A - I n f o s
a multi-lingual news service by, for, and about anarchists **

News in all languages
Last 30 posts (Homepage) Last two weeks' posts

The last 100 posts, according to language
Castellano_ Català_ Deutsch_ English_ Français_ Italiano_ Português_ Russkyi_ Suomi_ Svenska_ Türkçe_ All_other_languages
{Info on A-Infos}

(pt) Massacre em Belo Horizonte-MG (Brasil)

From Moésio Rebouças <mrs.ana@uol.com.br>
Date Wed, 27 Dec 2000 10:19:52 -0500 (EST)


 ________________________________________________
      A - I N F O S  N E W S  S E R V I C E
            http://www.ainfos.ca/
 ________________________________________________

Saudações Companheir@s;

Antes de tudo, desculpem-me a demora em escrever. Estivemos, aqui em
Belo
Horizonte, nos organizando, e agora sim posso escrever melhor sobre os
acontecimentos do dia 23/12/2000. Outros relatos estão por vir,
inclusive
um de vári@s companheir@s da "Liga" de BH, organizadora do evento em
Belo
Horizonte (Dia Sem Compras). Para ver esses relatos, e fotos do
ocorrido,
visite: www.diasemcompras.com. Se alguém que está lendo este e-mail, fez
o
"Dia Sem Compras" na sua cidade, envie-nos relatos sobre os
acontecimentos.
Enfim, a Home Page (www.diasemcompras.com) está aberta, e o coletivo que
a
criou está aberto a nov@s membr@s.

Sem mais demoras, vamos aos fatos:

-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-xx-

Um dia para pensar o consumo,
Uma data da "violência privada"

Vou tentar ser breve neste relato, uma vez que este tem como objetivo
estimular a solidariedade para com as pessoas que mais sofreram com os
agressões por parte dos seguranças do Shopping Cidade (na Rua Rio de
Janeiro, entre as Ruas Tupis, Goitacazes e São Paulo - Belo
Horizonte/MG).
A manifestação tinha por objetivo ser pacífica. Ela é conhecida como
"Dia
Sem Compras", e este foi o segundo ano em que ela aconteceu em Belo
Horizonte. O objetivo em se escolher fazer essa manifestação em frente
ao
Shopping Cidade, é o fluxo de pessoas que o centro de Belo Horizonte
proporciona. Apenas passando pelo shopping, são 160 mil pessoas durante
APENAS o dia 23/12 todos os anos, fora outras pessoas que estão passando

pelo centro de Belo Horizonte.
A manifestação em Belo Horizonte estava marcada para 12:00, horário do
almoço. O principal motivo: haveria distribuição de comida/suco/etc..
Outros eventos estavam programados, como distribuição de panfletos,
cafezinho/biscoito/balas na "Barraca da Reflexão", palhaços e "porcos
consumistas" acompanhados de "consumidores sem rosto" andariam pela
porta
do Shopping Cidade conversando com as pessoas sobre o consumo.
Performances
também estavam marcadas de acontecer.
O primeiro grupo chegou em frente ao Shopping Cidade às 12:30 e se
juntaram a outr@s indivídu@s que já estavam esperando. A panfletagem se
iniciou junto a uma enriquecedora discussão junto aos trabalhadores
informais que a princípio achavam que estávamos "tentando atrapalhar as
vendas deles" (e na verdade era praticamente o contrário).
13:00 horas chegou a "Barraca da Reflexão" - apesar de já quando
companheir@s chegaram às 12:30 já está havendo distribuição de
cafezinhos -
que nessa mesma hora começou a ser montada e enfeitada com balões em um
dos
cantos do passeio, de forma que não atrapalhasse o fluxo de pessoas.
Aproximadamente às 13:30, os seguranças do Shopping Cidade começaram a
se
"organizar" em frente a porta do mesmo, como um batalhão da tropa de
choque, com seus "cacetetes" em punho. Os manifestantes se posicionaram
em
volta da barraca, e quem estava tirando fotos, foi estimulado a cobrir a

'cena'. Alguns manifestantes dizem que o chefe da segurança disse algo
como: "Vocês tem um minuto para sair da porta!" E logo depois partiram
para
cima de todos, após o comando: "Pode tirar todos daqui!". Não somente
manifestantes, mas clientes do Shopping Cidade que saiam no momento do
local tomaram cacetadas, pontapés e socos no rosto.
Companheir@s ficaram desesperad@s. Haviam companheir@s chorando,
gritando,
caindo no meio da rua. Companheiros com o braço inchando, costelas
quebradas, garotas com marcas de cacetadas no peito, no ombro. Clientes
do
shopping com crianças no braço também apanharam. Essa cena foi bárbara,
principalmente por que os manifestantes e os clientes do shopping não
tinham como se defender, muitos tentaram se esconder das cacetadas, mas
acabavam caindo, outros tentavam utilizar mochilas, até uma lata de lixo

que estava no local foi usada, para não serem espancad@s. Tudo isso
pouco
ajudou!


E s t r a n h o ,   o u   E s p e r a d o ?

Podemos notar diversos pontos importantes durante essa parte da
manifestação, um deles é que o centro de Belo Horizonte (o local da
manifestação) possui cerca de 40 policiais em dias 'distantes' do natal
(digamos: novembro, outubro), mas em dezembro o policiamento dobra,
então o
número de policiais passa a cerca de 80. Pois bem, devo deixar claro que

não estou reivindicando "proteção policial", mas é estranho olhar para
os
dois lados da rua, durante as agressões e não haver nenhum policial
presenciando o ocorrido, ainda mais com um posto policial de observação
na
esquina onde estava havendo o protesto (Rua Tupis).
Um outro ponto que afirma o quanto estranho é esse acontecimento, é que
no
"Dia Sem Compras" de 1999, havia muitos policiais na porta do Shopping
Cidade. Bem, nada mais pode ser dito, mas companheiros viram em momentos

antes da pancadaria, uma policial entrar no shopping, e depois sair.
Tudo
'aumenta' a suspeita de que (o Shopping Cidade) não queriam a polícia
presenciando o ocorrido, o que foi interessante para eles, uma vez que
quando a polícia chegou (minutos depois da barbárie), os manifestantes
foram agreditos verbalmente quando tentavam falar, e os seguranças do
shopping foram cumprimentados como se fossem (provavelmente são) amigos
íntimos dos policiais.
Notamos também a não-identificação dos seguranças. A mesma atitude
tomada
pelo "batalhão de eventos" da polícia militar, encarregado de dispersar
a
cacetadas, coices de cavalo, mordidas de cães, e bombas diversas, os
manifestantes nas ruas. Esse foi mais uma das indicações de que os
seguranças iriam nos agredir.


J u s t i ç a ( ? )

Alguns dos manifestantes, e clientes do Shopping Cidade entrarão na
justiça contra a agressão dos seguranças e contra o Shopping Cidade.
Mais
informações sobre o andamento do processo poderá ser visto na página
www.diasemcompras.com.
Será entregue um relatório a cordenadoria de direitos humanos de Belo
Horizonte, para que se consiga mais apoio e divulgação desse massacre
promovido pelo Shopping Cidade.


M a i s   M a n i f e s t a ç ã o

Após toda a confusão, e a saída da polícia do local, o advogado que está

apoiando os manifestantes no caso, foi até a administração do Shopping
Cidade (junto ao chefe da segurança, ao gerente, etc.) e comunicou que
entraria na justiça contra o shopping, além de comunicar que voltaríamos

para a porta do Shopping Cidade para continuar o protesto.
E foi o que aconteceu, estávamos com cerca de 15 kilos de macarronada,
10
litros de suco, além de pipoca, balas, pirulitos, biscoito, e outros
doces
para distribuir.
Houve então batucada, e muita conversa com as pessoas que estavam
passando, além de "pesquisas" sobre o consumo e a distribuição de alguns

poucos panfletos e café restantes, uma vez que os seguranças haviam
quebrado garrafas térmicas, sujado panfletos, etc..
Enfim, a manifestação terminou bem, apesar de sabermos que estávamos
marcados daqui para frente, e também sabermos que temos a obrigação de
comunicar esses fatos para todas as pessoas a quem temos acesso.

Vamos dizer NÃO ao controle corporativo!
Vamos dizer NÃO aos opressor@s do povo escondid@s em suas "máscaras
impessoais"!
Vamos dizer NÃO ao Estado!
Vamos estreitar as nossas relações e boicotar os "DONOS" do mercado!
Um grande abraço a tod@s;
CAP
(Um dos grupos que participou da manifestação)
manif@independente.net

   Para ver as fotos da
manifestação e das agressões
visite: www.diasemcompras.com




ANA -
Información es acción!



                       ********
               The A-Infos News Service
      News about and of interest to anarchists
                       ********
               COMMANDS: lists@ainfos.ca
               REPLIES: a-infos-d@ainfos.ca
               HELP: a-infos-org@ainfos.ca
               WWW: http://www.ainfos.ca
               INFO: http://www.ainfos.ca/org

 To receive a-infos in one language only mail lists@ainfos.ca the message
                unsubscribe a-infos
                subscribe a-infos-X
 where X = en, ca, de, fr, etc. (i.e. the language code)



A-Infos
News