preliminares possam ser feitos .
Uma tarefa imediata é emprestarmos o peso que pudermos para
obter resultados mais benignos. Isso significa, primeiramente
cuidar das necessidades das vítimas, não somente dessa guerra
mas do feroz e destrutivo regime de sanções de Washington dos
últimos dez anos, que devastou a sociedade civil, e fortaleceu o
tirano no poder, compelindo a população a confiar nele para a
sobrevivência. Portanto, como tem sido salientado a anos, essas
sanções minaram a esperança de que Saddam Hussein seguisse o
caminho de outros tiranos assassinos não menos perversos do que
ele. O que inclui uma terrível galeria de criminosos também
patrocinados pôr aqueles que agora se encontram no leme de
Washington, em muitos casos até os últimos dias do seu poder
sangrento: Ceausescu, somente para mencionar um caso óbvio e
pertinente. A decência elementar exigiria reparações maciças dos
Estados Unidos; e na falta destas, pelo menos um fluxo de ajuda
aos iraquianos, para que eles pudessem reconstruir o que foi
destruído à sua maneira, e não de acordo com o que as pessoas em
Washington e Crawford ditarem, estas acreditam na máxima de que
o poder vem do cano de uma arma. Mas as questões são muito mais
fundamentais e de longo alcance. A oposição à invasão do Iraque
têm sido inteiramente sem precedente histórico. Pôr isso Bush
teve que encontrar seus camaradas numa base militar americana em
uma ilha, onde eles iriam estar à salvo de quaisquer meros
mortais. A oposição pode estar focada na invasão do Iraque, mas
suas preocupações vão muito além disso. Existe um medo crescente
do poder americano, que é considerado a maior ameaça à paz em
grande parte do mundo, provavelmente pôr uma grande maioria. E
com a tecnologia de destruição agora disponível, rapidamente
tornando-se mais letal e ameaçadora, a ameaça à paz significa a
ameaça a sobrevivência. O temor ao governo dos Estados Unidos
não é baseado somente nessa invasão , mas também em fatos
históricos. Uma determinação declarada abertamente de dominar o
mundo pela força, dimensão essa na qual os Estados Unidos é
supremo, e para ter certeza que nunca haverá nenhum desafio à
essa dominação. Guerras preventivas devem ser combatidas à
vontade: preventivas, não preensivas (ato para prevenir algo que
com certeza vai acontecer). Quaisquer que sejam as
justificativas que possam existir para um guerra preensiva, elas
não se sustentam em relação à guerra preventiva que é uma
categoria muito diversa: o uso de força militar para eliminar
uma ameaça inventada ou imaginada. O objetivo abertamente
anunciado é de prevenir uma ameaça ao "poder, posição e
prestígio dos Estados Unidos". Tal ameaça agora ou no futuro, e
qualquer sinal de que ela possa emergir, será confrontado com
uma força esmagadora pêlos governantes do país que agora
aparentemente gasta muito mais do que o resto do mundo inteiro
junto em métodos de violência, e está forjando caminhos novos e
muito perigosos contra uma oposição mundial quase unânime: o
desenvolvimento de armamentos espaciais letais no espaço, pôr
exemplo. Vale a pena ter em mente que as palavras mencionadas
não são palavras de Dick Cheney ou Donald Rumsfeld ou outros
estadistas agora no poder. Elas são , mais exatamente, palavras
do respeitável estadista senior Dean Acheso, à quarenta anos
atrás, quando ele era o conselheiro senior da administração
Kennedy. Ele estava então justificando as ações dos Estados
Unidos contra Cuba - sabendo que a campanha terrorista
internacional dirigida à uma "mudança de regime" tinha trazido o
mundo próximo `a uma guerra nuclear final. Apesar disso, ele
instrui a Sociedade Americana de Direito Internacional de que
nenhuma "questão legal" se origina no caso de uma resposta à um
desafio ao seu poder, posição e prestígio," especificamente os
ataques terroristas e uma guerra econômica contra Cuba. Eu
menciono isso como um lembrete de que essas questões estão
profundamente enraizadas. A atual administração está no limite
extremo no espectro do planejamento de políticas, e o seu
aventurismo e pendor pôr violência são perigosamente incomuns.
Mas o espectro não é assim tão vasto, e a menos que essas
questões profundamente enraizadas sejam endereçadas, nós podemos
estar confiantes de que outros extremistas ultrareacionários
irão conquistar o controle de meios incríveis de devastação e
repressão.
A "ambição imperial" dos atuais donos do poder, como são
francamente chamados, tem provocado estremecimento no mundo todo
incluindo as principais correntes do sistema estabelecido em
nosso país. Em outras partes, logicamente, as reações são muito
mais temerosas, particularmente entre as vítimas tradicionais.
Eles aprenderam muito da história na própria pele, para ser
consolados com retórica. Eles ouviram o suficiente sobre isso ao
longo dos séculos enquanto eram espancados pelo cacetete chamado
" civilização." Alguns dias atrás, o chefe do movimento dos
não-aliados, que inclui os governantes da maior parte da
população do mundo, descreveu a administração Bush como sendo
mais agressiva que Hitler. Ele na verdade é bem pro-americano e
está bem no meio dos projetos econômicos internacionais de
Washington. Existem poucas dúvidas de que ele fala pôr muitas
das vítimas tradicionais, e agora por muitos dos seus opressores
tradicionais. È fácil estender-se, e importante pensar
detalhadamente nessas questões, com cuidado e honestidade. Mesmo
antes da administração Bush provocar a rápida escalada desses
temores nos últimos meses, especialistas em inteligência e
assuntos internacionais estavam informando a quem quer que
quisesse ouvi-los de que as políticas que Washington esta
perseguindo podem levar à um aumento do terror e à proliferação
das armas de destruição em massa, pôr vingança ou simplesmente
para servir de freio. Há duas maneiras de Washington responder
às ameaças engendradas pôr suas ações e proclamações alarmantes.
Uma maneira é tentar aliviar essas ameaças prestando atenção à
queixas legítimas e concordando em tornar-se um membro
civilizado da comunidade mundial, com algum respeito à ordem
mundial e suas instituições. A outra é construir máquinas ainda
mais apavorantes de destruição e cominação, para que qualquer
desafio percebido, ainda que remoto, possa ser esmagado -
provocando novos e maiores desafios. Esse caminho propõe sérios
perigos às pessoas nos estados Unidos e no mundo, e pode , muito
possivelmente , levar a extinção da espécie o que não é uma
especulação vã. No passado uma guerra terminal foi evitada quase
pôr milagre, alguns meses antes do discurso de Acheson,
mencionando um caso que está fresco na nossa memória hoje. As
ameaças são severas e se amontoam. O mundo tem boas razões para
assistir o que está acontecendo em Washington com temor e
estremecimento. As pessoas que estão em melhor posição para
abrandar esses temores e para levar à um caminho mais
esperançoso e construtivo no futuro, são os cidadãos dos Estados
Unidos, que podem moldar o futuro. Estas estão entre as
preocupações profundas que, penso, devam ser mantidas muito
claras em mente, enquanto observamos o desenrolar imprevisível
dos eventos onde a mais terrível força militar na história
humana é desencadeada contra um inimigo sem defesa pôr uma
liderança política que compilou uma ficha assustadora de
destruição e barbarismo desde que tomou as rédeas do poder á
mais de 20 anos.




*******
********
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas

******
ASSINATURAS: lists@ainfos.ca
RESPONDER: a-infos-d@ainfos.ca
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
WWW: http://www.ainfos.ca/org
INFO: http://www.ainfos.ca/org

Para receber a-infos numa língua apenas envie para lists@ainfos.ca
a mensagem seguinte:
unsubscribe a-infos
subscribe a-infos-X
onde X= pt, en, ca, de, fr, etc. (i.e. o código de idioma)

A-Infos Information Center