A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 40 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ Nederlands_ English_ Français_ Italiano_ Polski_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ The.Supplement
First few lines of all posts of last 24 hours || of past 30 days | of 2002 | of 2003

Syndication Of A-Infos - including RDF | How to Syndicate A-Infos
Subscribe to the a-infos newsgroups
{Info on A-Infos}

(pt) Israel-Palestina, Tel-Aviv - Não aos Getos! Não ao muro a separar povos! Fim à ocupação!!! – comunicado de ANARQUISTAS CONTRA O MURO, numa manif.

From a-infos-pt@ainfos.ca
Date Sun, 28 Dec 2003 12:45:55 +0100 (CET)


______________________________________________________
A - I N F O S S e r v i ç o de N o t í c i a s
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
http://ainfos.ca/ http://ainfos.ca/index24.html
________________________________________________

Um comunicado distribuído na manifestação Sábado à tarde em frente do
Ministério da Guerra de Israel em Tel Aviv em protesto contra o
alvejamento de camaradas durante uma acção directa contra o muro em Mesha
no dia de ontém.
Não aos Getos! Não ao muro a separar povos! Fim à ocupação!!! –
Ontem fizemos a experiência do que têm como realidade os nossos irmãos
palestinos. O alvejamento pelo exército de Israel sobre nós, activistas
israelitas, é umpasso nunca antes dado, mas deve-nos fazer recordar as atrocidades
quotidianas do exército de ocupação nos Territórios. Neste fim de semana
também, há assassínios, cercos, bloqueios; a invasão e anexação continuam.O facto de nos alvejarem não nos irá dissuadir de continuar a resistir
activamente ao muro do Apertheid construído diante dos nossos olhos. Ontem
quebrámos o portão de Mesha, mas deve-se ter em conta que ao longo de todo
o trajecto do muro os portões permanecem fechados e os palestinos
continuam sem acesso à sua fonte de subsistência. Continuaremos a tentar
bloquear a ocupação com os nossos corpos, a abrir uma brecha no muro do
ódio e a desencadear com as nossas acções uma viva alternativa à política
de geto do governo de Israel.Exprimimos a nossa solidariedade ao camarada Gil do Kibbutz Reim que foi
baleado pelo exército israelita apenas algumas semanas depois de ser
libertado do serviço militar. Gil foi atingido em ambas as pernas por
balas reais e foi transportado inconsciente ao hospital de Beilinson onde
foi diagnosticado como estando em estado grave. Hoje, Gil retomou
consciência pela primeira vez e conseguiu sorrir e falar. O estado dos
seus membros inferiores ainda não é claro. Esperamos o seu pronto
restablecimento.
Exprimimos a nossa solidariedade para com o nosso camarada Jonathan de Tel
Aviv, mantido preso pela polícia de Ariel desde o dia da acção, visto ele
ter recusado assinar um compromisso de que não penetraria nos territórios
ocupados nos próximos três meses. Está previsto ser apresentado ao
tribunal em Rishon-Letsion para o prolongamento da sua prisão. Apelamos
para a libertação imediata de Jonathan.
Descrição da Acção Directa:
Cerca das 13:00 chegámos ao portão do muro do apertheid construído entre a
aldeia de Mesha e o colonato ilegal de Elkana. Apesar das promessas do
exército das últimas semanas, o portão permanecia fechado e impedia os
habitantes de Mesha de aceder aos campos de cultivo e fontes de
subsistência. Era uma manifestação não-violenta em que queríamos fazer um
acto simbólico de protesto contra a construção do muro e a manutenção do
portão fechado. Para nosso espanto, os soldados começaram por nos atirar
grandes pedras, depois dispararam para o ar e para o chão à nossa volta.
Apesar dos nossos apelos “não disparem isto é uma manifestação
não-violenta, não temos intenção de vos magoar” , e de erguermos sinais em
hebreu contra o muro, após apenas alguns minutes e sem aviso os soldados
começaram a disparar com balas reais em direcção aos corpos dos
manifestantes. Foi assim que Gil foi alvejado nas pernas. Contrariamente
ao que o exército relatou não houve disparo de gás lacrimogéneo contra nós
e não houve aviso por parte dos soldados. De nenhuma forma comunicaram
connosco que iam disparar com balas reais.
A actividade foi parte integrante do acampamento de protesto contra o
muro, iniciada há uma semana na aldeia de Dir-Balut em Sumeria. O
acampamento é ocupado 24 horas por dia por pessoas israelitas e
palestinas, situado no trajecto do muro do apertheid, dentro do edifício
meio construído da escola de Dir-Balut. A construção da escola foi
interrompida depois do confisco da terra para a construção do muro.
Convidamos os média que acreditaram nas promessas do primeiro ministro
Ariel Sharon, sobre as supostas evacuações dos colonatos ilegais a virem
ver por eles próprios o projecto de anexação de terra e de expansão dos
colonatos que continua ainda nos dias de hoje.Para fotos e vídeo da acção:
Daniel - 972-68-520811 ; Noa - 972-51-706307 ; Shay - 972-55-333364

Para mais informação:
Ury -972-3-6296945 ; Ronen - 972-53-561580 ; Francesca - 972-64-494030

--- ANARQUISTAS CONTRA O MURO




*******
****** Serviço de Notícias A-Infos *****
Notícias sobre e de interesse para anarquistas
******
INFO: http://ainfos.ca/org http://ainfos.ca/org/faq.html
AJUDA: a-infos-org@ainfos.ca
ASSINATURA: envie correio para lists@ainfos.ca com a frase no corpo
da mensagem "subscribe (ou unsubscribe) nome da lista seu@enderço".

Indicação completa de listas em:http://www.ainfos.ca/options.html


A-Infos Information Center