A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ All_other_languages _The.Supplement
{Info on A-Infos}

(pt) Conferência da AGP no Vida após o Capitalismo (AGP)

From Worker <a-infos-pt@ainfos.ca>
Date Sun, 26 Jan 2003 15:31:36 -0500 (EST)


   ______________________________________________________
      A - I N F O S  S e r v i ç o  de  N o t í c i a s
                  http://www.ainfos.ca/
              http://ainfos.ca/index24.html
     ________________________________________________

Conferência da AGP no Vida após o Capitalismo Felipe  
Hoje, dia 25/01/2003, no prédio 11 da PUC do Rio Grande
do Sul, realizou-se uma conferência da Ação Global dos
Povos (AGP). 
Os moderadores foram: Pablo Ortellado de São Paulo -
Brasil e Andrej Grubacic da Iugoslávia. Primeiramente
houve uma exposição por parte dos ativistas de diversas
partes do mundo. Ativistas do Canadá (Vanessa - atuou
na CLAC em Québec no início da AGP), Brasil (Felipe de
São Paulo - membro do grupo Ação Local por Justiça
Global), Argentina (Martin de Buenos Aires - envolvido
com diversos coletivos que fazem parte do movimento de
resistência global) e Itália (Blicero de Milão - voluntário
do Centro de Mídia Independente) iniciaram a exposição
contando ao público um pouco da história da AGP no
mundo e como se desenvolveu a rede nos últimos anos.
Falaram bastante também sobre as realidades locais de
cada região e como os diferentes grupos, que atuam com
base nos mesmos princípios, têm atuado localmente. 

A partir de então, o debate foi aberto ao público, que
contava com vários outros ativistas da AGP do Brasil  de
outros países. A troca de experiências foi riquíssima. Os
participantes contaram que tipo de atividades estavam
desenvolvendo e como estavam fazendo para trazer mais
grupos e indivíduos para atuar na coalizão. Houve um
debate sobre como os grupos mais radicais poderiam
atuar com o setor menos radical quando as
reivindicações fossem comuns. 

As experiências relatadas pelo ativista da Argentina
foram bastante importantes pois enfatizaram como o
movimento de resistência global está se relacionando
com os diversos grupos que tiveram destaques nos
constantes protestos que se intensificaram a partir de
Dezembro de 2001 e com a situação de crise, que acabou
dando lugar a vários grupos de base que trabalham com
processos de democracia direta e são horizontais. 

Foram expostas também as dificuldades que os grupos da
América Latina encontram para seguir o calendário
internacional de mobilizações e teve início uma
discussão de como os grupos poderiam trazer as questões
e mobilizações dos dias de ação global, para uma luta
mas local e cotidiana. O exemplo da ALCA foi usado e
pareceu bastante claro, ou seja, um acordo de livre
comércio que apesar de estar incluído na ?agenda? dos
protestos internacionais, tem muitas conseqüências em
nível local e a conscientização das pessoas deve ser um
fator chave na atuação dos grupos em sua realidade local.

Um ativista dos EUA fez uma exposição e contou do tipo
de problema que os grupos e indivíduos estão tendo com
a polícia depois dos ataques de 11 de Setembro. Colocou
também que após os ataques, muitas pessoas que já
estavam mobilizadas acabaram abandonando as
atividades políticas com medo da repressão policial.
Houve também a intervenção de um ativista Francês que
criticou a coalizão por muitas vezes atuar como os
movimentos sociais comuns? ao tentar agregar um
número significativo de indivíduos e não prezar pelas
opiniões políticas claras dos envolvidos. 

Um outro fato interessante foi também a presença de
grupos indígenas do Equador: Confederación Nacional
Campesina, Confederación Indígena Del Ecuador e Grupo
El Puente. Os grupos do Equador levantaram a
importante questão de haver um encontro latino da Ação
Global dos Povos a ser feito provavelmente em Setembro
ou Outubro desse ano, criticaram também a forma como
foi chamada essa conferência e disseram ter dificuldades
de comunicação, por isso a necessidade de se programar
algo com bastante antecedência. 

Houve um ativista da África do Sul que deu seus relatos
sobre a situação em seu país com depoimentos de como
passam por dificuldades, além das financeiras, com a
polícia que tem reprimido duramente os africanos
envolvidos com a militância política. Disse também ter
interesse em trabalhar com outros coletivos, além de ter
simpatia pela forma como os grupos dentro da AGP
trabalham. 

Em torno de 150 pessoas estiveram no local e a troca de
idéias continuou até por volta das 12h30. Acabou-se
marcando para 2a feira, dia 27/01/03, às 18h30 no DCE da
UFRGS - Rua João Pessoa 41 - em frente a Praça
Argentina; um encontro latino dos grupos que estão em
Porto Alegre para mais um sessão de troca de idéias e
experiências 

 URL:: http://www.agp.org

*******
                                ********
            ****** Serviço de Notícias A-Infos *****
         Notícias sobre e de interesse para anarquistas

                                ******
                 ASSINATURAS: lists@ainfos.ca
                 RESPONDER: a-infos-d@ainfos.ca
                 AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
                 WWW: http://www.ainfos.ca/org
                 INFO: http://www.ainfos.ca/org

Para receber a-infos numa língua apenas envie para lists@ainfos.ca
 a mensagem seguinte:
                    unsubscribe a-infos
                    subscribe a-infos-X
onde X=  pt, en, ca, de, fr, etc. (i.e. o código de idioma)

A-Infos Information Center